Igrejas criam horários para ter mais fiéis Publicado por Redação em terça-feira - 6 de setembro de 2011

Cada dia mais católicos e evangélicos têm buscado oferecer horários alternativos para cultos e missas. Um exemplo disso é a igreja metodista de Ribeirão Preto que oferece, as quartas-feiras, um culto de apenas meia hora, a partir das 12h15min. Uma das participantes é Cleonice Ferreira, 39, auxiliar operacional de uma loja de departamentos. “Às vezes, você está estressada ou irritada. Aí, vem aqui e sente um alívio”, diz. Além dela, cerca de 20 pessoas participam semanalmente do projeto “Meia Hora Com Jesus”, que começou há cerca de três meses, inspirado em uma iniciativa da Igreja Metodista noSul dopaís. Segundo o pastor DavisDaniel, o objetivo do programa é servir como “um oásis na rotina das pessoas”. “Angústias, problemas familiares e profissionais. A vida urbana é cada vez mais corrida. As igrejas precisam se adaptar”, afirma o pastor. O culto “adaptado” não é iniciativa isolada dos metodistas. Cada vez mais igrejas católicas e entidades espíritas no Estado de São Paulo têm ampliado horários durante a semana – também no período da manhã – para seguir a rotina das pessoas. Entre os católicos, a paróquia Santa Mônica, de Franca, oferece, há cerca de um ano, missas às 6h30 de terças e quintas-feiras. O padre José Ricardo Batista Cintra disse que fez uma consulta informal a moradores do bairro para escolher o melhor horário. “Como aqui só têm operários, não faria sentido ter uma missa na hora do almoço porque todo mundo está no trabalho.” A Igreja Católica deixa claro, porém, que a missa semanal não abona a ausência na dominical, considerada a mais importante. “Nós adaptamos sem perder a essência”, diz o padre Walter Caldeira, da catedral da Sé, na capital, que faz uma missa no horário do almoço. ‘BALADA CRISTÃ’ Em Barretos, a igreja estuda “atrasar” as missas para se aproximar de jovens fiéis. “Pensamos que, se celebrássemos as missas mais tarde, às 22h, talvez teríamos mais participação de jovens”, afirma o coordenador diocesano Ronaldo José Miguel. O presidente da USE (União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo), José Luiz Balieiro, diz que o ideal é que as entidades atendam a família de um modo geral. “Os horários têm de facilitar o acesso dos idosos, dos jovens e das crianças.” Para o sociólogo da USP de Ribeirão Marcos Cassin, esses horários visam atrair uma população economicamente ativa, que tenderia a deixar a religião de lado pela falta de tempo. “Para não ficar em segundo plano, as instituições religiosas têm de se adaptar ao ritmo laico de hoje.” Fonte: Folha de São Paulo / Folha Gospel

Deus criou tudo? Publicado por Redação em terça-feira - 6 de setembro de 2011

Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com esta pergunta: “Deus criou tudo o que existe?”
Um aluno respondeu com grande certeza: -Sim, Ele criou!
-Deus criou tudo? Perguntou novamente o professor.
-Sim senhor, respondeu o jovem.
O professor indagou: -Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal? Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau? O jovem ficou calado diante de tal resposta e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era uma perda de tempo.
Outro estudante levantou a mão e disse: -Posso fazer uma pergunta, professor? -Lógico, foi a resposta do professor.
O jovem ficou de pé e perguntou: -Professor, o frio existe?
-Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio? Com uma certa imponência rapaz respondeu: -De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia, o calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor.
-E, existe a escuridão? Continuou o estudante. O professor respondeu temendo a continuação do estudante: Existe!
O estudante respondeu: -Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode-se estudar, a escuridão não! Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores de que está composta, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não!
Continuou: -Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz. Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim?! Escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente. Finalmente, o jovem perguntou ao professor:
-Senhor, o mal existe? Certo de que para esta questão o aluno não teria explicação, professor respondeu: -Claro que sim! Lógico que existe. Como disse desde o começo, vemos estupros, crimes e violência no mundo todo, essas coisas são do mal!
Com um sorriso no rosto o estudante respondeu: -O mal não existe, senhor, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, é o mesmo dos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz.
Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado… Imediatamente o diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome? E ele respondeu: ALBERT EINSTEIN, senhor! Fonte: http://salvavidaspib.wordpress.com/

Igrejas querem promover Brazilian Day Gospel Publicado por Redação em terça-feira - 6 de setembro de 2011

Vários líderes religiosos se reuniram recentemente na sede do Projeto Mantenaem Newark (Nova Jersey) para planejar o primeiro Brazilian Day Gospel nos Estados Unidos, um evento que reunirá vários cantores evangélicos brasileiros.
As igrejas de New Jersey e as de Nova York estão planejando este evento, assim como outras de estados vizinhos que vão se unir para representar estados brasileiros e assim fazer representações com grupos musicais, bandas e apresentações folclóricas de cada estado. A coordenação musical do evento será dirigido pelo Paganini Institute of Music e a International Dance Academy e terá o apoio do Vejatv.com bem como as redes afiliadas.
No Brazilian Day Gospel, as Igrejas terão oportunidade de mostrar seus talentos locais, bem como adquirir barracas de comidas típicas brasileiras. Brazilian Day
O evento acontece todos os anos em Nova York e reúne vários artistas brasileiros. O evento de 2011 aconteceu no último domingo, 4 de setembro, e lotou 14 quarteirões do centro de Manhattan.
Fonte: Gospel Prime
E VOCÊ IRMÃO O QUE PENSA DISTO?
DEIXE SEU COMENTÁRIO.
SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE PARA OS LEITORES.
PAZ SEJA CONTIGO.

Suing the Devil: Filme cristão sobre homem que “processou o diabo” tem participação do Hillsong. Veja o vídeo

A obra australiana estrelada por Malcolm McDowell (ex-Laranja Mecânica), ”Suing the Devil – Processando o Diabo” estreado nos EUA no último dia 26 de agosto traz em seu enredo uma fundamentação de fé a qual leva até o tribunal uma batalha espiritual, que objetiva mostrar das armas utilizadas por satanás para tentar atingis a vida das pessoas.
A história oferece uma visão sobre a ameaça que é o espírito orgulhoso e mostra o lado do poder da oração e a vitória permanente através da fé em Cristo acima das forças “malignas”. “II Coríntios 2:11 diz para não sermos ignorante sobre a estratégias do diabo (…) No entanto, a maioria dos cristãos são tão cego como um morcego.” comenta Tim Chey – escritor e diretor do longa. No filme, Luke O’Brien (Bart Bronson), um zelador por se esforçar tornou-se estudante de direito no período noturno, e processou Satanás (Malcolm McDowell) a pagar US $ 8 trilhões. Satanás, que tem 10 dos melhores advogados do país em sua equipe jurídica, aparece em carne e osso para se defender no último dia antes de ter um julgamento a revelia por Luke. O mundo inteiro assiste a TV Jurídica para ver quem vai ganhar “o julgamento do século”. Atuarão também no filme os atores Corbin Bernsen, Campos Shannen e Rebecca St. James (Desafiando Gigantes), Tom Sizemore e Roslyn Gentil. Além disso, contará com a participação especial do ministério de louvor Hillsong. O filme ganhou uma indicação de uma conceituada Fundação ligada a revista Wired que escolheu os 5 melhores filmes que vão abalar o mundo e o verão nos EUA, no entanto ainda sem previsão para lançamento no Brasil, ele já tem gerado alguns comentários críticos como no blog ‘O contorno da sombra’: “com um único destaque irônico para o momento em que o capeta diz que a sua grande arma é o barulho… no caso do filme, só se for muito barulho por nada. Agora, se o filme chegar a ser lançado no Brasil, vamos ter um grande problema. O que vai ter de “pastor” processando o diabo por um punhado de dólares não é brincadeira…”. Confira trailer do filme ‘ Processando o Diabo – Suing the Devil’:

