SEPAL: projetos sociais e missionários beneficiam índios e pescadores em áreas remotas do Brasil







A entidade Servindo aos Pastores e Líderes (SEPAL) possui diversas ações ministeriais e uma delas é voltada para a evangelização de pescadores carentes e índios em regiões dos Estados de São Paulo e Roraima.
Este projeto é tocado pelo missionário Daniel Schimenes, que é dentista e conta com o apoio e suporte da SEPAL para manter o projeto.
Segundo a assessoria de imprensa da SEPAL, “a mobilização evangelística está entre os trabalhos desenvolvidos pela entidade”, que reúne diferentes denominações engajadas com a visão de alcançar as nações.
O projeto tocado em Roraima é uma parceria com a Missão Evangélica da Amazônia (MEVA), e a SEPAL atua em trabalhos sociais com tribos indígenas variadas. “Uma equipe de até quatro componentes, formada exclusivamente por médicos e dentistas, vai até essas tribos para prestar atendimentos de saúde e levar o Evangelho de Jesus Cristo”, diz a nota da entidade.
O grupo é formado por voluntários recrutados pelo missionário Daniel Schimenes, em São Paulo, e geralmente cada grupo fica entre 7 e 15 dias nas tribos. Os índios atendidos pelo projeto, na maioria das vezes, não falam português.
“Nosso objetivo não é mudar a cultura das tribos. Mas é bom ver, por exemplo, que homens indígenas, antes com comportamento agressivo, passaram a tratar melhor as suas mulheres e filhos”, relata Daniel, exemplificando o impacto que o trabalho social exerce nas tribos.
Já em São Paulo, o trabalho missionário é feito com pescadores da cidade de Cananéia, sob coordenação de Schimenes. A região fica no litoral sul paulista, próxima à divisa com o Estado do Paraná.
As ações sociais acontecem há onze anos e atendem a seis vilas de pescadores carentes. “Fazemos trabalhos com crianças, evangelismo pessoal, atendimento médico e dental,  construção de casas e quadras multifuncionais, além de projetos de autossustentabilidade. Também reformamos escolas, visitamos casas e compartilhamos o amor de Deus num lugar muito bonito, porém carente”, diz Shimenes.
“Os recursos são limitados para a realização de nossas ações, mas ainda assim, não nos desanimamos de seguir com nosso trabalho e de transmitir o evangelho de maneira clara”, relata.
Segundo a SEPAL, “desde o início da mobilização, já foram enviadas às vilas de pescadores 72 equipes com mais de 1000 voluntários”. A nota diz ainda que “este trabalho só é possível com a parceria da MEAP que atua no local” e conhece a região de forma ampla.
Conheça mais sobre a SEPAL acessando o site oficial: sepal.org.br.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.