Cânticos 5 - Para sua reflexão. (maravilhoso)









Já entrei no meu jardim, minha irmã, minha esposa; colhi a minha mirra com a minha especiaria, comi o meu favo com o meu mel, bebi o meu vinho com o meu leite; comei, amigos, bebei abundantemente, ó amados.
Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo: abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite.
Já despi a minha roupa; como as tornarei a vestir? Já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?
O meu amado pôs a sua mão pela fresta da porta, e as minhas entranhas estremeceram por amor dele.
Eu me levantei para abrir ao meu amado, e as minhas mãos gotejavam mirra, e os meus dedos mirra com doce aroma, sobre as aldravas da fechadura.
Eu abri ao meu amado, mas já o meu amado tinha se retirado, e tinha ido; a minha alma desfaleceu quando ele falou; busquei-o e não o achei, chamei-o e não me respondeu.
Acharam-me os guardas que rondavam pela cidade; espancaram-me, feriram-me, tiraram-me o manto os guardas dos muros.
Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, que, se achardes o meu amado, lhe digais que estou enferma de amor.
Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, que tanto nos conjuras?
O meu amado é branco e rosado; ele é o primeiro entre dez mil.
A sua cabeça é como o ouro mais apurado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo.
Os seus olhos são como os das pombas junto às correntes das águas, lavados em leite, postos em engaste.
As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como flores perfumadas; os seus lábios são como lírios gotejando mirra com doce aroma.
As suas mãos são como anéis de ouro engastados de berilo; o seu ventre como alvo marfim, coberto de safiras.
As suas pernas como colunas de mármore colocadas sobre bases de ouro puro; o seu aspecto como o Líbano, excelente como os cedros.
A sua boca é muitíssimo suave, sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém.

Cânticos 5:1-17


Versículos do dia











Isto se escreverá para a geração futura; e o povo que se criar louvará ao SENHOR.Salmos 102:18
Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.João 14:18


Bono Vox, vocalista do U2, diz acreditar ser “um Jesus intolerável e arrogante”












Bono Vox, vocalista do U2, é conhecido por seu engajamento em questões sociais em nível internacional, e também por suas composições repletas de significados religiosos.
Num discurso durante a conferência TED (que em tradução livre, significa Tecnologia, Entretenimento e Design), Bono afirmou considerar-se “um Jesus intolerável e arrogante”. Apesar de o site Cifra Club News não noticiar o contexto da declaração, a menção a Jesus pode ter sido feita numa referência de sua luta pessoal pelo bem estar dos mais pobres.
O músico entende que “a tecnologia pode eliminar a pobreza extrema até o ano de 2030″, e diferentemente do que muitos imaginam, isso é possível a partir do engajamento das pessoas, empresas e governos, com investimentos em pesquisas e tecnologias.
Bono afirmou ainda que as taxas de mortalidade infantil e por malária tem caído, e que mais pessoas infectadas pelo vírus do HIV tem tido acesso ao tratamento contra a doença. Para ele, esses dados internacionais são sinais de que novos avanços são possíveis.
A plateia do discurso de Bono continha diversos empresários, além do fundador da Microsoft, Bill Gates. Em tom convidativo, Bono disse: “Esqueça a ópera rock. Esqueça as bombas. A única coisa que cantarei hoje são os fatos. Eu realmente abracei o lado nerd que há em mim. Deixei de ser o rock star. Acione o ativismo evidente, o ativismo dos fatos”, afirmou.
O artista/ativista ainda brincou dizendo que o dinheiro necessário para que novas pesquisas visando o fim da pobreza extrema no mundo poderiam vir de “apenas três concertos de despedida dos [Rolling] Stones com transmissão online e monetizada”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Adolescente estuprada pelo padrasto é condenada a 100 chibatadas por ter feito sexo antes do casamento