06/09/2011: Em dia nacional do sexo, mobilização ‘Eu escolhi esperar’ faz campanha #EsperarValeAPena no twitter

A mobilização ‘Eu escolhi esperar’ que promove a cultura do Reino de Deus para relacionamentos, lançou nessa terça feira (6 de setembro) um campanha contra o o dia nacional do sexo, usando a hastag #EsperarValeAPena. O movimento que visa fortalecer os solteiros que tomaram a decisão de esperar o tempo certo, para viver suas experiências sentimentais e sexuais, sendo uma mobilização contra-cultura (em função a sua posição oposta a banalização para os relacionamentos) resolveu movimentar seus seguidores no Twitter para se manisfestarem contra, segundo eles, esta campanha Dia do Sexo criada por uma empresa de camisinhas. O movimento começou assim: “Já que existe o dia do sexo, poderia existir o dia do #EsperarValeAPena. Apoie essa causa no facebook e no Twitter” – Eu escolhi esperar. “Campanha para fortalecer nossos jovens solteiros em pleno dia do sexo #EsperarValeApena se você apóia crie uma frase e twitte. =)” – Eu escolhi esperar, no twitter. A hastag permaneceu durante a terça feira toda ocupando o 2° lugar nos TT’s (Trending Topics) brasileiro, com o apoio de vários jovens, pastores e cristãs que buscavam a fortalecer a solteiros em pleno dia do sexo. “Porque o verdadeiro amor espera #EsperarValeApena ” Quem não está disposto a esperar um só dia será incapaz de amar para sempre” JPII”, tuita @adriano_rvj. “Casei guardando este princípio: “A herança possuída antecipadamente não será abençoada no seu fim” (Pv 20.21). E proclamo: #EsperarValeAPena“. Por: Pastor Luciano Subirá – Comunidade Alcance @LucianoSubira. “Meninas, um rapaz não precisa desabotoar sua camisa p/ ter uma visão melhor do seu coração!!! #EsperarValeApena” – @Altomir “SEXOOOOOOOO, DROGASSSSS, FESTASSSS Agora q eu tenho sua atenção: Se liga: Nada disso se Compara a Presença de Deus #EsperarValeapena” – @Guilhermefbs. “O G1 acabou de noticiar o @EscolhiEsperar com a TAG #EsperarValeapena vejam: http://glo.bo/ntMOQ2“. Por: @lucassouzabanda. Fonte: Gospel+ / @Euescolhiesperar / Eu Escolhi Esperar-Facebook

