Pastor acusado de chefiar milícia no Rio de Janeiro se entrega à polícia: “Vou provar minha inocência”












Um pastor evangélico é acusado de chefiar uma quadrilha de milicianos apelidada de “Liga da Justiça”, que atua na zona oeste do Rio de Janeiro. Entre as ações da milícia, estariam a prática de extorsão a moradores e agiotagem.
Líder da Igreja Pentecostal Deus é a Luz, o pastor Dijanio Aires Diniz, apelidado pelos criminosos de “Pastor”, se entregou à polícia para esclarecer os fatos: “Sou um homem de Deus. Isso é tudo mentira. Vou provar a minha inocência. Estou aqui para isso”, afirmou o “Pastor”, de acordo com informações do G1.
De acordo com investigações da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco/IE) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público (MP), a sede da igreja Deus é a Luz era usada como escritório da milícia.
Entre as acusações contra o pastor Dijanio, estão a adulteração de combustíveis para financiar a milícia e empréstimo de valores com juros de 30% ao mês, além de ameaças aos devedores, flagradas através de escutas telefônicas feitas pela polícia.
Um HD externo foi apreendido pela polícia na sede da igreja, junto com um cofre e outros documentos, que serão usados como prova nas investigações. Outros integrantes da quadrilha foram presos.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.