Pena de Morte – Jovem de 17 anos implora por misericórdia antes de ser enforcado

Alireza Mollasoltani foi enforcado nesta quarta-feira (22), após o tribunal de apelação confirmar sua sentença de morte, por ter assassinado a facadas em julho do ano passado o atleta Ruhollah Dadashi que era conhecido como o “Homem Mais Forte do Irã.” Mollasoltani foi enforcado em Golshahr aréa de Karaj, com a presença de um grande público. Segundo a Agencia Payvand, Mollasoltani antes de ser enforcado gritou ao público clamando por misericórdia. Alguns grupos de direitos humanos relataram que Mollasoltani ainda era menor de idade. O site The Khabar havia informado em julho que o assassino Ruhollah Dadashi era menor de 18 anos e não seria enforcado naquele momento. O relatório indicou que o acusado nasceu em 25 de dezembro de 1993, e sua sentença de morte seria adiada para 25 dezembro de 2011. No entanto, Ali Dadashi, irmão da vítima, havia dito em uma entrevista: “Segundo a lei islâmica, quando um indivíduo comete um homicídio, a fim de enforcá-lo, sua idade deve ser calculada em anos lunares, e o assassino do meu irmão, tem, portanto, 18 anos de idade.” Grupos de direitos humanos têm criticado freqüentemente o Irã pela emissão da pena de morte para delinqüentes juvenis. No ano anterior, os menores condenados por homicídio seriam realizados até que chegaram 18 anos de idade e depois enforcado. O ex-chefe do judiciário, Aytollah Hashemi Shahroudi, emitiu uma diretiva em 2008 proibindo os juízes de emitir sentenças de morte para menores. No entanto, a diretiva não foi levado ao Parlamento, para ratificação e, portanto, tem sido muitas vezes negligenciado, especialmente desde que Ayatollah Sadegh Larijani se tornou o chefe do Poder Judiciário. Em setembro passado, a Campanha Internacional para os Direitos Humanos no Irã publicou uma lista de 114 menores no corredor da morte no Irã. A campanha diz que nos últimos 10 anos, 34 menores infratores foram executados no Irã. Portal Padom

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.