ESTUDO SOBRE A ORAÇÃO

Deus tem um propósito a realizar, mas ele precisa que o homem esteja disposto a orar, para que se estabeleça Sua vontade aqui na Terra, está é a função da oração, preparar um caminho para que Deus realize Sua vontade, assim como uma locomotiva necessita dos trilhos para andar, Deus necessita da oração do homem para levar adiante Sua vontade, sendo assim o homem deve fazer com que sua vontade seja unida com a vontade de Deus para que se estabeleçam seus designos, como podemos ver em 1 Jo 5:14-15 "E esta é a confiança que temos para com ele, que, se pedirmos alguma cousa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.", a oração tem como objetivo que nós venhamos a fazer com que a vontade de Deus se estabeleça aqui na terra, desta forma, devemos conhecer melhor a vontade de Deus, para que nossas orações sejam agradáveis a Deus e nossos propósitos sejam cumpridos. A oração é o estabelecimento de um diálogo do homem com Deus, sendo que, devemos estar atentos a resposta de Deus, que vem através de nosso espírito ou através das circunstâncias exteriores. É através da oração que nós colocamos nossas ansiedades nas mãos de Deus, crendo que Ele é poderoso para nos dar paz interior, e resolver nossos problemas da melhor maneira possível para nosso crescimento espiritual. Quando somos iluminados por Deus, em nossa consciência, de nossos pecados, nós devemos imediatamente pedir perdão a Deus, através da oração, pedindo para sermos lavados pelo seu sangue, e nossos pecados seram perdoados. Devemos estar sempre orando, para sermos guardados das tentativas de satanás de nos levar ao pecado. Podemos dizer que a oração é o nosso termômetro espiritual, quando nós não conseguimos orar, indica que não estamos bem espiritualmente. Devemos aprender a observar o falar divino, em nosso espírito, enquanto estamos orando, pois Deus se comunica conosco através de nossa intuição, que é uma das partes do nosso espírito, mas cabe a nós, utilizando o nosso conhecimento bíblico, discernirmos se é ou não de Deus este falar, pois o inimigo pode também tentar nos enganar, lançando pensamentos em nossa mente que sutilmente nos induziram ao pecado. Vamos analisar o trecho da Bíblia mais importante sobre a oração, que se encontra em Mt 6:5-13: 5 E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. 6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. 7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos. 8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais. 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10 venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; 11 o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; 12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; 13 e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém! A oração não é algo formal, para atrair a atenção do homens, como faziam os fariseus, e por isso foram condenados (v. 5). Eles estavam acostumados a orar formalmente 18 vezes ao dia, segundo as leis herdadas dos antepassados, e observavam com rigor pontual os horários destinados à oração, onde quer que estivessem. Por isso, com freqüência eram obrigados a orar em público, e os judeus, admirados, sempre os surpreendiam em sua prática nas esquinas das ruas. A oração passou a ter , então, caráter de mero ritualismo, sem consistência espiritual, onde o que contava era a exterioridade sofisticada de palavras vazias para receber o louvor humano. A oração também não é como a reza, uma repetição interminável de enunciados que não traduzem os sentimentos do coração (v. 7). Este era o costume dos gentios, adeptos das religiões politeístas, que horas a fio repetiam mecanicamente as mesmas palavras diante de seus deuses, o que mereceu a veemente reprovação do Senhor Jesus, pois o mesmo estava ocorrendo com os praticantes da religião judaica. Afinal o que é a oração? A melhor definição encontra-se, é obvio, na Bíblia. Nenhum conceito teológico expressa com a mesma clareza e simplicidade o que ela significa. A oração é segundo as Escrituras, uma via de mão dupla através da qual o crente , com se clamor, chega à presença de Deus, e este vem ao seu encontro, com as respostas (Jr 33:3 " Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes."). A oração é fruto espontâneo da consciência de um relacionamento pessoal com o Todo-Poderoso, onde não há espaço para o monólogo, pois quem ora não apenas fala, mas também precisa estar disposto a ouvir. É um diálogo onde o crente aprofunda sua comunhão com Deus e ambos conversam numa linguagem que tem como intérprete o Espírito Santo (Rm 8:26-27 "Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.") . A Bíblia é o livro da oração . Suas páginas evocam grandes momentos da história humana que foram vividos em oração. Compare Js 10:12-15 "e os sidônios, e os amalequitas, e os maonitas vos oprimiam, e vós clamáveis a mim, não vos livrei eu das suas mãos? Contudo, vós me deixastes a mim e servistes a outros deuses, pelo que não vos livrarei mais. Ide e clamai aos deuses que escolhestes; eles que vos livrem no tempo do vosso aperto. Mas os filhos de Israel disseram ao SENHOR: Temos pecado; faze-nos tudo quanto te parecer bem; porém livra-nos ainda esta vez, te rogamos.;" e 2 Rs 6:17 "Orou Eliseu e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O SENHOR abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.". Desde o seu primeiro livro, Gênesis, até Apocalipse, fica claro que orar é parte da natureza espiritual do ser humano, assim como a nutrição é parte do seu sistema fisiológico. Os grandes fatos escatológicos, como previstos no último livro da Bíblia, serão resultado das orações dos santos, que clamam a Deus ao longo dos séculos pelo cumprimento de sua justiça (Ap 5:8 "e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos,"; Ap 8:3-4 "Veio outro anjo e ficou de pé junto ao altar, com um incensário de ouro, e foi-lhe dado muito incenso para oferecê-lo com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que se acha diante do trono; e da mão do anjo subiu à presença de Deus a fumaça do incenso, com as orações dos santos."). Orar não pode ser visto como ato de penitência para meramente subjugar a carne. Em nenhum momento a Bíblia traz esta ênfase. Oração não é castigo (assim como a leitura das Escrituras), idéia que alguns pais equivocadamente passam para os filhos, quando os ordena a orar como disciplina por alguma desobediência. Eles acabam criando uma verdadeira repulsa à vida de oração, desconhecendo o verdadeiro valor que ela representa para as suas vidas, por terem aprendido pela prática a reconhecê-la apenas como meio de castigo pessoal. Ao contrário, se aprenderem que orar é ato que eleva o espírito e brota de maneira espontânea do coração consciente de sua indispensabilidade, como ensina a Bíblia, saberão cultivar a oração como exercício de profunda amizade com Deus que resulta em crescimento espiritual (Cl 1:9 " Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual;"). De igual modo, o mesmo acontecerá conosco. Podemos observar o valor da oração, observando os heróis da fé, descritos em Hebreus 11, que exercitam sua fé através da oração. Não só eles, mas outros personagens da Bíblia tiveram igual experiência. Abraão subiu ao monte Moriá, para o sacrifício de Isaque, porque seu nível de comunhão com Deus através da oração era tal que ele sabia tratar-se de uma prova de fé (Gn 22:5-8 "Então, disse a seus servos: Esperai aqui, com o jumento; eu e o rapaz iremos até lá e, havendo adorado, voltaremos para junto de vós. Tomou Abraão a lenha do holocausto e a colocou sobre Isaque, seu filho; ele, porém, levava nas mãos o fogo e o cutelo. Assim, caminhavam ambos juntos. Quando Isaque disse a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? Respondeu Abraão: Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto; e seguiam ambos juntos."). É o exemplo da oração que persevera e confia. Enoque vivênciou a oração de maneira tão intensa que a Bíblia o denomina como aquele que andava com Deus (Gn 5:24 "Andou Enoque com Deus e já não era, porque Deus o tomou para si."). É o exemplo da oração em todo o tempo. Moisés trocou a honra e a opulência dos palácios egípcios porque teve o privilégio de falar com o Senhor face a face e com ele manter íntima comunhão por toda a vida , ver Êx 3:1-22 e Ex 4:1-17, ele é o exemplo da oração que muda as circunstâncias. Entre os