Uma adolescente maldiva de 15 anos foi condenada a 100 chibatadas e oito meses de prisão domiciliar num abrigo para crianças por ter praticado sexo antes do casamento.
A jovem foi estuprada pelo padrasto e teve seu bebê morto pelo mesmo, informou a BBC. Conhecido como Ilhas Maldivas, o país é um arquipélago com 400 mil habitantes, de maioria muçulmana.
A legislação da República das Maldivas é formada por elementos do direito penal inglês e da Sharia, lei islâmica. Segundo o código penal, a garota deverá cumprir a pena ao completar 18 anos, a menos que prefira cumprir a sentença antes.
O padrasto foi acusado de estupro e assassinato, e a mãe da menina de omissão, por não denunciar o abuso às autoridades. O julgamento de ambos será feito em breve.
A porta-voz do tribunal de menores do país afirmou que a punição era justa, pois a menina tinha cometido um ato fora da lei voluntariamente. A Anistia Internacional considerou a decisão como “cruel, degradante e desumana”, em pronunciamento feito por Ahmed Faiz, pesquisador da entidade.
“Estamos muito surpresos que o governo não está fazendo nada para impedir essa punição, e removê-la totalmente dos livros de leis. Este não é o único caso. Está acontecendo com frequência . Somente no mês passado, houve uma outra menina que foi abusada sexualmente e condenada a chicotadas”, afirmou Faiz.
O governo do país divulgou nota afirmando considerar a punição injusta, e prometeu estudos para viabilizar a mudança da lei, a fim de evitar novas sentenças como essa.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Igreja é atingida por raio e Bíblia resiste ao incêndio; Livro teve apenas as bordas queimadas









Na última segunda-feira, 25 de fevereiro, uma igreja pegou fogo durante uma tempestade em Santa Catarina e o incêndio destruiu toda a construção, menos uma Bíblia que estava sobre o altar.

A Igreja de São Sebastião, na região metropolitana de Florianópolis, teria sido atingida por um raio, segundo depoimentos de moradores da área. Além da Bíblia, o que restou da antiga igreja foi o sino e as paredes.
O Corpo de Bombeiros levou mais de duas horas para conter as chamas, e no dia seguinte, a perícia esteve no local para apurar oficialmente a causa do incêndio. “Segundo informações de populares passadas ao Corpo de Bombeiros, uma descarga elétrica teria iniciado o fogo na igreja. Mas nós vamos apurar esses fatos ainda”, afirmou o soldado Reinaldo de Oliveira.
igreja_incendioOs bombeiros afirmaram ainda que a Bíblia estava num local que não foi atingido diretamente pelas chamas, e nas mesmas condições, qualquer outro livro espesso, como um dicionário por exemplo, também não teria sido queimado completamente. O exemplar da Bíblia teve a capa e as bordas queimadas, porém as páginas não foram atingidas.
O padre responsável pela paróquia lamentou o incêndio, e afirmou ao G1 que ainda não calculou os prejuízos: “Foi uma fatalidade da própria natureza. A gente acredita na capacidade do povo se reorganizar e restaurar totalmente essa igreja”, disse.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Professor é demitido por manter Bíblia sobre a mesa e sugerir questionamentos à teoria da evolução










Manter uma Bíblia sobre sua mesa e trazer princípios cristãos para suas aulas causou a demissão do professor John Freshwater de uma escola nos Estados Unidos.
A demissão ocorreu em 2011, após a diretoria da escola alegar que ele estava discutindo temas que não faziam parte da programação das aulas. Os advogados dele argumentam que o desligamento foi feito de maneira inconstitucional.
Pesam ainda sobre o professor, acusações de que ele teria usado uma ferramenta para queimar os braços dos alunos com uma cruz, de acordo com o Daily News.
“Ele não se envolveu em proselitismo religioso, ele discutiu uma teoria científica que passa a ser consistente com os ensinamentos de várias religiões mundiais”, afirmou Hamilton, um dos advogados.
Entretanto, a escola alega que John Freshwater incentivava os alunos a duvidarem das ciências com um folheto, e se negava a ensinar o conteúdo programado, que abordava a criação e a evolução do homem e a homossexualidade, segundo informações do Christian Post.
O professor está recebendo apoio de um grupo que luta por liberdades civis, enquanto que a diretoria da escola tem recebido manifestações de aprovação por parte de grupos ateus e de educação científica.
O caso está sendo julgado pela Corte Suprema de Ohio, e na última quarta-feira, Freshwater apresentou sua versão dos fatos. Os advogados do professor alegam que a demissão violaram os direitos da Primeira e Décima Quarta Emenda da Constituição, que tratam da liberdade de expressão e religiosa.
O Instituto Rutherford, entidade de proteção aos direitos civis, afirmou que irá lutar para que o caso seja revisto e os direitos do professor enquanto profissional e cidadão sejam garantidos: “Vamos defender o direito à liberdade acadêmica de um professor de ciências demitido por incentivar os alunos a pensar criticamente sobre o currículo de ciência da escola, particularmente no que se refere às teorias de evolução”, afirmou o comunicado do instituto.
O advogado da escola, David Smith, rebate dizendo que John Freshwater não tinha liberdade para alterar o conteúdo definido para as aulas: “Não há liberdade acadêmica do professor para fazer isso. Este não é um caso sobre o cânhamo industrial. Este não é um caso sobre a guerra do Iraque. Pontos de vista sociológicos e políticos são coisas completamente diferentes”, argumentou.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Após um mês, sobreviventes e pais de vítimas do incêndio em Santa Maria relatam apego a Deus para superar tragédia









