Isaías 53 – Uma sepultura com os perversos

“Por juízo opressor foi arrebatado… designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte; posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca” (Isaías 53:8-9). Sobre a visão profética de Isaías desce um profundo silêncio. O servo do Senhor foi-se agora, rapidamente cortado por injustiça ultrajante e brutalidade. Poucos veriam sua própria perversidade espelhada no horror do sofrimento dele (versículos 4-6), mas a maioria continuaria em distraída desconsideração (versículo 8). A humilhação que seus inimigos queriam para ele não era para ser preenchida só pela desolação de sua morte. Teria também que perseguir seu corpo mutilado a uma sepultura de criminoso, sem nome. Não há evidência de que a hierarquia judia planejou para que Jesus fosse crucificado entre dois criminosos, mas isso certamente lhes agradou. Eles desejavam ardentemente que ele fosse identificado com os notoriamente perversos. Tão intenso era o seu ódio pelo Senhor que estes assim chamados juízes abandonaram toda dignidade, toda conveniência, e vieram fartar seus olhos sobre sua angústia final (Mateus 27:41-43; Lucas 23:35). Foi esplêndido para eles, um doce triunfo para ser saboreado até o fim. Há incerteza sobre Isaías 53:9. O manuscrito de Isaías dos Pergaminhos do Mar Morto dizem “Sua sepultura foi determinada entre os perversos, seu túmulo entre os malfeitores,” mas o texto recebido mais comumente diz “com um rico em sua morte.” E Mateus parece decidido a fazer a identificação com exatamente tais palavras do profeta quando ele registra que “… veio um homem rico de Arimatéia, chamado José…” (Mateus 27:57). Young entende que a passagem esteja dizendo que homens indicaram ao servo uma sepultura entre os perversos, mas Deus, por causa de sua absoluta inocência, assegurou-lhe um sepultamento honroso (E. J. Young, Isaías, Vol. 3, pág. 440). Se a prática romana usual tivesse sido seguida, Jesus teria sido sepultado com sua cruz numa vala comum. Somente a ousada intervenção de um membro do Sinédrio afastou esta humilhação final (Mateus 27:57-60; Marcos 15:42-46). José de Arimatéia tinha sido, evidentemente, um “discípulo secreto” de Jesus durante os eventos dos últimos meses (João 19:38), mas aquele que não poderia reconhecer abertamente sua fé enquanto Jesus vivia, vem agora “ousadamente” reclamar seu corpo. E, admiravelmente, seu colega conselheiro, veio com ele (João 19:39). É uma das ironias da morte de Jesus que homens que ficaram com ele em vida, fugiram de seu corpo mutilado; enquanto aqueles que temiam reconhecê-lo enquanto vivia foram os primeiros a pedir abertamente seu cadáver. Que cena maravilhosa é imaginar aqueles dois “eminentes” homens, talvez de braços dados, gentilmente descendo seu corpo sem vida da cruz na mais doce das camaradagens. Eles não estavam envergonhados dele agora! E havia as mulheres, aqueles corações tenazmente leais que ficaram junto à cruz, próximo a sua humilhação (João 19:25). Ainda que incapazes de aliviar a dor de seu Mestre, elas se recusaram a se afastar dela ou dele. E quando José envolveu seu corpo inanimado em pano de linho e o colocou em seu próprio sepulcro novo, e Nicodemos banhou-o amorosamente numa riqueza de especiarias (João 19:39), as mulheres seguiram e marcaram o lugar onde ele tinha sido deposto. Ainda que muito já tenha sido feito para Jesus, elas estavam determinadas a fazer mais (Lucas 23:55-56). Se não puderam proteger sua vida da vergonha em vida, elas o fariam em sua morte. Não podemos ter certeza de quanta esperança houvesse em toda esta atenção com o corpo de Jesus, mas é certo que havia muito amor. O que quer que o futuro guardasse, seu amor e palavras tinham mudado suas vidas e elas não o esqueceriam. Mas no meio da morte do Filho de Deus há uma grande demonstração de uma esperança confiante e fé, e isso no lugar mais inesperado. Os dois ladrões que partilharam a sina de Jesus estavam dispostos, a princípio, a acrescentar seu escárnio ao dos espectadores, mas um deles ficou tremendamente comovido pelo que viu neste paciente sofredor que encontrou força para orar por aqueles que o estavam matando sem misericórdia. A ressurreição de Lázaro dos mortos não poderia ter penetrado este criminoso moribundo tão profundamente como a maravilha de tal amor generoso não correspondido. Ele foi capaz de ver nesta figura patética a glória do Deus ungido e de ver nele a esperança até para aqueles como ele mesmo (Lucas 23:40-43). “Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino”, ele pediu. Ao que o Senhor imediatamente respondeu, “… hoje estarás comigo no Paraíso”. Que fé humilde ele tinha!! Mas que Salvador Jesus é! Há esplendor até na morte, até na sepultura. As palavras do profeta novamente vieram à vida na História. “… vos entreguei o que também recebi que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado…” (1 Coríntios 15:3-4). -Por Paul Earnhart

