Líderes da Igreja Anglicana na Inglaterra afirmam que será inevitável que mulheres sejam ordenadas bispas










Após a votação na última semana que negou às mulheres o direito de serem ordenadas episcopisas, ou popularmente, bispas, na Igreja Anglicana da Inglaterra, dois líderes se manifestaram de maneira contundente contra o resultado do Sínodo.
Um dos líderes que publicamente mais se manifesta favorável à ordenança de mulheres ao cargo, Lord Carey, afirmou que sentiu-se “angustiado” com o resultado do sínodo, e revelou temor de que as mulheres que tem servido como pastoras sintam-se traídas: “Nossa Igreja está sendo servida por mulheres excelentes e isso será visto como uma facada nas costas”, lamentou em declaração ao Telegraph.
Já Justin Welby, um dos principais líderes da denominação, afirmou acreditar que o resultado recente será revertido em breve, e a ordenação de mulheres ao episcopado será inevitável: “Está claro que as mulheres irão se tornar bispas da Igreja da Inglaterra [...] Não há dúvida sobre isso”.
Welby fez as declarações durante um encontro na Nigéria, onde foi acompanhado do ex-primeiro ministro da Inglaterra, Tony Blair, tratar de assuntos que envolvem a convivência pacífica entre cristãos e muçulmanos.
Há 20 anos a Igreja Anglicana da Inglaterra abria a possibilidade de mulheres alcançarem o sacerdócio, e agora, rejeitou que suas pastoras pudessem subir mais um degrau na hierarquia eclesiástica.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.