Irã liberta pastor da prisão e o obriga matar silêncio





Pastor Robert Asserian
Pastor da Assembleia de Deus, que foi solto da prisão no Irã, pode ter sido obrigado em permanecer em silêncio sobre o que aconteceu na prisão.



O pastor Robert Asserian, da Igreja Central das Assembleias de Deus, foi liberado da prisão no Irã, sob a condição de silencio imposto, após pagar sua fiança no dia 2 de julho.
Segundo a agência de noticias iraniana Mohabat News, o pastor da maior igreja do Irã de língua persa havia sido preso no dia 21 de maio por presidir um culto no Teerã.
Sua casa foi revistada e seu computador e seus livros foram confiscados. De acordo com a Middle East Concern, as comunidades cristas reconhecidas legalmente no Irã são submetidas a pressão habituais para que detenham o uso da língua persa em suas reuniões de oração e celebrações religiosas.
A agência de noticias iraniana juntamente com alguns ativistas também informou que não existe confirmação por parte da família sobre a libertação, e acreditam que tanto ele e sua família foram obrigados a guardar silencio sobre o ocorrido.
As autoridades iranianas geralmente utilizam uma política de “silencio em troca da libertação”. Este caso demonstra que o trabalho de pressão realizado pela libertação de presos de consciência pode ter efeito. Outros pastores e missionários seguem presos no Irã, entre eles está um cidadão americano-iraniano Saeed Abedini. – CNN

Portal Padom

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.