O dia 27 de janeiro está marcado na história do Brasil como um dia em que centenas de famílias perderam filhos de uma maneira trágica e inaceitável. Ontem, 27 de fevereiro, a tragédia em Santa Maria completou um mês, e algumas homenagens às vítimas foram realizadas.
Pela manhã, uma manifestação na Praça Central da cidade promoveu um minuto de barulho, com palmas, sinos e buzinas. A ideia do barulho foi ressaltar a alegria dos jovens que infelizmente perderam a vida.
Em depoimentos, sobreviventes e pais de algumas das vítimas relatam suas experiências e forma de enfrentamento da dor da perda.
A jovem Tatiele, de 27 anos, afirmou ao telejornal Bom Dia Brasil que ficou 13 dias internada numa UTI e que está retomando sua rotina aos poucos: “Deus me deu uma segunda chance de vida. Eu poderia não estar aqui neste momento”.
O pai de David Santiago de Souza, 22 anos, o enfermeiro Eduardo Pena de Souza, 54, afirmou ao G1 que recebeu a notícia da perda do filho através de um irmão seu, que recomendou que fosse forte, e lamenta a tragédia: “Deus nos pregou uma peça enorme. Ele foi antes de nós”, disse ao lado da esposa, Jânea Santiago de Souza.
Já o pai de Jennefer Mendes Ferreira, 22 anos, afirma que encontrou forças ao passar momentos no quarto da filha. Adherbal Alves Ferreira conta que estar no espaço de sua filha traz de volta à memória os bons momentos com ela: “Para aliviar a saudade, passo um tempão no quarto dela. Virou meu santuário. Vou ali e rezo bastante”, afirmou ao Uol, antes de contar que isso o fez descobrir uma lista que Jennefer havia feito com tudo que já havia alcançado na vida, e para cada item, um agradecimento a Deus pelas bênçãos: “Aquilo me deu certo alívio. Acho que ela está bem”, disse.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Alguns evangélicos são manipulados como bonecos e o culto se tornou teatro, diz pastor Ciro Zibordi. Leia na íntegra