profetas destaca-se, Elias, cujo exemplo Tiago aproveita para ensinar que o crente sujeito às mesmas fraquezas, pode diante de Deus (Tg 5:17-18 "Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu. E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos."). É o exemplo da oração que supera as deficiências humanas. Esses heróis são as testemunhas mencionadas em Hb 12:1 "Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta,". Ou seja, se eles, que não viveram na dispensação do Espírito Santo, tiveram condições de viver de modo tão intenso na presença de Deus, quanto mais o crente, hoje, que conta com o auxílio permanente e direto do Espírito Santo, movendo-o para uma vida de oração. Todos os crentes necessitam, devem e podem ter mesma vida de oração que os santos da Bíblia e tantos outros que a história eclesiástica registra, como George Muller, João Hide, Lutero e Watman Nee. O maior exemplo de oração, no entanto, foi o próprio Mestre. Sendo ele o Filho de Deus, cujos atributos divinos lhes asseguravam o direito de agir sobrenaturalmente, podia dispensar a oração como prática regular de sua vida. No entanto, ao humanizar-se, esvaziou-se de todas as prerrogativas da divindade e assumiu em plenitude a natureza humana (Fp 2:5-8 "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.") experimentando todas as circunstâncias inerentes ao homem, inclusive a tentação (Hb 4:15 "Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado."; Mt 4:1-11 "A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram."). Ora, isto significa que o Senhor dependeu tanto da oração como qualquer outra pessoa que se proponha a servir integralmente a Deus. Ela foi o instrumento pelo qual pôde suportar as afrontas, não dar lugar ao pecado, tomar sobre si o peso da cruz e vencer o maligno (Mt 26:36-46 "Em seguida, foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar; e, levando consigo a Pedro e aos dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo. Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres. E, voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudestes vós vigiar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Tornando a retirar-se, orou de novo, dizendo: Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. E, voltando, achou-os outra vez dormindo; porque os seus olhos estavam pesados. Deixando-os novamente, foi orar pela terceira vez, repetindo as mesmas palavras. Então, voltou para os discípulos e lhes disse: Ainda dormis e repousais! Eis que é chegada a hora, e o Filho do Homem está sendo entregue nas mãos de pecadores. Levantai-vos, vamos! Eis que o traidor se aproxima."). Os evangelhos registram a vida de oração do Mestre. Ele orava pela manhã (Mc 1:35 "Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava."), à tarde (Mt 14:23 "E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só.") e passava noites inteiras em comunhão com Deus (Lc 6:12 "Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus."). Se Ele viveu esse tipo de experiência 24 horas por dia, de igual modo Deus espera a mesma atitude de cada crente. Não apenas uns poucos minutos, com palavras rebuscadas de falsa espiritualidade, para receber as honras dos homens, mas em todo o tempo, como oferta de um coração que se dispõe a permanecer humildemente no altar de oração. A oração modelo, registrada em Mt 6:9-13, não é simplesmente uma fórmula para ser repetida. Se assim fosse, o Mestre não teria condenado as "vãs repetições" dos gentios. Seria uma incongruência. O seu propósito é revelar os pontos principais que dão forma ao conteúdo da oração cristã. Ela não é uma oração universal, mas se destina exclusivamente àqueles que podem reconhecer a Deus como Pai, por intermédio de Jesus Cristo. A oração do crente, sincera e completa em seu objetivo, traz em si estes aspectos: Reconhecimento da soberania divina (Pai nosso, que estás nos céus,); Reconhecimento da santidade divina (santificado seja o teu nome;); Reconhecimento da vinda do reino no presente e sua implantação no futuro (venha o teu reino;); Submissão sincera à vontade divina (faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;) Reconhecimento que Deus supre as nossas necessidades pessoais (11 o pão nosso de cada dia dá-nos hoje;); Disposição de perdoar para receber perdão (e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores;); Proteção contra a tentação e as ações malignas (e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal); Desprendimento para adorar a Deus em sua glória (pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!). Os requisitos para que uma oração seja eficaz são: Nossas orações não serão atendidas se não tivermos fé genuína, verdadeira (Mc 11:24 "Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco."; Mc 9:23 "Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes! Tudo é possível ao que crê."; Hb 10:22 "aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura.", Tg 1:17 " Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança."; Tg 5:15 "E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados."). Nossas orações devem ser feitas em nome de Jesus, ou seja, devem estar em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor (Jo 14:13-14 "E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei."). A nossa oração deve ser feita segundo a vontade de Deus que muitas vezes nos é revelada pela sua palavra, que por sua vez deve ser lida com oração (Ef 6:17-18 "Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos", 1 Jo 5:14 " E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.", Mt 6:10 "venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;"; Lc 11:2 "Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;"; Mt 26:42 "Tornando a retirar-se, orou de novo, dizendo: Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade.") . Devemos andar segundo a vontade de Deus, amá-lo e agradá-lo para que Ele atenda as nossas orações (Mt 6:33 "33 buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."; 1 Jo 3:22 "e aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável.", Jo 15:7 "Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito."; Tg 5:16-18 "Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.", Sl 66:18 "Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido.", Pv 15:8 "O sacrifício dos perversos é abominável ao SENHOR, mas a oração dos retos é o seu contentamento."). Finalmente, para uma oração eficaz, precisamos ser perseverantes (Mt 7:7-8 "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á."; Cl 4:2 "Perseverai na oração, vigiando com ações de graças."; 1 Ts 5:17 "Orai sem cessar."; Sl 40:1 "Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro."). Em princípio, o crente deve orar em todo o tempo (1Ts 5:17 "Orai sem cessar."; Ef 6:18 "com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos"). É um estado permanente de comunhão com Deus, onde o seu pensar está ligado as coisas que são do alto (Cl 3:2 "Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra;"). É uma condição que não dá lugar para ser atingido pelos dardos inflamados do inimigo, pois seu espírito está sempre alerta, através da oração. Ele deve, no entanto, ter momentos específicos de oração pela manhã, à tarde ou à noite, como fez o nosso Senhor Jesus. Orações públicas, como as que se fazem nos cultos, são também uma prática bíblica, desde que não repitam o formalismo, a exterioridade e a hipocrisia dos fariseus. O Senhor Jesus mesmo, por diversas vezes, orou publicamente (Jo 11:41-42 "Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste."). O lugar onde se mede a intensidade da comunhão do crente com Deus é no seu "lugar secreto" (Mt 6:6 "Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.") para estar a sós com o Senhor. É ali, sozinho, com as portas fechadas para as coisas que o cercam e abertas para o Senhor, que ele de fato revela se a oração é para si mera formalidade ou meio que o conduz à presença de Deus para um diálogo íntimo, pessoal e restaurador com Aquele que deseja estar lado a lado com seus filhos. "A menos que exista tal lugar, a oração pessoal não se manterá por muito tempo nem de maneira persistente". A oração do crente não tem como propósito atrair a atenção dos homens, mas é o meio por excelência de seu encontro pessoal com Deus, para que cresçamos em fé e vivamos uma vida cheia do Espírito Santo, guardando-nos do maligno. Jesus é o Senhor. Amém.

