Aluno gay processa escola por ter sido proibido de usar camiseta com a frase “Jesus não é homofóbico” Por Dan Martins em 8 de April de 2012











Um estudante da cidade de Waynesville, no estado norte-americano de Ohio, foi ameaçado de expulsão na escola em que estuda por usar uma camiseta contra a homofobia. Maverick Couch, que é homossexual assumido, está processando a escola e o diretor num tribunal de Ohio após ter sido ameaçado de suspensão caso usasse uma camiseta com a mensagem “Jesus não é homofóbico”.

O estudante foi ameaçado de expulsão porque a direção da escola considerou a camiseta ofensiva e inadequada, alegando que a frase estampada nela é de “natureza sexual”.

O estudante falou sobre o caso à WBTV, emissora afiliada da Fox, onde afirmou que “a escola deve ser um lugar em que os estudantes se sintam seguros e à vontade, um lugar onde todos os estudantes possam aprender e aceitar uns aos outros”. Ele disse ainda que “quando esses direitos são desrespeitados não é certo”.

Acionados por uma das organizações mais antigas de defesa de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros dos EUA, a Lambda Legal, sobre o direito do estudante de usar a camiseta, a direção da escola respondeu afirmando que “a mensagem na camiseta do estudante tinha conteúdo sexual, indecente e inapropriado para a escola”.

Na ação movida pela organização junto com o estudante, eles argumentam que a atitude da escola viola a primeira emenda constitucional dos EUA, sobre liberdade de expressão.

Segundo o G1, o advogado do adolescente, Christopher Clark, argumentou sobre a resposta da escola explicando que “sugerir que [a camiseta] é ofensiva, inapropriada ou sexual é realmente um tipo de humilhação à mensagem que Maverick queria passar no Dia do Silêncio”.

Com a repercussão do caso, a escola resolveu permitiu que o aluno vista a camiseta no próximo dia 20 de abril, dia em que é comemorado o Dia do Silêncio, quando acontecem no país protestos contra intimidação de estudantes gays.

Porém o estudante pretende seguir com o processo, para que consiga garantir seu direito de vestir a camiseta quando quiser em não apenas em uma data determinada pela escola, e afirmou: “Eu espero que a escola me ajude a criar um ambiente de aceitação para garotos LGBT, não de punição”.

Fonte: Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.