O pastor Ciro Zibordi publicou um artigo em que aborda, de forma indireta, a qualidade do culto nas igrejas evangélicas. Sob a perspectiva dos frequentadores, Zibordi afirma que muitos são manipulados, e elenca em categorias os tipos de manipulação e o perfil das pessoas para cada categoria de manipulador.
Segundo o pastor assembleiano, que é conhecido por sua rigidez doutrinária, a pregação da palavra de Deus nas igrejas está “cada vez mais interativa e pouco expositiva”, e se parece com um espetáculo de manipulação.
“O comportamento dos pregadores e a reação do público se parecem muito com o teatro de bonecos. O manipulador, nessa modalidade teatral, é aquele que dá vida e expressão aos bonecos nos seus mais variados formatos. Nos grandes congressos evangélicos, a diferença é que o manipulador é chamado de pregador, e o objeto de sua manipulação são multidões incautas”, alerta Zibordi.
Em seu texto, Ciro Zibordi elenca quatro categorias de fiéis manipulados: crente marionete, crente fantoche, crente mamulengo e crente jôruri. Com uma breve explicação sobre o funcionamento dos bonecos de cada uma dessas categorias, Zibordi afirma que “na falta de exposição da Palavra de Deus, sobram as representações teatrais. E aumenta cada vez mais o número de manipuladores e manipulados nesse grande circo, ops!, grande teatro que se tornou o culto ‘evangélico’ nesses tempos pós-modernos”.
O “crente marionete”, de acordo com o pastor, é aquele que responde a estímulos como “clichês e frases de efeito”, como “’Quem nasceu para vencer levante a mão’, ‘Aperte a mão do seu irmão até que ele diga aleluia’, ‘Tire o pé do chããão’, etc”.
Já o “crente fantoche” costumam ser levados pela moda, segundo Zibordi: “Esses crentes não têm firmeza e vivem atrás de movimentos. Quando ficam diante de um manipulador, comportam-se como se estivessem hipnotizados e obedecem a todas as suas ordens”.
A crítica ao “crente mamulengo” passa por uma questão de conteúdo das músicas gospel no meio pentecostal, e suas pregações também. O pastor Ciro Zibordi afirma que esses fiéis vivem “ignorando o evangelho cristocêntrico, valorizam as pregações e as canções revanchistas, ridicularizadoras, zombeteiras, pelas quais se tripudia dos inimigos, que não são as hostes do mal, o mundo ou a carne. Os seus inimigos são os seus vizinhos, patrões, colegas de trabalho e irmãos que os viram na prova e os não ajudaram, e agora são hostilizados ‘entre a plateia’ por aqueles que estão no palco”.
Zibordi ironiza um pouco mais na sua definição do “crente jôruri”, uma espécie de boneco de teatro japonês, que exige habilidade e pelo menos três pessoas para manipulá-lo.
“O crente jôruri geralmente é classe média alta e catedrático. Não é fácil manipulá-lo. Clichês de autoajuda como “Ouse sonhar” não funcionam com ele. Ele é muito racional e submete tudo ao teste da lógica. Para convencê-lo, é preciso um manipulador-mestre [...]Um dos mais famosos manipuladores de crente jôruri da atualidade tem nome e sobrenome estrangeiros e é conhecido como o homem mais sábio do mundo. Não há rico e intelectual que resista aos seus argumentos! Dizem que ele, quando usa a “sua sabedoria” e conta com a ajuda de seus assessores (bispos e apóstolos brasileiros), consegue arrecadar dinheiro até para comprar jatinhos!”, lamenta o pastor.
Confira abaixo, a íntegra do artigo “Você é um crente manipulado por animadores de auditório?”, do pastor Ciro Zibordi:
Na pregação hodierna — cada vez mais interativa e pouco expositiva —, o comportamento dos pregadores e a reação do público se parecem muito com o teatro de bonecos. O manipulador, nessa modalidade teatral, é aquele que dá vida e expressão aos bonecos nos seus mais variados formatos. Nos grandes congressos evangélicos, a diferença é que o manipulador é chamado de pregador, e o objeto de sua manipulação são multidões incautas.
Conheçamos alguns tipos de crentes que se deixam manipular:
CRENTE MARIONETE. Marionetes são os mais elaborados bonecos entre os vários tipos usados no teatro. Geralmente, são construídos com madeira, com articulações nos pulsos, cotovelos, ombros, cintura, quadris, joelhos e, ocasionalmente, pescoço e tornozelos. Uma marionete padrão é movimentada através de uma série de nove fios que obedece à seguinte distribuição: um para cada braço, um para cada perna, dois para a cabeça, um para cada ombro e um para as costas. Os fios de sustentação da marionete são ligados a um controle central de madeira em forma de cruz que é movimentado por uma única mão do manipulador.
Os pregadores manipuladores também têm os seus “fios”, isto é, os seus clichês, as suas frases de efeito, para mecanizar o culto e manipular o povo, afastando-o da Palavra de Deus e do Deus da Palavra: “Quem nasceu para vencer levante a mão”, “Aperte a mão do seu irmão até que ele diga ‘aleluia’”, “Tire o pé do chããão”, etc. Mas veja que curioso! Na manipulação de marionetes há uma cruz na mão do manipulador! E, na pregação moderna, não existe mais cruz! Além disso, o pregador não está mais na mão do Senhor, o Controlador de todas as coisas!
CRENTE FANTOCHE. A montagem do fantoche é feita numa luva, calçada na mão do manipulador, que dá movimento ao boneco. Ele tem tamanho e gestos limitados às dimensões e possibilidades gestuais do operador. A sua construção é relativamente simples: cabeça e mãos são feitas geralmente de material resistente, como madeira, unidas entre si por uma roupa folgada de tecido aberta atrás, por onde é introduzida a mão do manipulador.
Pregadores manipuladores costumam ter facilidade para enganar crentes fantoches, que costumam ser “cabeça dura”, por não frequentarem a Escola Bíblica Dominical e os cultos ensino da Palavra, além de fazerem “corpo mole” para a obra de Deus. Esses crentes não têm firmeza e vivem atrás de movimentos. Quando ficam diante de um manipulador, comportam-se como se estivessem hipnotizados e obedecem a todas as suas ordens…
Certos milagreiros, à semelhança dos manipuladores de fantoches, que introduzem a mão no interior do boneco, têm conseguido tocar na alma de crentes desavisados, fazendo-os ter sentimentos nunca antes experimentados! Alguns, ao ouvirem esses “pregadores”, caem ao chão anestesiados, riem sem parar, rugem, latem, unem as mãos e não conseguem mais separá-las, etc. E assim caminha o teatro, ops!, o culto “evangélico”, sem pregação expositiva da Palavra de Deus e muita hipnose, considerada hoje uma grande manifestação do Espírito!
CRENTE MAMULENGO. Mamulengo é uma corruptela de “mão molenga” e alude a um tipo de boneco comum nos teatros do Nordeste do Brasil. O manipulador — ou mamulengueiro — emprega um tom bastante crítico nos diálogos e improvisa bastante, ao fazer piadas de humor pesado, que ridicularizam fatos ou pessoas da comunidade.
Não é difícil de identificar os mamulengueiros e os mamulengos no meio “evangélico”. Ambos, ignorando o evangelho cristocêntrico, valorizam as pregações e as canções revanchistas, ridicularizadoras, zombeteiras, pelas quais se tripudia dos inimigos, que não são as hostes do mal, o mundo ou a carne. Os seus inimigos são os seus vizinhos, patrões, colegas de trabalho e irmãos que os viram na prova e os não ajudaram, e agora são hostilizados “entre a plateia” por aqueles que estão no palco…
CRENTE JÔRURI. Comum nos teatros de bonecos do Japão, o jôruri adquiriu grande requinte a partir do século XVIII, com movimento de olhos e articulação dos dedos. Mas a sua movimentação não é fácil. São necessários três manipuladores: o mestre, vestido com traje cerimonial, responsável pela cabeça e o braço direito, e dois manipuladores assistentes, vestidos de preto e com um capuz cobrindo o rosto.
O crente jôruri geralmente é classe média alta e catedrático. Não é fácil manipulá-lo. Clichês de autoajuda como “Ouse sonhar” não funcionam com ele. Ele é muito racional e submete tudo ao teste da lógica. Para convencê-lo, é preciso um manipulador-mestre — capaz de mexer com a sua cabeça e com a sua mão direita, induzindo-o a colocá-la no bolso!
Um dos mais famosos manipuladores de crente jôruri da atualidade tem nome e sobrenome estrangeiros e é conhecido como o homem mais sábio do mundo. Não há rico e intelectual que resista aos seus argumentos! Dizem que ele, quando usa a “sua sabedoria” e conta com a ajuda de seus assessores (bispos e apóstolos brasileiros), consegue arrecadar dinheiro até para comprar jatinhos!
Fazer o quê? Na falta de exposição da Palavra de Deus, sobram as representações teatrais. E aumenta cada vez mais o número de manipuladores e manipulados nesse grande circo, ops!, grande teatro que se tornou o culto “evangélico” nesses tempos pós-modernos.
Ciro Sanches Zibordi
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Caso Marisa Lobo: cristãos se revoltam após denúncias de que presidente do Sindicato dos Psicólogos de Manaus estaria fazendo apologia ao candomblé