QUEM PODE PEGAR A CARTA? – Pr. André Lepre

Neemias 2:7 – Disse mais ao rei: Se ao rei parece bem, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do rio, para que me permitam passar até que chegue a Judá. Ao receber a noticia por intermédio de seu irmão Hanani do que havia acontecido com o muro de Jerusalém e o estado miserável em que se encontrava o restante de seu povo na cidade santa (Ne. 1:3), Neemias sentiu uma profunda dor, tristeza e lamentou profundamente o que havia acontecido. A partir daí, Neemias criou um objetivo, teve o sonho, idealizou um projeto, o de reconstruir o muro de Jerusalém e ajudar o seu povo. Mas Neemias não podia fazer isso a qualquer tempo ou hora, pois a condição dele nessa época não o permitia fazer. Neemias era escravo na Pérsia e copeiro do rei Artaxerxes. Para que Neemias pudesse alcançar o seu objetivo era necessário primeiro, que ele tivesse a liberação do rei Artaxerxes para se ausentar da Pérsia. Foi quando Neemias tomou a primeira atitude que toda pessoa deve ter ao iniciar algum projeto na sua vida, orou a Deus. Orou a Deus para que lhe desse a graça suficiente diante do rei que movesse o seu coração a favor de Neemias para que assim, alcançasse o seu objetivo (Ne1: 11). E então, diante do rei, Neemias pediu-lhe permissão para ir à Judá para realizar o seu sonho, e, além disso, Neemias pediu ao rei mais uma coisa, que lhe desse cartas dirigidas aos governadores das províncias e ao guarda da floresta, para que tivesse transito livre e o fornecimento de todo o material necessário para a reconstrução, o que o rei lhe concedeu. Aquelas cartas representavam a “autoridade” que estava sobre a vida de Neemias para que ele pudesse realizar o sonho de reconstrução. De posse daquelas cartas, Neemias foi em direção ao alvo e mesmo sofrendo oposição de alguns perseguidores, mesmo sofrendo calúnias de seus inimigos, mesmo sendo ameaçado de morte, ele não desistiu, ele não parou no meio do caminho, e mais, conseguiu influenciar positivamente a todos que estavam engajados no projeto. Neemias conseguiu alcançar o seu objetivo. Neemias alcançou o seu objetivo porque sobre a vida dele estava uma autoridade que não vinha somente das cartas do rei Artaxerxes, mas de uma autoridade superior que vinha do próprio Deus. E você? Qual é o seu sonho? Qual é o seu objetivo de vida? Qual o projeto que você idealizou e que ainda não saiu do papel? O que você precisa reconstruir hoje, agora na sua vida? Peça carta a Jesus, o Rei da gloria, o único que tem toda a autoridade na eternidade. Peça a Ele que lhe conceda a graça e a autoridade necessárias que lhe darão trânsito livre e material necessário para reconstruir na sua vida aquilo que é necessário. Mas tem um detalhe, Neemias só conseguiu essa autoridade porque tinha 7 (sete) importantes atributos na vida de um homem: Era servo de Deus Era homem de oração Conhecia a Palavra de Deus Era fiel a Deus Amava a obra de Deus (Jerusalém) e o seu povo (Seu semelhante). Era perseverante Era trabalhador Será que você pode pegar a carta do Rei? Pense nisso! Nele, por Ele, para Ele. Pr. André Lepre