LIVRO DE JUDAS

Escritor: Judas Lugar da Escrita: Palestina (?) Escrita Completada: c. 65 EC O livro de Judas é o de número 65 no cânon das Escrituras. Os irmãos cristãos de Judas estavam em perigo! Durante o tempo que decorrera desde a morte e ressurreição de Cristo Jesus, elementos estranhos se introduziram na congregação cristã. O inimigo se infiltrara com o fim de minar a fé, precisamente como o apóstolo Paulo avisara uns 14 anos antes. (2 Tes. 2:3) Como alertar os irmãos e colocá-los de sobreaviso contra tal perigo? A carta de Judas, vigorosa e forte nas suas declarações sem rodeios, fornecia a resposta. O próprio Judas declarou sua posição claramente, nos versículos 3 e 4: ‘Achei necessário escrever-vos, porque se introduziram sorrateiramente certos homens, homens ímpios, que transformam a benignidade imerecida de nosso Deus numa desculpa para conduta desenfreada.’ Os próprios fundamentos da doutrina sã e da moralidade estavam sendo ameaçados. Judas sentiu-se impelido a lutar pelos interesses de seus irmãos, para que eles, por sua vez, travassem uma luta árdua pela fé. Mas, quem era Judas? As palavras introdutórias nos informam que a carta foi escrita por “Judas, escravo de Jesus Cristo, mas irmão de Tiago, aos chamados”. Era Judas um apóstolo, visto que 2 dos 12 apóstolos originais de Jesus se chamavam Judas? (Luc. 6:16) Judas não diz ser um dos apóstolos, mas, ao invés, fala sobre estes na terceira pessoa do plural, a saber, “eles”, excluindo claramente a si próprio. (Judas 17, 18) Além do mais, chama a si mesmo “irmão de Tiago”, referindo-se evidentemente ao escritor da carta de Tiago, que era meio-irmão de Jesus. (V. 1) Sendo este Tiago uma das “colunas” da congregação de Jerusalém, era bem conhecido, por conseguinte, Judas identifica-se com ele. Isto faz de Judas também um meio-irmão de Jesus, e é alistado como tal. (Gál. 1:19; 2:9; Mat. 13:55; Mar. 6:3) Contudo, Judas não tirou partido de seu parentesco carnal com Jesus, mas, com humildade, deu ênfase à sua relação espiritual como “escravo de Jesus Cristo”. — 1 Cor. 7:22; 2 Cor. 5:16; Mat. 20:27. A autenticidade deste livro da Bíblia é sustentada pela menção dele no Fragmento Muratoriano, do segundo século EC. Além disso, Clemente de Alexandria (do segundo século EC) o aceitou como canônico. Orígenes referiu-se a ele como sendo obra “de apenas poucas linhas, contudo, cheia de palavras salutares de graça celestial”. Tertuliano também o considerava autêntico. Não resta dúvida de que tem seu lugar entre as demais Escrituras inspiradas. Judas escreve “aos chamados”, não especificando nenhuma congregação ou pessoa determinada, de modo que a sua epístola é uma carta geral para circulação ampla entre todos os cristãos. Embora não esteja declarado, o lugar mais provável da escrita é a Palestina. É, também, difícil fixar a data com certeza. Entretanto, o desenvolvimento da congregação cristã devia estar bem avançado quando foi escrita, pois Judas chama atenção para as “declarações feitas anteriormente pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo”, e, pelo que parece, cita 2 Pedro 3:3. (Judas 17, 18) Além do mais, há forte similaridade entre Judas e o segundo capítulo de Segunda Pedro. Isto indica que escreveu por volta do mesmo tempo que Pedro, ambos estando profundamente preocupados com o perigo para a congregação naquele tempo. Portanto, sugere-se o ano 65 EC como data aproximada. Esta data é também apoiada por Judas não mencionar Céstio Galo que entrou em ação para sufocar a revolta dos judeus em 66 EC, tampouco menciona ele a queda de Jerusalém em 70 EC. Na sua epístola, Judas se refere a julgamentos divinos específicos, executados contra os pecadores, e é lógico que, se Jerusalém já tivesse caído, teria fortalecido o seu argumento por mencionar esta execução de julgamento, especialmente visto que Jesus predissera tal evento. — Judas 5-7; Luc. 19:41-44.
PORQUE NUNCA SE FALA DO LIVRO DE JUDAS?
ELE TEM O NOME DO HOMEM QUE TRAIU JESUS.
MAS NÃO ERA O MESMO , NOMES IDÊNTICOS.
PERSONALIDADES COMPLETAMENTE DIFERENTES.
ELE FICOU ESQUECIDO, MAS ELE NÃO TEM CULPA DE NADA.
ELE AMOU A JESUS INTENSAMENTE .
NUNCA OU QUASE NUNCA, SE LEMBRA DE ESTUDAR A RESPEITO DO LIVRO DE JUDAS.
SERÁ QUE TEMOS MEDO DE SE PRONUNCIAR ESTE NOME?
BEM SEI QUE ELE SOFREU COM A ATITUDE DO TRAIDOR , MAS ELE NÃO FOI O TRAIDOR.
A TRAIÇÃO DE JUDAS, RESPINGOU EM JUDAS AMIGO DE JESUS.
PORQUE NÃO SE FALAR DELE?
ELE NÃO TEVE CULPA DE NADA, APOSTOLO INTEGRO E AMIGO DE JESUS.
SEMPRE FIEL A JESUS.
LEMBREMOS DELE COMO EXEMPLO DE BONDADE E DEDICAÇÃO AO MESTRE.
NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.
AMÉM.
By Célia Goulart

Vereador Carlos Apolinário, evangélico que criou o Dia do Orgulho Hétero, sofre ameaças por telefone e por hackers

O autor de um projeto lei que institui o Dia do Orgulho Heterossexual na cidade de São Paulo, Carlos Apolinário, disse ao R7 que recebeu ameaças por telefone em seu gabinete na Câmara Municipal no começo da tarde desta quinta-feira (4). O projeto ainda deve ser sancionado pelo prefeito da cidade, Gilberto Kassab (sem partido) para que entre oficialmente no calendário da cidade. Além das ameaças, nesta quinta-feira, o site oficial de Apolinário foi invadido por hackers com uma mensagem que diz que ele insiste em “propor leis que contribuem para propagação de ódio e discriminação”. O invasor se identifica por figli tariki shmotov – RedHack Brasil. Segundo a assessoria de imprensa do vereador, os 3.000 cadastrados no site receberam um informativo que afirma que “um homossexual é morto a cada 36h”. Além disso, o texto fala que este tipo de crime aumentou 113% nos últimos cinco anos e em 2010, foram 260 mortos. E ainda afirma que “nos três primeiros meses deste ano” foram 65 assassinatos. Segundo Apolinário, quem invadiu o site não “sabe discutir no plano das ideias”. - Essas pessoas são violentas na forma de agir. Não aceitam opinião contrária a deles. Apesar das ameaças, não estou com medo de nada. Parece que o ser humano gay tem mais valor que os outros. Bastou que esse projeto seja aprovado para que as pessoas me afrontassem na internet, nos blogs, nos jornais. Para o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Tony Reis, “apesar do pensamento homofóbico de Apolinário, a ação dos hackers não se justifica. - Isso que fizeram é crime. O site é a propriedade da pessoa. Me solidarizo com ele porque estas coisas devem ser discutidas no mundo das ideias. Pedido ao Kassab Após a aprovação da lei pela Câmara nesta terça-feira (2), a ABGLT enviou uma carta ao prefeito de São Paulo para que ele não sancione este projeto lei. Para Reis, é válido as pessoas sentirem orgulho “de ser quem são”, mas ela incentiva ainda mais o preconceito contra homossexuais. Na manhã desta quinta-feira, o presidente contou que recebeu um e-mail da CADS/SP (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo) que se disse contrário à motivação e às justificativas para que se instituísse o Dia do Orgulho Heterossexual. Procurado pelo R7, assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo disse que o prefeito determinou que o projeto “seja analisado para depois se manifestar”. Fonte: R7 Publicado por Renato Cavallera (perfil no G+ Social) em 5 de agosto de 2011

