Grã-Bretanha corta subsídios à escolas que ensinam criacionismo










O Departamento de Educação da Grã-Bretanha refez o texto do acordo que mantém com escolas livres para que, aquelas que ensinam criacionismo nas aulas de ciência, deixem de receber financiamento oficial.

Como não são obrigadas a adotar o currículo nacional, muitas das escolas livres, aquelas que são administradas por seus fundadores (organizações e pessoas) têm a oportunidade de ensinar o criacionismo nas aulas de ciência. A maior parte delas está ligada a grupos religiosos.

No ano passado, mais de 30 cientistas britânicos de renome enviaram ao governo uma petição para acabar com o que, segundo eles, é uma “intromissão do proselitismo religioso” no ensino científico. Entre eles estavam o biólogo Richard Dawkins.

Fonte: O Verbo





Criacionismo:



 A questão sobre as origens do homem remete a um amplo debate, no qual filosofia, religião e ciência entram em cena para construir diferentes concepções sobre a existência da vida humana e, implicitamente, por que somos o único espécime dotado de características que nos diferenciam do restante dos animais.

Desde as primeiras manifestações mítico-religiosas o homem busca resposta para essa questão. Nesse âmbito, a teoria criacionista é a que tem maior aceitação. Ao mesmo tempo, ao contrário do que muitos pensam, as diferentes religiões do mundo elaboraram uma versão própria da teoria criacionista.

A mitologia grega atribui a origem do homem ao feito dos titãs Epimeteu e Prometeu. Epimeteu teria criado os homens sem vida, imperfeitos e feitos a partir de um molde de barro. Por compaixão, seu irmão Prometeu resolveu roubar o fogo do deus Vulcano para dar vida à raça humana. Já a mitologia chinesa atribui a criação da raça humana à solidão da deusa Nu Wa, que ao perceber sua sombra sob as ondas de um rio, resolveu criar seres à sua semelhança.

O cristianismo adota a Bíblia como fonte explicativa sobre a criação do homem. Segundo a narrativa bíblica, o homem foi concebido depois que Deus criou céus e terra. Também feito a partir do barro, o homem teria ganhado vida quando Deus assoprou o fôlego da vida em suas narinas. Outras religiões contemporâneas e antigas formulam outras explicações, sendo que algumas chegam a ter pontos de explicação bastante semelhantes.

Sendo um tema polêmico e inacabado, a origem do homem ainda será uma delicada questão capaz de se desdobrar em outros debates. Dessa forma, cabe a cada um julgar e adotar, por meio de critérios pessoais, a corrente explicativa que lhe parece mais plausível.


Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.