Mudando a rota de Bombordo para Estibordo antes que seja tarde demais




















Bombordo ou a Estibordo?

(A Estibordo ou boreste (EB) em termos náuticos, é o lado direito de quem se encontra numa embarcação, voltado para a sua proa. No francês antigo dizia-se stribord, para “lado direito do navio”. Em português é uma palavra composto por esti + bordo. O lado de estibordo de uma embarcação deverá ser sinalizado, durante a noite, por uma luz de navegação de cor verde. Amurado por bombordo/estibordo é um termo náutico que significa velejar recebendo o vento por bombordo/estibordo. O lado oposto ao estibordo é o bombordo).



A vida toda vivi fora dos desígnios Deus, fazendo o que queria e do jeito que queria. Derrepentemente me vejo com a necessidade de mudar o rumo, saindo de bombordo para estibordo aos 47 anos, encontrar e voltar a qualquer custo para o caminho que Deus tinha pra mim antes de nascer. Uma mudança de rota radical saindo de um lado, para outro, duma hora pra outra, não pode e nem seria fácil, sem dor e dificuldades. Seria mais ou menos como se você estivesse no verão na praia de Copacabana tomando sol e no dia seguinte no frio congelante do Alaska.

Perguntei a Deus: Senhor, porque tantas dificuldades já que escolhi voltar?

A resposta foi: Você mudou tanto o trajeto original que a volta se tornará mais complicada, pois, será preciso deixar de coisas que estão enraizadas em você, muitas já fazem parte do seu ser. Essas coisas enraizadas já se manifestam em sua vida, em seu dia-a-dia automaticamente sem você se dar conta delas. Você não pode entrar em casa sujo do jeito que está. Ao sair do chiqueiro deverá antes limpar-se para poder entrar e conviver com os demais. Lembrei-me nessa hora da Parábola do Filho Pródigo (Evangelho de Lucas capítulo versículos 11 a 32). E, é por aqui que vamos começar a nossa prosa: Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos. (Mateus 22:14) Muitos de nós estamos levando nossas vidas cristã de qualquer jeito, nos preocupamos, porém não muito; não suficientemente necessário para uma comunhão real e verdadeira com Deus. Tendemos a nos enganar criando rotas diferentes das que Deus traçou para nossas vidas. E assim, a cada dia, a cada semana, a cada mês e a cada ano se distanciamos cada vez mais de Deus e da Sua vontade para nossas vidas. Alguns tem a sorte e conseguem voltar, outros morrem no caminho, sem qualquer chance de mudar a rota. O que mais vemos hoje em dia são cristãos perdidos e afundados em informações erradas sobre o cristianismo. Vivem como se fossem piolhos, andando de cabeça em cabeça. Venerando não o EVANGELHO, mas o EUvangelho, não o Cristianísmo mas o Euísmo. O evangelho do EU (Eu mesmo, mais nada e ninguém. O meu Pai, a minha igreja, o meu Deus, o meu milagre e a minha Benção). O Evangelho do que é melhor para mim, o que é mais conveniente, com minha vida, meu trabalho, minha família, meus amigos e meu status.

Mas, para podermos mudar a nossa rota, sair de bombordo para estibordo, precisamos antes saber para onde queremos ir, portanto precisaremos de uma direção e nesses casos será preciso uma boa bússola e um mapa, e no caso dos cristãos uma “Bíblia e uma Igreja com um bom Pastor dentro dela”.

Do contrario, mudaremos a rota, porém, ficaremos a deriva, perdidos num oceano de informações e conceitos errados sobre a bíblia. E as ondas das incertezas nos levarão de um lado para outro… “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos. (Tiago 1:5-8)

“Deus nos mostra o caminho, porem o caminhar fica por nossa conta. Deus providencia o que precisamos, mas o que queremos, teremos que lutar para alcançar.”

Mudar o trajeto é preciso, e devemos aproveitar enquanto temos combustível para voltar a rota original. Você sabe as coordenadas de onde está nesse momento? Sim? Não? Então é bom saber!

Primeiro passo:

A Bíblia nos diz que sem fé é impossível agrada-Lo, então esse deverá ser o seu primeiro passo, “agradar á Deus”.

“Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.” (Hebreus 11: 6)

Segundo passo:

Devemos crer com o coração, e confessarmos com a nossa boca, que Jesus é único Senhor e Salvador de nossas vidas.

“Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” (Romanos 10: 9)

Terceiro passo:

Devemos nos arrepender dos nossos maus caminhos e da nossa vida de pecado, deixando para trás toda a imundícia e impureza e engano dos costumes da carne.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2 Coríntios 5: 17)

Quarto passo:

Devemos buscar uma vida de santificação, sem a qual ninguém verá ao Senhor.

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;” (Hebreus 12: 14)

Quinto passo:

Devemos perseverar até a volta de nosso Senhor, ou até o fim dos nossos dias.

“Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” (Mateus 24: 13)

Sexto passo:

Nosso único meio de salvação é através da obra redentora de Jesus e não há outro nome dado entre os homens pelo qual possamos recebê-la.

“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” (Atos 4: 12)

Uma historinha bem legal, já que estamos falando de assuntos náuticos:

Após um naufrágio, o único sobrevivente agradeceu a Deus por estar vivo tendo conseguido se agarrar em parte dos destroços para poder ficar boiando. Este único sobrevivente foi parar em uma pequena ilha desabitada fora de qualquer rota de navegação, e ele agradeceu novamente.

Com muita dificuldade ele conseguiu montar um pequeno abrigo para que pudesse se proteger do sol, da chuva, dos animais, e como sempre agradeceu.

Nos dias seguintes a cada alimento que conseguia caçar ou colher, ele agradecia. No entanto um dia quando voltava da busca por alimentos, uma forte chuva caiu sobre a ilha e um raio atingiu o seu abrigo deixando-o em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça.

Terrivelmente desesperado ele se revoltou, gritava chorando:
“O pior aconteceu! Perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?”
Chorou e blasfemou tanto, que adormeceu, profundamente cansado.

No dia seguinte bem cedo, foi despertado pelo som de um navio que se aproximava.

– “Viemos resgatá-lo!” – disseram.
– “Como souberam que eu estava aqui?” – perguntou ele.
– “Nós vimos o seu sinal de fumaça!”

Moral da história

É comum sentirmo-nos desencorajados e até desesperados quando as coisas vão mal. Mas Deus sempre age em nosso benefício, mesmo nos piores momentos. by doutorfé.com

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.