Marco Feliciano é alvo de protestos de ativistas gays no interior de São Paulo; Pastor visitava a cidade para participar de um culto






Um grupo de aproximadamente 80 pessoas protestou contra o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) na cidade de Marília, interior de São Paulo, no último sábado, 13 de julho.
Feliciano foi à cidade para ministrar num culto da Assembleia de Deus e na ocasião, recebeu o título de visitante ilustre da Câmara Municipal da cidade. A homenagem foi proposta pelo vereador José Menezes (PSL), que também é evangélico.
O grupo que protestou contra a presença de Marco Feliciano em Marília se organizou através das redes sociais, de acordo com informações do portal Terra. Ostentando uma faixa rosa com a frase “Fora Feliciano”, o grupo se dirigiu às proximidades da igreja para pedir que o deputado deixasse a cidade.
A Polícia Militar montou um esquema de segurança na região, e não houve confrontos ou incidentes. Edson Duarte, representante do movimento LGBT em Marília, afirmou que Marco Feliciano não poderia presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) pois o pastor havia expressado pensamentos que a militância homossexual considerava retrógrados: “É profundamente lamentável que um político como Feliciano possa ainda receber um título de visitante ilustre pela Câmara de Marília, totalmente na contra-mão da luta dos movimentos de minorias no país”, criticou.
Os jornalistas que cobriam os protestos contra o pastor foram informados por sua assessoria que “caso ele concedesse alguma entrevista”, não responderia a perguntas sobre política, pois sua visita à cidade era exclusivamente para participar do culto.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.