A sabedoria vinda do alto - Por Silvia Leticia Carrijo de Azevedo Sa





“Nossa dúvida são traiçoeiras, e nos fazem perder o bem que sempre poderíamos ganhar, por medo de tentar” William Shakespeare

Tiago em sua epístola nos apresenta duas formas de sabedoria, a vinda do céu (Deus) e a profana que usamos para prejudicar, ganhar méritos pessoais. A sabedoria vinda do alto é pura não mistura com o profano. Quem é sábio tem entendimento? Pergunta Tiago. Se a temos devemos mostrá-la em nossas atitudes, ela é o espelho de nossa alma. A humildade de nossas atitudes mostrará se é do céu ou não.
Porém, se em teu coração abriga amargura, inveja, ambição egoísta. Nossa sabedoria jamais veio do céu. Ela é própria e só resulta e, engano e miséria da alma. “Essa espécie de sabedoria não vem do céu; ela é deste mundo, é da nossa natureza humana e é diabólica.” (Tiago 3:15)
A sabedoria do alto não se adquire através do conhecimento humano como muitos pensam. Ela vem da busca do homem por Deus através de seu filho Jesus Cristo, no aprofundar do homem no relacionamento com Cristo por meio da Bíblia e da prática da mesma e da busca pelo Espírito Santo de Deus.
Onde existe apenas a sabedoria humana transforma-se em confusão e divisão de opiniões, pois cada um deseja mostrar maior conhecimento, quando esta vem de Deus junto nasce a humildade de saber reconhecer o próximo e o que foi feito por Cristo em cada vida e de cada forma manifesta pelo espírito de Deus.
A sabedoria vinda do alto tem algumas características bem marcantes, sendo elas: Pureza: sua mente não maquina contra o próximo, não vive apenas para se satisfazer. Sua mente está sempre em Cristo, em si e no próximo. Seu princípio e fim não estão em si mesmo, antes, porém na lei do Senhor ele medita sempre para manter uma mente livre de maldades.
É Pacífico: não quer nem semeia discórdia. Tem uma paz autêntica, não aceita nem vive na discórdia. É livre de atitudes que trazem contendas.
É manso: é manso e humilde, não para outros verem, mas mantêm assim seu estilo de vida. O espírito é manso, suas atitudes são mansas. Não é arrogante nem insensato.
Não é invejoso: a inveja e a cobiça é o veneno da alma, aonde ela chega contamina, trás morte, doenças graves. Cega a visão daquilo que é divino, só deixando á vista as ordens satânicas e destruidoras.
Tratável: é sempre disposto a ouvir e entender o próximo, fácil de lidar.
Misericordioso: a pessoa sábia não se deixa levar pela mesquinharia, antes se compadece do próximo.
Imparcial e não fingido: justo, reto, não leva engano e não é fraudulento “[...] produz uma colheita de boas ações, não trata os outros pela sua aparência e é livre de fingimento.” (v.17b)
O que nos leva a desejar a sabedoria vinda do alto e não sermos corruptos é reconhecer que somos dependentes de Deus em Cristo e que sem a sabedoria do alto só teremos e seremos engano. O desejo de satisfazer apenas a si mesmo destrói.
Para adquirir a sabedoria vinda do alto basta apenas a pedirmos a Deus que a todos dá, com liberalidade e mansidão. “Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e ele a dará porque é generoso e dá com bondade a todos.” (Tiago 1:5)
Nem por isso poderemos ignorar o conhecimento adquirido, devemos procurar o saber, estudar, pois é ele que nos fará crescer na profissão e na vida. A sabedoria vinda do alto é um dom de Deus, essa precisamos buscar do alto.
Até a próxima…

Silvia Letícia Carrijo de Azevedo Sá

leticiacarrijo@oi.com.br




Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.