Veto de Kassab é “tratado a favor dos gays”, diz

“Um tratado a favor dos gays”. É assim que o vereador Carlos Apolinário (DEM), autor do projeto de lei que sugeria a criação do Dia do Orgulho Heterossexual na capital paulista, classifica o veto do prefeito Gilberto Kassab. Para o parlamentar, houve”excesso de propaganda dos homossexuais” no texto assinado pelo chefe do Executivo municipal, publicado nesta quarta-feira (31), no Diário Oficial da cidade de São Paulo.
- Não foi um veto simples. Para poder vetar uma data, foram feitas cinco páginas. Nunca vi isso. Cinco páginas em que é realizada toda uma defesa não só do gay, mas do homossexualismo (sic), dos programas de governo a favor dos gays. É um veto que gera uma propaganda de tudo aquiloque combato, que são os privilégios para os homossexuais. O prefeito poderia vetar a data, dizendo que não é importante, que pode gerar algum ato de homofobia. Só isso. Mas ele fez um tratado a favor do gays – critica.
Em relação aos trechos do texto em que Kassab aponta a inconstitucionalidade e a ilegalidade do projeto de lei e frisa que a matéria é contrária ao interesse público, Apolinário rebate: - Mas qual interesse público? Como a gente interpreta”contrário ao interesse público”? Você tem aqui, na Câmara, por exemplo, o Dia do Anão. Ele é a favor ou contrário ao interesse público? O Dia da Pizza, que o prefeito sancionou no ano passado, é favorável ou contrário ao interesse público? Se você entrar no site da Folha de S. Paulo vai ver uma pesquisa que diz: 53% das pessoas são favoráveis ao “Dia do Orgulho Hétero” e 47% são contrárias. O que é interesse público: 43 ou 57%? O prefeito foi vago.
Na justficativa do veto, o prefeito argumenta ainda que o “Diado Orgulho Heterossexual, cuja comemoração anual dar-se-á na semana do natal, estará associado ao resguardo da moral edos bons costumes. Logo, não é necessário fazer grande esforço interpretativo para ler, nas entrelinhas do pretendido preceito, que apenas e tão só a heterossexualidade deve ser associada à moral e aos bons costumes, indicando, ao revés, que a homossexualidade seria avessa a essa moral e a esses bons costumes”. O autor do projeto, entretanto, contemporiza: - Quer dizer que a moral e os bons costumes passaram a ser uma coisa errada? O que são a moral e os bons costumes na concepção da data? Eu não estou falando de gay, estou falando do dia do hétero e dizendo que nesse dia o prefeito deveria fazer propaganda da moral e dos bons costumes. Não estou mandando falar mal do gay. Moral e bons costumes são para todas as pessoas, inclusive homossexuais. Quando eu falo em zelar pelos bons costumes, eu me refiro àquilo que é feito em público. Seja hétero ou gay – defende-se.
Mas, em seguida, ele admite o desconforto de ver casais do mesmo sexo se beijando. - Quando falo dos gays, não me refiro ao ato que eles praticam com os companheiros deles. Eu falo dos privilégios. Aí, eu cito a (Avenida) Paulista, eu cito a questão das camisinhas e do gelque foram distribuídos e os excessos, como exemplo, um beijaço que foi feito num restaurante. Mesmo que o dono do restaurante tivesse sido homofóbico, eles deveriam processar o dono, tomar as medidas judiciais cabíveis. Você está dentro do restaurante com sua família, aí, entrarm 20 casais, mesmo que fossem héteros, e ficam se beijando. Como você se sente? Se sente mal. E se você vir duas pessoas do mesmo sexo – o que a sociedade ainda não se acostumou -, isso claro, chama muito mais a atenção. A gente não pode ser hipócrita. É desagradável ver hétero se excedendo, mas é mais desagradável ver dois homens e duas mulheres se beijando. Vai chegar um dia, eu não tenho nenhuma dúvida, que veremos dois homens ou duas mulheres se beijando e ninguém vai sentir isso como agressão ou ato exagerado. Masisso é uma conquista. Sobre a afirmação apresentada no texto do veto de que “a carta de lei vinda à sanção mal disfarça o preconceito contra a homossexualidade”, Apolinário ironiza: - O que me parece é que foi feito (redigido) lá pelos LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais). São gays da prefeitura, que trabalham na máquina, e que, com certeza, pediram opinião dos LGBTs e estão fazendo média com eles. Homossexuais comemoram
A confirmação do veto ao Dia do Orgulho Heterossexual foi comemorada pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT). Em nota, a entidade congratulou Kassab pela iniciativa e destacou que o veto “desmascarava a verdadeira intenção do projeto”. - Apraz-nos que, com o veto, tenham prevalecido os preceitos constitucionais e os valores estabelecidos na Lei Orgânica da Cidade de São Paulo, no que diz respeito à dignidade humana, à não discriminação e à justiça social, entre outros.
Deixo aqui uma pergunta.
Qual a lei que protege os héteros???
Porque tanta discriminação a respeito de ser hétero, acho que os héteros são muito mais perseguidos do que os homossexuais.
Quantos héteros são espancados mortos e ninguém faz nada.
Que sociedade é esta?
Não temos o direito de escolha.
Qual a lei que nós protegerá???
Estamos a deriva, e a lei esta contra nós.
Queremos uma lei que nós proteja e que nós dê o direito de escolha.
De poder dizer livremente sou heterossexual e está é a minha escolha.
É isto que quero para minha vida, deixe-me viver em paz.
Este é o grito de todos os héteros, deixe-me ser feliz na minha escolha.
É isto que quero para mim...
POSSO???
OBSERVAÇÃO : NÃO SOU A FAVOR DA VIOLÊNCIA, ISTO NÃO.
SÓ QUEREMOS O DIREITO DE PODER FAZER NOSSAS ESCOLHAS.
OBRIGADO POR NÓS ENTENDER.
By Célia Goulart

