Pastor evangélico é violentamente agredido por ateu militante após pregação







O reverendo Norman Hayes, de 57 anos, da igreja The Bridge Community em North Hampton (EUA), foi violentamente agredido por um ateu militante após um sermão em sua igreja no último domingo. O agressor, identificado como James Maxie, 28 anos, é acusado de agressão em segundo grau e contravenção, por ter resistido à prisão.
De acordo com o pastor, após o culto Maxie e sua namorada, que frequenta a igreja, se aproximaram dele. Segundo Hayes, a agressão começou após ele perguntar a ela se Maxie estava abusando dela o que, segundo o pastor, o fez ficar furioso e começar desferir golpes em seu rosto.
Maxie passou dois anos na prisão depois de ser condenado por agressão criminosa. Ele também é um criminoso sexual condenado, acusado de conduta sexual ilícita com uma menor em Clark County, e foi condenado a cinco anos de liberdade condicional, começando em outubro de 2008, de acordo com o Departamento de Reabilitação e Correção Ohio.
Norman Hayes conta que foi então derrubado por seu agressor, que só parou de bater nele quando ele começou a implorar para que ele parasse. Ele afirma ainda ter pensado que Maxie iria matá-lo.
O casal então deixou a igreja à pé, e o agressor correu para um milharal nas proximidades depois de ser flagrado por dois policiais que estavam respondendo à ocorrência pela agressão. Depois de detido, ele foi levado para a cadeia do condado de Clark.
O chefe de polícia Jarrod Campbell disse em seus 11 anos no departamento, raramente se deparou com “um incidente tão brutal”.
Um ateu militante, de acordo com sua página no Facebook, Maxie disse à polícia que estava “tentando recuperar a fé em Deus”, e foi ouvir sermão Hayes. Ele disse que “fez perguntas sobre ciência e fé”, e afirmou que suas declarações teriam ofendido Hayes, que então teria dito que sua namorada estava “indo para o inferno” por namorá-lo.
- Foi então que cometi o maior erro de todos – resumiu Maxie, que está detido e tem a fiança estipulada em 51 mil dólares.
O ataque deixou o pastor com diversos ferimentos incluindo duas fraturas no nariz. Após o incidente Hayes pediu uma ordem de proteção contra Maxie, que foi concedida pela juíza Denise Moody. Segundo o site WhioTV.com, o pastor afirma que Maxie precisa estar em um lugar onde “ele não vai machucar ninguém”, e que espera que ele encontre perdão e “uma nova esperança e algumas respostas para sua vida”;
Por Dan Martins, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.