“Estou indo para o céu”, disse vítima de estupro coletivo antes de morrer










No final de dezembro uma estudante de fisioterapia de 23 anos morreu no hospital depois de ser estuprada e brutalmente agredida em um ônibus em movimento na capital nacional da Índia. No hospital, em sua última conversa com sua família, a jovem disse que estava indo para o céu.
- Ela fez um gesto com os dedos de que ela estava indo para o céu – afirmou, à BBC, o pai da jovem, que é de religião hindu e não teve o nome divulgado. Ele disse ainda que espera justiça contra os seis acusados do crime, entre eles, um jovem que afirma ser menor de idade e, portanto, não poderia ser condenado a pena de morte. Porém, a polícia está realizando testes para determinar a sua idade real.
- O jovem deve ser punido primeiro … ele foi o único que atraiu a minha filha para o ônibus e a torturou sem piedade. Ele deveria ser enforcado como os outros cinco acusados – disse o pai da vítima ao Economic Times.
De acordo com o The Christian Post, os registros da polícia apontam que o suspeito que alega ser menor de idade estuprou a estudante duas vezes, depois que ela foi atingida com barras de ferro e caiu inconsciente.
A jovem é descrita por todos que a conheciam como uma estudante dedicada, e seu pai conta ainda que ela queria construir um hospital em sua aldeia natal.
- Ela estudava dia e noite. Nós nem sequer sabíamos quando ela dormia e acordava. Ela não tinha medo de ninguém. Nós nunca poderíamos imaginar que tal destino lhe sucederia. Ela nunca deve ter imaginado – disse seu irmão.
O crime aconteceu na noite de 16 de dezembro, quando a mulher embarcou com um amigo em um ônibus privado depois de assistir a um filme em Déli do Sul. O jovem os teria convidado, dizendo que o ônibus estava indo onde queriam ir. Os seis homens dentro do ônibus começaram assediá-la. Quando seu amigo interveio, foi ferido na cabeça com uma barra de ferro por diversas vezes, até ficar inconsciente. Quando a mulher tentou resgatá-lo, eles bateram-na com a mesma barra, então os agressores se revezaram estuprando-a e agredindo-a.
Segundo relatos, os ferimentos indicam que um objeto contundente, possivelmente um macaco de roda enferrujado, pode ter sido usado para a penetração na jovem. O acusado então jogou os dois a partir do ônibus em movimento, e tentou atropelar a vítima. Seu amigo, que recuperou sua consciência no momento, arrastou-a para um canto para salvá-la.
O incidente causou indignação em toda a Índia, onde milhares de cidadãos exigem leis duras de estupro e melhor proteção para as mulheres.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.