O caso da psicóloga cristã Marisa Lobo, em que ela tem sido intimada a excluir menções à sua fé de suas páginas na internet, incluindo site pessoal e perfis nas redes sociais, está agora sob novos holofotes, uma vez que o presidente do Sindicato dos Psicólogos de Manaus fala abertamente sobre sua fé.
Alberto Jorge Silva se apresenta como um sacerdote do candomblé (popularmente conhecido como pai de santo) e em suas páginas na internet também assume sua condição homossexual.
A incoerência chamou a atenção do blogueiro Julio Severo e do pastor Renato Vargens, que publicaram artigos comentando o assunto e a incoerência.
“A psicóloga Marisa Lobo, também publicamente tem manifestado sou crença em Deus e no cristianismo, contudo diferentemente do presidente do CPM, tem sido perseguida simplesmente pelo fato de  considerar-se cristã. Ora, vamos combinar uma coisa? Dois pesos, duas medidas? Persegue-se um em nome do laicismo e se faz vista grossa para outro? Psicólogos de outras religiões podem expressar publicamente sua fé em diversas divindades e crenças, sem maiores consequências e psicólogos cristãos não?”, questionou Renato Vargens.
Julio Severo diz, em seu artigo, critica a parcialidade do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que tem ameaçado Marisa Lobo com a perda de seu registro profissional: “Pelo visto, o CFP não tem disposição de reagir contra as manifestações públicas a favor do homossexualismo e do candomblé feitas pelo presidente do Sindicato dos Psicólogos do Amazonas. Mas quando as manifestações de um psicólogo são cristãs, o CFP tem reações e histerias de sobra”.
Marisa Lobo afirmou à Redação do Gospel+ que o caso foi revelado a ela por outros psicólogos: “Esta denúncia chegou a mim pelos psicólogos de Manaus indignados pela exposição que foi feita no Simpósio do Conselho Regional de Psicologia (CRP) de Manaus, em 22/02/2013 UFAM, um simpósio sobre diversidade sexual, onde o presidente do sindicato teve sua fala para falar de homofobia e fazer propaganda de sua religião, o candomblé”.
De acordo com Marisa, os presentes se queixaram do fato de Alberto Jorge Silva “cobrar da psicologia a necessidade de se aproximar das religiões – no caso a dele, já que se denomina pai de Santo”. Para a psicóloga cristã, houve parcialidade: “Nada contra a pessoa dele, mas, porque não me chamam para falar dessa necessidade, ou um padre ou um pastor?”, questionou.
Sob o ponto de vista da psicóloga Marisa Lobo, existe oportunismo por parte de ativistas gays: “Estes eventos que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) promove em todo Brasil não tem compromisso com a homossexualidade, mas a militância oportunista, que promove uma ação coordenada pelo CFP e tem a intenção de realizar um “consenso” sobre a homofobia estar ligada à religião. Assim, promovem suas causas e desconstroem o cristianismo”. Marisa frisou ainda que, a seu ver, “existe gritante diferença entre ‘ativismo gay’ e homossexualidade. O ativismo gay, como qualquer ideologia trabalha em função de interesses não do universo homossexual, e sim de caciques políticos sob a pretensão de estarem fazendo ‘direitos Humanos’. Mas as máscaras deles estão caindo, e as verdadeiras intenções de destruir o cristianismo vieram à tona com meu caso”.
Sobre a ótica da perseguição religiosa, Marisa afirma que no seu caso, ela ocorre e é “nítida”, pois é uma prática aberta: “Eles prostituíram a psicologia, mas afirmo: assim como tem muitos profissionais enganados pelas falsas lutas de ‘direitos humanos’, tem outros que já acordaram que não estão compactuando com essa militância ideológica e com essa vergonhosa perseguição aos psicólogos que se dizem cristãos”, relatou.
“Tenho recebido apoio de psicólogos de todo Brasil, que estão esperando que essa perseguição se torne conhecida da mídia”, afirmou Marisa Lobo, dizendo que no seu caso, “embora tentem me transformar em uma homofóbica, juridicamente isso não se sustenta, pois tenho pacientes que vão depor a meu favor, e somente eles podem atestar minha conduta profissional”.
O pastor Renato Vargens corrobora a visão de perseguição religiosa contra Marisa Lobo: “Diante do exposto, manifesto publicamente minha preocupação quanto à possibilidade deste conselho em punir a psicóloga Marisa Lobo. Ouso afirmar que atitudes deste nipe apontam de forma categórica para uma perseguição religiosa”.
A Redação do Gospel+ entrou em contato com o Conselho Federal  de Psicologia para colher uma posição sobre o caso, porém até o fechamento desta matéria, não houve retorno ao contato. Caso haja, atualizaremos a matéria.
Confira a íntegra do artigo “Carta ao Conselho de Psicólogos do Brasil sobre Marisa Lobo”, do pastor Renato Vargens, neste link.
Confira a íntegra do artigo “CFP tolera psicólogos gays do candomblé, mas hostiliza psicóloga cristã Marisa Lobo”, de Julio Severo, neste link.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Criança Ligada: projeto da Missão Cantinho do Céu oferece educação e inclusão social em comunidade carente









