Igreja egípcia critica Obama por calar-se diante a agressão aos cristãos




Um líder cristão egípcio tem criticado ao presidente Barack Obama e o seu governo, por não fazer o suficiente diante a intensa perseguição realizada pela a Irmandade Muçulmana contra a Igreja Cristã.
Após a recente onda de incêndios em igrejas cristãs, o padre Rafic Greich, o principal porta-voz da Igreja Católica no Egito, criticou o presidente Obama por não ter se pronunciado contra a onda de violência lançadas contra os cristãos egípcios em quase 700 anos.

O presidente Obama quando fez o seu discurso, falou apenas das igrejas queimadas, ao invés de dizer que a Irmandade Muçulmana é terrorista e que estão criando o terror no Egito”, expressou o religioso. “Ele não fala fortemente contra isso e deveria ter vergonha, se ele é cristão, por não falar veementemente sobre o que esta acontecendo.”, acrescentou.
“O porta-voz da Casa Branca, a quem… perguntaram-lhe: Qual é a linha vermelha do cristianismo no Egito? Ele zombou dizendo que: “Não trouxe a minha caneta vermelha“.
“Então acredito que é um escárnio e em vez deveria ter vergonha também”.
Islamitas radicais, muitos deles membros da Irmandade Muçulmana do Egito, atacaram pelo menos 60 igrejas cristãs, empresas e instituições nos dias de repressão contra os partidários do presidente deposto Mohamed Mursi.
“Obama parece não entender a situação“, disse Greiche a AsiaNews. “Em seu discurso, nem sequer mencionar que as igrejas cristãs e edifícios cristãos foram queimados pelos irmãos muçulmanos“, disse ele.
Isso deve ser absolutamente claro: A Irmandade Muçulmana é terrorista e está ligada aos grupos às quais pertencem a Al-Qaeda e os salafistas“, disse ele. “A história da Irmandade Muçulmana, inclusive partir desde sua fundação, tem sido uma história de 85 anos de derramamento de sangue.” 

 – cbn
Portal Padom

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.