O que nos trará o ano de 2013?













O impulso da natureza
Neste ano não haverá fenômenos como o El Niño e a El Niña, segundo o Instituto do Clima e Água e o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária da Argentina. De acordo com seu relatório, as condições necessárias para o desenvolvimento deste eventos climáticos se enfraqueceram, enquanto o Oceano Pacífico equatorial permanece em valores neutros de aquecimentos e as chuvas serão moderadas.
No entanto, o Ministério de Situações de Emergência da Rússia, prevê fortes terremotos no Extremo Oriente, principalmente na ilha de Sakhalin, onde se esperaram tremores de até 7,5 graus na escala Richter. Também prevê tsunamis entre 5 e 8 metros de altura nas ilhas Curilas (no arquipélago russo na foreira com o Japão) e no sul da península de Kamchatka, e adverte sobre os riscos de grandes incêndios florestais em 19 regiões russas, que ameaçara potencialmente varias cidades que estiverem próximas.
Guerra e Paz
Em 2013 pode mudar drasticamente o contorno político no Oriente Médio. Parece muito improvável que os EUA apoiem um ataque ao Irã, disseram analistas do jornal ‘Financial Times’. Segundo eles, o aperto das sanções já teve o seu efeito e Teerã não terá outra escolha a não ser sentar-se à mesa de negociações com propostas concretas para mitigar as preocupações da comunidade internacional sobre seu programa nuclear.
Outro argumento é de que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, o principal promotor da ideia de bombardear as instalações nucleares do Irã, apoiado durante a eleição presidencial dos EUA Mitt Romney, e não Obama, e fez progressos na construção de novos assentamentos na Cisjordânia e Jerusalém Oriente, apesar da crítica direta de líderes mundiais. Portanto, agora Tel Aviv não está na melhor posição para convencer a Casa Branca para protegê-lo.
Vale lembrar que este ano terá eleições parlamentares em Israel e presidenciais no Irã. Ainda é difícil prever os resultados e como eles irão influenciar as relações entre os dois países.

Quanto ao conflito sírio, “The Financial Times” tem certeza de que haverá uma intervenção militar e expondo como argumentos o aumento e as baixas civis. Ao mesmo tempo se mostra preocupado com o fato de sejam os islâmicos, em particular os simpatizantes da Al-Qaeda, que cheguem ao poder se a oposição vencer sem a participação ativa do Ocidente.

Análise Econômica
Em 2013 a economia global crescera cerca de 3,2%, com uma melhoria gradual ao longo do ano liderado pela China e os EUA, enquanto as economia da Grécia e Espanha se estabilizam, é o que acreditam os especialistas do Bank of America Merril Lynch que, no entanto, sublinham que a fraqueza do euro que continuará seguindo constantemente.
Especialista do jornal “The Financial Times’, insistem por sua vez na impossibilidade de prever como desenrolara a situação econômica dos EUA. Mas acreditam que evitará o abismo fiscal, mas enfatizam que até o ultimo momento não saberam exatamente que tipo de impostos serão elevado e ate quanto serão reduzido os gastos públicos. Ao mesmo tempo, argumentam que, qualquer que seja a decisão tomada, o simples fato que tomara subira o nível de segurança que influenciar positivamente os mercados. Segundo eles, a taxa de crescimento do PIB no pais não poderá voltar a níveis anteriores a crises e manterá em torno de 2% anual, em comparação com a Europa, os EUA continuara a ser um motor econômico mundial.

Vida marciana a vista?
Especialistas da NASA aposta no êxito da missão Curiosidade em 2013 e asseguram que é muito provável que o robô descubra sinais bioquímicos definitivos que demonstrem a existência de vida em Marte. Também será possível que localizem um planeta gêmeo da Terra, de acordo com o Laboratório de Habitabilidade de Planetas da Universidade de Porto Rico, argumentando que já encontraram muitas plantas semelhares, no tamanho, temperatura e distancia em relação a estrela, mas não iguais: insistem que é apenas questão de tempo antes de que um planeta pequeno e rochoso seja descoberto na zona habitável.
As maiorias dos especialistas concordam em que o uso de smarphones em 2013, continuara crescendo em todo o mundo, inclusive nos EUA e Japão. Os dispositivos interativos continuaram penetrando em todas as esferas da vida, desde geladeiras, sapatos e mesas. Também, cresceram varias vezes o mercado de aplicações de dispositivos moveis. Facebook continuara se consolidando em suas posições, enquanto a Apple continuara perdendo terreno para suas rivais. – RT




Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.