O projeto Criança Ligada é desenvolvido pela Missão Cantinho do Céu, de Aracaju-SE, e atende 100 crianças, beneficiando indiretamente outras 350 pessoas.
A Missão Cantinho do Céu foi fundada em 2002 por Ciniria Zettler e Thomas Zettler, que desde 1996 trabalham juntos em comunidades carentes e são casados desde 1998.
A ONG fica localizada na vizinhança de uma favela em Aracaju, e oferece atendimento a crianças e famílias em vulnerabilidade social.
Entre as ações do projeto, estão a oferta de aulas por tempo integral, refeições diárias e um lugar de lazer para as crianças atendidas pelo Criança Ligada.
A missão do projeto é oferecer atividades de inclusão digital para as crianças atendidas pela instituição, além de capacitação para suas famílias.
O projeto da Missão Cantinho do Céu foi reconhecido pela Unesco e deverá receber verbas do programa Criança Esperança esse ano, para custear a aquisição de computadores, roteadores wi-fi, impressoras e aparelho de projeção.
Para saber mais, acesse cantinhodoceu.org.br ou entre em contato através do e-mail canticeu@gmail.com ou pelos números (79) 8112-6016 e 8112-2060 (celular).
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Cardeal italiano afirma que existia um complô para matar o papa Bento XVI











