Antes de execução, condenada pede que as pessoas mantenham a fé e diz: “Estou indo para casa, estar com Jesus”






Uma mulher condenada à morte por ter cometido latrocínio (roubo seguido de morte) nos Estados Unidos, usou suas últimas palavras antes de ser executada para incentivar as pessoas a manterem a fé.
Kimberly McCarthy, a 500ª pessoa a ser executada pelo governo do Estado do Texas, foi condenada por ter roubado e matado sua vizinha, Doroty Booth, uma professora aposentada, em 1997. Ela era terapeuta num lar de idosos à época, e se tornou viciada em crack.
“Essa não é uma perda. Esta é uma vitória. Vocês sabem onde eu vou. Estou indo para casa, para estar com Jesus. Mantenham a fé. Eu amo todos vocês”, disse Kimberly, antes de tomar a injeção letal de pentobarbital.
De acordo com informações da BBC News, durante o tempo em que esteve no corredor da morte, Kimberly McCarthy tornou-se uma aluna da entidade cristã Crossroad Bible Institute, um ministério sem fins lucrativos voltado à evangelização de detentos, e recebeu seu certificado de conclusão do curso em 2006.
Durante o dia da execução de Kimberly, manifestantes protestaram contra a pena de morte, e seu advogado de defesa criticou a quantidade de pessoas condenadas à morte no Texas: “500 é demais. Estou ansioso para o dia em que nós reconheçamos esta prática inútil e bárbara, imposta quase exclusivamente sobre aqueles que são pobres e desproporcionalmente sobre as pessoas de cor, não tem lugar em uma sociedade civilizada”, afirmou.
A família da professora assassinada por Kimberly limitou-se a divulgar um comunicado dizendo que a data marcava a concretização da condenação: “Estamos apenas pensando sobre a justiça que nos foi prometida pelo estado do Texas”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.