Salmos 78

ESCUCHA, pueblo mío, mi ley: Inclinad vuestro oído á las palabras de mi boca. Abriré mi boca en parábola; Hablaré cosas reservadas de antiguo: Las cuales hemos oído y entendido; Que nuestros padres nos las contaron. No las encubriremos á sus hijos, Contando á la generación venidera las alabanzas de Jehová, Y su fortaleza, y sus maravillas que hizo. El estableció testimonio en Jacob, Y pusó ley en Israel; La cual mandó á nuestros padres Que la notificasen á sus hijos; Para que lo sepa la generación venidera, y los hijos que nacerán; Y los que se levantarán, lo cuenten á sus hijos; A fin de que pongan en Dios su confianza, Y no se olviden de las obras de Dios, Y guarden sus mandamientos: Y no sean como sus padres, Generación contumaz y rebelde; Generación que no apercibió su corazón, Ni fué fiel para con Dios su espíritu. Los hijos de Ephraim armados, flecheros, Volvieron las espaldas el día de la batalla. No guardaron el pacto de Dios, Ni quisieron andar en su ley: Antes se olvidaron de sus obras, Y de sus maravillas que les había mostrado. Delante de sus padres hizo maravillas En la tierra de Egipto, en el campo de Zoán. Rompió la mar, é hízolos pasar; E hizo estar las aguas como en un montón. Y llevólos de día con nube, Y toda la noche con resplandor de fuego. Hendió las peñas en el desierto: Y dióles á beber como de grandes abismos; Pues sacó de la peña corrientes, E hizo descender aguas como ríos. Empero aun tornaron á pecar contra él, Enojando en la soledad al Altísimo. Pues tentaron á Dios en su corazón, Pidiendo comida á su gusto. Y hablaron contra Dios, Diciendo: ¿Podrá poner mesa en el desierto? He aquí ha herido la peña, y corrieron aguas, Y arroyos salieron ondeando: ¿Podrá también dar pan? ¿Aparejará carne á su pueblo? Por tanto oyó Jehová, é indignóse: Y encendióse el fuego contra Jacob, Y el furor subió también contra Israel; Por cuanto no habían creído á Dios, Ni habían confiado en su salud: A pesar de que mandó á las nubes de arriba, Y abrió las puertas de los cielos, E hizo llover sobre ellos maná para comer, Y dióles trigo de los cielos. Pan de nobles comió el hombre: Envióles comida á hartura. Movió el solano en el cielo, Y trajo con su fortaleza el austro. E hizo llover sobre ellos carne como polvo, Y aves de alas como arena de la mar. E hízolas caer en medio de su campo, Alrededor de sus tiendas. Y comieron, y hartáronse mucho: Cumplióles pues su deseo. No habían quitado de sí su deseo, Aun estaba su vianda en su boca, Cuando vino sobre ellos el furor de Dios, Y mató los más robustos de ellos, Y derribo los escogidos de Israel. Con todo esto pecaron aún, Y no dieron crédito á sus maravillas. Consumió por tanto en nada sus días, Y sus años en la tribulación. Si los mataba, entonces buscaban á Dios; Entonces se volvían solícitos en busca suya. Y acordábanse que Dios era su refugio. Y el Dios Alto su redentor. Mas le lisonjeaban con su boca, Y con su lengua le mentían: Pues sus corazones no eran rectos con él, Ni estuvieron firmes en su pacto. Empero él misericordioso, perdonaba la maldad, y no los destruía: Y abundó para apartar su ira, Y no despertó todo su enojo. Y acordóse que eran carne; Soplo que va y no vuelve. ¡Cuántas veces lo ensañaron en el desierto, Lo enojaron en la soledad! Y volvían, y tentaban á Dios, Y ponían límite al Santo de Israel. No se acordaron de su mano, Del día que los redimió de angustia; Cuando puso en Egipto sus señales, Y sus maravillas en el campo de Zoán; Y volvió sus ríos en sangre, Y sus corrientes, porque no bebiesen. Envió entre ellos una mistura de moscas que los comían, Y ranas que los destruyeron. Dió también al pulgón sus frutos, Y sus trabajos á la langosta. Sus viñas destruyó con granizo, Y sus higuerales con piedra; Y entregó al pedrisco sus bestias, Y al fuego sus ganados. Envió sobre ellos el furor de su saña, Ira y enojo y angustia, Con misión de malos ángeles. Dispuso el camino á su furor; No eximió la vida de ellos de la muerte, Sino que entregó su vida á la mortandad. E hirió á todo primogénito en Egipto, Las primicias de las fuerzas en las tiendas de Châm. Empero hizo salir á su pueblo como ovejas, Y llevólos por el desierto, como un rebaño. Y guiólos con seguridad, que no tuvieron miedo; Y la mar cubrió á sus enemigos. Metiólos después en los términos de su santuario, En este monte que ganó su mano derecha. Y echó las gentes de delante de ellos, Y repartióles una herencia con cuerdas; E hizo habitar en sus moradas á las tribus de Israel. Mas tentaron y enojaron al Dios Altísimo, Y no guardaron sus testimonios; Sino que se volvieron, y se rebelaron como sus padres: Volviéronse como arco engañoso. Y enojáronlo con sus altos, Y provocáronlo á celo con sus esculturas. Oyólo Dios, y enojóse, Y en gran manera aborreció á Israel. Dejó por tanto el tabernáculo de Silo, La tienda en que habitó entre los hombres; Y dió en cautividad su fortaleza, Y su gloria en mano del enemigo. Entregó también su pueblo á cuchillo, Y airóse contra su heredad. El fuego devoró sus mancebos, Y sus vírgenes no fueron loadas en cantos nupciales. Sus sacerdotes cayeron á cuchillo, Y sus viudas no lamentaron. Entonces despertó el Señor á la manera del que ha dormido, Como un valiente que grita excitado del vino: E hirió á sus enemigos en las partes posteriores: Dióles perpetua afrenta. Y desechó el tabernáculo de José, Y no escogió la tribu de Ephraim. Sino que escogió la tribu de Judá, El monte de Sión, al cual amó. Y edificó su santuario á manera de eminencia, Como la tierra que cimentó para siempre. Y eligió á David su siervo, Y tomólo de las majadas de las ovejas: De tras las paridas lo trajo, Para que apacentase á Jacob su pueblo, y á Israel su heredad. Y apacentólos con entereza de su corazón; Y pastoreólos con la pericia de sus manos.

Menina se mata por achar que a Virgem iria ressuscitá-la

Itzel Murillo Elvira Lobato, uma jovem mexicana, resolveu no dia 16 de agosto se matar, acreditando que seria ressuscitada em seguida pela Virgemde Guadalupe, porque acreditava que assim chamariaa atenção de seus pais separados, conseguindo reuni-los de novo. Seria o seu presente de aniversário – naquele dia estava completando 10 anos. O corpo da menina foi encontrado dependurado em uma corda. Ela morava com a mãe na cidade de Piedras Negras, Estado de Coahuila, México. Itzel foi influenciada por um capítulo da novela religiosa La Rosa de Guadalupe, da Televisa, no qual uma garota se mata por causa da separação dos pais, mas a Virgem a ressuscita, e a família, comovida, se reconcilia. O slogan da novela é “Um milagre a cada dia”. O México tem 110 milhões de habitantes – desse total, 82,7% são católicos, de acordo com o censo de 2010. O culto a Senhora de Guadalupe é forte em todo o país. Surgiu em 1531 quando o índio Juan Diego Cuauhtlatoatzin disse que uma “Senhora do céu” tinha-lhe aparecido dizendo ser mãe de Deus. As colegas de escola de Itzel disseram que ela estava muito triste por causa da ausência do pai e dizia que a Virgem de Guadalupe ia fazer um milagre para que a família se unisse. Sozinha, a menina passava as tardes em casa assistindo à novela. Uma colega afirmou: “Ela dizia já ter pedido esse milagre à Virgem, mas nunca pensei que pudesse se matar”. Fonte: Paulopes
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32 Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. João 10:7 Isso é vergonhoso, ela não teve o devido esclarecimento da verdade, ela não conhecia as palavras dentro das escrituras. Pois, - ( Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. Mateus 5:21 ) Estas são as verdadeiras palavras da escritura, se as escrituras sagradas ordena que nós não temos o direito de tirar a vida de um semelhante e nem a nossa própria vida. Como pois ela foi contra as escrituras, nesta maneira de pensar tão errônea. ( Erroneamente = Significado: Derivação de errôneo. Aquilo em que há erro, que está errado, inexato ou falso, contrariando a verdade.)
Que Deus tenha piedade desta pobre alma.
Amém.

