Presidente africano ameaça decapitar homossexuais





O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, ameaçou decapitar homossexuais no país e prometeu melhorar a situação das mulheres na sociedade.
Durante o seu discurso em um comício em um aeroporto, diante de milhares de partidários, o chefe de Estado disse que nunca iria aceitaria a homossexualidade sob nenhuma condição. Ele descreveu as minorias sexuais como “piores do que os porcos, cabras e aves”.
“Se você pegar dois homens e prende-los em uma casa durante cinco anos, e dizer-lhes que poderão sair dali apenas com dois filhos, eles não vão ser capazes de fazer. Então vamos cortar suas cabeças.”
O presidente acusou alguns países africanos que aceitaram “a prática da homossexualidade em troca de ajuda ocidental”. “Precisamos dar continuidade a nossa cultura. Esta cultura provém da norma de que as mulheres estarão grávidas durante nove meses”, disse Mugabe.
Ele garante que a homossexualidade “busca destruir nossa linhagem dizendo que João e João deveria se casar, e que Maria e Maria devem se casar“. “Imagine essa criança que nasceu de um pai africano (o presidente dos EUA, Obama), Obama dizendo que se você quer nossa ajuda, você deverá aceitar a prática homossexual. Ah, nunca faremos isso“, insiste Mugabe.
Mugabe não reconhece a homossexualidade como um “direito humano”, algo exigido por alguns países europeus que ofereceram ajuda financeira com esse requisito.
Anteriormente, Mugabe qualificou a tolerância aos homossexuais como “não natural” e “suja”. Em janeiro passado em plena falência de seu país, o presidente prometeu “um inferno para os gays” se o seu partido ganhasse as eleições.
Segundo a estação de radio SW Radio África, somente neste mês, Mugabe criticou em ate sete ocasiões os membros do movimento LGBT. – rt

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.