Perseguição aos cristãos aumenta durante o Ramadã

O ministério Portas Abertas está promovendo uma campanha de oração voltada para ajudar aos cristãos localizadas em paises muçulmanos a se defenderem da perseguição que, durante o Ramadã, que foi iniciado na segunda-feira, 1º, é intensificada e para convocar o povo de Deus a clamar e conhecer mais sobre o assunto. “Queremos chamar a atenção dos nossos irmãos da Igreja Livre para este tempo que é tão difícil para a Igreja Perseguida. Também queremos incentivá-los a orarem assim como nós faremos”, explica o secretário geral do trabalho, Pr. Carlos Alfredo de Sousa. Ele convoca a todos os cristãos a “demonstrar de forma prática um de nossos valores centrais que diz: ‘somos pessoas de oração’”. Ao longo deste mês a campanha terá quatro momentos de oração (9h, 12h, 15h e 18h). A proposta é que no decorrer do dia, mesmo durante o trabalho, os cristãos parem o que estiverem fazendo e elevem os pensamentos ao Senhor, em uma curta oração, intercedendo pelos irmãos que estão em países islâmicos e vivendo a pressão extra do mês do Ramadã.
O que é?
O Ramadã é um ritual considerado um dos pilares do islamismo pelos muçulmanos, que fazem jejuns e rezas durante um mês.
Este rito é sempre no nono mês do calendário islâmico, no qual se acredita que o profeta Maomé recebeu a revelação da parte de Alá, por meio do anjo Gabriel, dos primeiros versos do Alcorão.
De acordo com o islamismo, Maomé estava andando em um deserto perto de Meca em 610 d.C. Isso aconteceu onde atualmente localiza-se a Arábia Saudita. Esse ano o Ramadã é do dia 1º até o dia 30 agosto.
Fonte: Missão Portas Abertas Publicado por Redação em quinta-feira - 4 de agosto de 2011

Chamado de demônio por exibir crucifixo com pênis

O artista filipino Mideo Cruz (foto), 37, levou um grande susto ao saber que estava sendo chamado de demônio por parte de católicos, por estar expondo na exposição “Poleteismo” ou “Politeísmo”, pôsteres de Jesus Cristo e da Virgem Maria e crucifixo para lembrar os 300 anos do domínio espanhol nas Filipinas e a introdução do catolicismo no país. Junto, para mostrar a atual influência do imperialismo americano, colocou imagens de Mickey Mouse, da Estátua da Liberdade e do presidente Barack Obama. Os católicos não gostaram de ver a figura de Cristo associada a sexo, principalmente de um enorme crucifixo que possui um pênis móvel iluminado. “Que a sua alma queime no inferno”, escreveu no Facebook um católico. O professor Emmanuel Fernández comentou que a obra zomba da crença da maioria da população. “É ofensiva.” Cruz lamentou que os críticos raivosos tivessem feito uma leitura superficial de sua obra, deixando de entender a mensagem de que o culto àqueles objetos evidencia “como nós somos criados por nossos deuses e ídolos”. A instalação de arte está sendo exibida no Centro Cultural das Filipinas. Karen Ocampo-Flores, diretora do departamento de artes visuais do centro, tem resistido até agora à pressão para proibir a exposição. “A fé das pessoas tem de ser respeitada, mas, em contrapartida, todos têm de tolerar o ponto de vista dos outros”, disse. Fonte: Paulopes

Efésios 6 -

Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor. Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens. Sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está no céu, e que para com ele não há acepção de pessoas.
==========//////////==========
No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, Pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar. Ora, para que vós também possais saber dos meus negócios, e o que eu faço, Tíquico, irmão amado, e fiel ministro do Senhor, vos informará de tudo. O qual vos enviei para o mesmo fim, para que saibais do nosso estado, e ele console os vossos corações. Paz seja com os irmãos, e amor com fé da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo. A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade. Amém.

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.