Cristão convertido é atacado por muçulmanos na Noruega

Um ex-muçulmano convertido ao cristianismo foi atacado com água fervendo e ácido por muçulmanos em um centro de recepção para solicitantes de asilo político na Noruega. De acordo com a agência Mohabat News, Ali (nome fictício), um solicitante de asilo político em um centro de imigrantes em Jaeren, Noruega, teve água fervendo derramada em seu corpo depois que se converteu ao cristianismo e se recusou a obedecer às regras de jejum do ramada. Ele e outros convertidos do centro agora temem por suas vidas. Ainda de acordo com a Mohabat News, o incidente foi acompanhado da mensagem de outros solicitantes de asilo: “Se vocês não retornarem ao islã, nós os mataremos”. Ali não quer revelar seu verdadeiro nome por medo de represálias. A agência noticiou que as autoridades afegãs descobriram sobre o incidente, e que por isso ele estava para ser deportado. Ali teme o risco de ser sentenciado à morte por apedrejamento. Ele sobreviveu ao incidente, mas ficou com as costas desfiguradas, cobertas de pele descamada por baixo das bandagens. Seu companheiro de quarto, Reza, também cristão, tem cuidado de suas feridas que não param de sangrar. Mesmo assim, Ali — com o rosto contorcido em dor — mantém uma voz calma enquanto conta sua história. “Dois residentes muçulmanos me perguntaram por que eu não havia jejuado durante o ramada”. Quando eu me recusei a responder, eles começaram a discutir o assunto. “Um deles me disse que sabia que eu era um muçulmano e que havia me convertido ao cristianismo, e que eles deveriam usar a Jihad” disse Ali à Mohabat News. Ele conta que um dos residentes lhe imobilizou enquanto outro o atingiu atrás da cabeça com uma panela de água fervendo que o fez desfalecer no chão. Vários outros residentes muçulmanos se juntaram ao ataque. Um terceiro homem entrou no quarto de Ali e começou a atacá-lo. De acordo com a agência, a polícia chegou uma hora mais tarde, quando o estrago já havia sido feito. “Eu ainda estava no chão quando a polícia chegou. Tentei contar a eles o que aconteceu, mas estava sentido muita dor e fui levado ao hospital”, conta Ali. Após uma noite no hospital, Ali voltou ao centro de recepção, sabendo que o perigo não havia passado. Quando ele conferiu a maçaneta da porta de seu quarto, descobriu que estava coberta por uma substância ácida que causa queimaduras em contato com a pele. Ele chamou a equipe do centro, que limpou a maçaneta, mas o afegão convertido ainda não se sente seguro. “Eles vão me matar mesmo, não vão descansar até conseguirem”, concluiu Ali. Fonte: Crosswalk
Deem glória a Deus, por vivermos em um país em que possamos ter liberdade de expressar nossa crença.
Pois chegará o dia em que teremos que nos esconder, como os antigos cristãos, para podermos professar a nossa fé no Senhor Jesus.
Deus seja convosco. Amém.
Jesus ama você e morreu por amor a você , lembre-se disso.
Não deixe que nada te separe do amor de Deus.
By Célia Goulart

Kassab veta Dia do Orgulho Hetero por ser ‘homofóbico’

O prefeito de São Paulo, e líder do PSD (legenda política que está sendo criada), Gilberto Kassab, vetou, oficialmente, na quarta-feira (31), o Dia do Heterossexual, projeto do vereador Carlos Apolinário e para o qual Kassab havia anunciado apoio.. A medida foi publicada no Diário Oficial do município. Kassab justifica a decisão por considerar que haveria riscos de se incitar a homofobia na cidade e estimular o preconceito. “O projeto de lei descreve, em vários trechos, condutas atribuídas aos homossexuais, todas impregnadas de sentimentos de intolerância com conotação homofóbica”, diz a explicação do veto. O texto aprovado pelos vereadores associava comportamentos de pessoas homossexuais a conduta “avessa” à “moral e aos bons costumes”. De autoria do vereador Carlos Apolinário (DEM), membro da Igreja Assembleia de Deus, o projeto que instituiria o Dia do Orgulho Hetero foi aprovado no dia 2 de agosto. A comemoração ocorreria no terceiro domingo de dezembro. A iniciativa tinha como objetivo combater “distorções” relacionadas a avanços do movimento de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, incluindo a visibilidade alcançada com a Parada do Orgulho LGBT. Apolinário afirma que se tratava de um “protesto contra privilégios dados aos gays”. Após a aprovação pela Câmara de Vereadores, lideranças do movimento LGBT pleiteavam veto ao projeto, taxado como obscurantista e discriminatório. Um projeto semelhante chegou a ser apresentado na Câmara Federal, em julho, mas não teve tramitação iniciada. A ideia foi levada ao Congresso Nacional pelo deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mas recusada pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Neste mês, Cunha pediu a realização de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e ingressou com recurso contra a recusa de Maia. Fonte: Rede Brasil Atual / Folha Gospel

Vereador quer Bíblia nas escolas como referência para sociedade

O vereador Marcel Alexandre (PMDB), na foto, de Manaus disse reconhecer que o Estado é laico, mas apresentou um projeto de lei que, se aprovado, obriga as bibliotecas e salas de leitura das escolas públicas a terem exemplares da Bíblia. Ele justificou a sua proposta com a percepção de que “faltam referências” hoje em dia para sociedade. “Nesse sentido, o uso da Bíblia não tem caráter religioso, mas sim cultural.” A rigor, independentemente da existência de uma lei, toda biblioteca deveria ter pelo menos um exemplar da Bíblia, como de outros livros religiosos. O vereador, que é evangélico, não incluiu outros livros religiosos no projeto. Aparentemente, o projeto de lei deverá passar com tranquilidade pelas comissões da Câmara Municipal, a começar pela de Constituição e Justiça. O vereador Mário Frota (PDT), presidente dessa comissão, disse que, de fato, se trata de “uma questão cultural”. Para ele, para preservar a laicidade do Estado, o importante é que não se introduza a obrigatoriedade do ensino religioso nas escolas públicas. Antes de ir a plenário, o projeto de lei terá também de ser apreciado pela Comissão de Educação e pela de Finanças e Economia.
Fonte: Paulopes com redação MG

Liderança cristã traça estratégias de evangelismo para Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil

A Igreja Batista da Lagoinha juntamente com outras igrejas estão preparando estratégias de evangelismo para as competições mundiais que acontecerão no Brasil em 2010 e 2016. Um encontro de pastores e ex-atletas feito em um Hotel na região metropolitana de Belo Horizonte – MG – priorizou e definiu estratégias específicas que objetivam ganhar pessoas para Jesus durante o período da ‘Copa do Mundo’ e ‘Olimpíadas’ no Brasil. O pastor Cassie Carstens da International Collision Sport Athletes of Christ – palestrante do encontro – trouxe um direcionamento aos pastores brasileiros, compartilhando sobre os trabalhos de evangelismos realizados por seu ministério. Estavam presentes na reunião líderes de diversos ministérios para discutir métodos de evangelismo e aprender com ps que já fizeram ações em eventos parecidos. Entre eles o pastor Márcio Valadão - Igreja Batista da Lagoinha - o pastor Jeremias, da 8ª Presbiteriana de BH, entre outros que acompanharam a palestra. Fonte: Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.