A renúncia do papa Bento XVI ao cargo tem levantado uma série de questionamentos e tem motivado o aparecimento de diversas teorias sobre o real motivo para Bento XVI se afastar do cargo máximo da Igreja Católica.
Uma dessas teorias traz à tona uma notícia publicada a cerca de um ano pelo jornal italiano Il Fatto Quotidiano, de que existiria um complô para assassinar o pontífice. A notícia é de que o cardeal de Palermo, Paolo Romeo, chegou a relatar para alguns bispos próximos de que estava convencido da existência de um complô para matar Bento XVI.
De acordo com o jornalista Gerson Camarotti, esse seria o real motivo para a renúncia do papa. A reportagem mencionada por Camarotti afirmava que haveria um complô para matar o Papa e que o sucessor seria o cardeal de Milão, Angelo Scola, que hoje é tido como favorito para a sucessão. As informações, segundo o jornalista, tem como fonte um importante prelado brasileiro.
- O Papa não foi assassinado. Mas renunciou ao cargo e agora Scola aparece como favorito. Isso tem sido comentado no Vaticano – afirmou o prelado.
Segundo o jornalista, a revelação teria sido feita pelo cardeal de Palermo numa conversa reservada, durante visita à China, e o relato dessa conversa teria sido entregue ao Papa num documento confidencial escrito em alemão pelo cardeal colombiano Dario Castrillón Hoyos, que é prefeito emérito da Congregação do Clero, e um grande amigo do Papa.
Apesar da repercussão da notícia, Romeo negou as informações e disse que não havia qualquer fundamento na reportagem. Porém o cardeal admitiu ter estado na China em uma viagem pessoal, sem revelar muitos detalhes.
No Vaticano, a notícia foi tratada como mera especulação. O padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, afirmou na ocasião que a informação estava “tão fora da realidade e tão pouco séria” que não podia ser levada em consideração.
- Parece incrível e não quero nem comentar – acrescentou o porta-voz em sua declaração sobre o tema.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Líder islâmico é condenado à morte em Bangladesh











Um Tribunal de Bangladesh condenou a morte, Delwar Hossain Sayeedi, vice-presidente do partido islâmico Jamaat-e-Islami, que coopera com vários partidos islâmicos do mundo, entre eles a Irmandade Muçulmana.
Sayeedi, de 73 anos foi condenado por crimes cometidos durante a guerra da independência do país em 1971, que matou cerca de 3 milhões de pessoas, sendo considerado culpado pelos massacres, estupros, incêndios e roubos, e por obrigar a minoria de hindus a se converter ao Islã.
Os advogados de Sayeedi planejam recorrer a sentença. Seu partido convocou protestos contra a decisão. Jamaat se opôs à independência de Bangladesh, mas nega ter cometido crimes de guerra. - rt

Mãe mata o próprio filho por ter pênis pequeno















Uma mulher da Indonésia afogou seu filho de nove anos no banheiro, alegando que estava preocupado por ele ter ‘pênis ser pequeno’ e que isso  poderia afetar a sua vida no futuro.
A mulher de 38 anos que mora na capital da Indonésia, Jacarta, disse a policia que seu filho tinha um pênis pequeno, antes de ser submetido à circuncisão. No entanto, a mulher disse que havia notado que os órgãos genitais de seu filho reduziu ainda mais após a operação.
Ela disse a policia que matou seu filho por acreditar que ele teria um futuro sombrio devido o tamanho de seu pênis. Para evitar isso, afogou a criança com suas próprias mãos em uma banheira cheia de água. Logo após vestiu uma roupa na criança morta, deixando deitada na cama e foi na delegacia mais próxima denunciar o crime.
Os policiais que investigam o caso insistem que a indonésia estava plenamente consciente de seus atos, mas decidiram submete-la a um exame psicológico para determinar seu estado mental.
No inicio de janeiro, a mãe de origem indiana que matou seu filho de sete anos por não ter memorizado os versos do Alcorão, foi condenada por um tribunal britânico a prisão perpetua. - rt



VERSÍCULOS DO DIA.










Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo, a Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel.Deuteronômio 26:15
Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia;Lucas 1:54


Câmara vota sobre o fim do 14º e 15º salários de parlamentares; Somente quatro deputados evangélicos recusaram o benefício











Um requerimento que prevê urgência na votação do projeto que determina o fim dos 14º e 15º salários aos parlamentares brasileiros deverá ser votado hoje na Câmara dos Deputados.
O projeto, se aprovado, determinará o fim da ajuda de custo nos meses de janeiro e fevereiro. Cada deputado que aceita os salários extras pode receber até R$ 53,4 mil no período, fora os salários do mês vigente, que sem contar benefícios como planos de saúde, passagens aeres, verba de gabinete (telefone, correspondências, transporte, entre outros) é de R$ 26.723,13.
No Twitter, o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) manifestou-se favorável ao fim dos benefícios: “Hoje votaremos o fim dos privilégios parlamentares apelidados de “13o. e 14o. Salários” o que na verdade é uma ajuda de custo. O PPS e o PSC se uniram, assinaram em conjunto o requerimento de votação pra hoje. Queremos a extinção deste privilégio pelo bem do Brasil!”, disse Feliciano.
O pastor ainda abordou outros temas que envolvem a política: “Esse ano teremos outras votações importantes como por exemplo a Reforma Política. E esta precisa urgentemente ser votada. O gasto com as duas ultimas eleições, 2010 e 2012 foram de 2,9 bilhões de reais! A Reforma prevê a unificação das eleições. Também prevê o Financiamento Publico, o Sistema de eleição pelo modelo belga e a abertura na janela para que políticos mudem de partido”, resumiu Marco Feliciano, que justificou a necessidade das reformas: “Os três poderes, em especial o Parlamento busca desesperadamente a confiança do quarto poder, o povo. A constituição diz que o poder emana do povo!”, observou.
Entretanto, apesar de sua manifestação favorável à aprovação do projeto, Marco Feliciano não está na lista de 29 parlamentares que abriram mão de receber os ganhos extras, de acordo com informações do jornal Piauí Hoje.
Dos mais de 70 integrantes da Frente Parlamentar Evangélica (conheça todos aqui), apenas quatro parlamentares abdicaram de receber 14º e 15º salários: Fernando Francischini (PSDB-PR), Laercio Oliveira (PR-SE), Ronaldo Fonseca (PR-DF) e o presidente da bancada evangélica deputado João Campos (PSDB-GO).
Aprovada pelo Senado em maio último, a proposta pelo fim da ajuda de custo aguarda para ser votada na Câmara dos Deputados há quase um ano. O projeto ficou parado na Comissão de Finanças da Câmara, segundo informações do G1.
A votação só será possível devido a um acordo entre o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e os demais líderes das bancadas partidárias. Durante a reunião, segundo o jornalista Lauro Jardim da Veja, o deputado evangélico Anthony Garotinho (PR-RJ), primeiro vice-presidente da bancada evangélica, sugeriu que para a votação acontecer nesta quarta-feira os parlamentares também votariam um PEC que aumenta os salários dos parlamentares para R$28 mil, igualando ao dos ministros de STF. Segundo Alves, não está previsto nenhuma medida para compensar financeiramente a extinção dos salários extras: “Não [há chance de a Câmara criar compensações para o fim do 14º e do 15º]. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”, pontuou.
Confira a lista com todos os deputados federais que negaram receber o 14º e 15º salários (em negrito estão os evangélicos):
  • Afonso Florence
  • Alexandre Roso
  • Augusto Carvalho
  • Beto Albuquerque
  • Bohn Gass
  • Carlaile Pedrosa
  • Carlos Sampaio
  • Erika Kokay
  • Eros Biondini
  • Fabio Trad
  • Fernando Francischini
  • Francisco Araujo
  • Francisco Praciano
  • Henrique Oliveira
  • Izalci
  • Janete Capiberibe
  • João Campos
  • Laercio Oliveira
  • Lincoln Portela
  • Luiz Pitiman
  • Magela
  • Policarpo
  • Regufe
  • Ronaldo Fonseca
  • Rubens Bueno
  • Ruy Carneiro
  • Sergio Zveiter
  • Severino Ninho
  • Walter Feldman
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Pastor Pat Robertson afirma que demônios podem se apegar a bens materiais e aconselha exorcismo de produtos de segunda mão











O polêmico pastor Pat Robertson chamou novamente as atenções ao dizer que demônios podem se esconder em objetos, e disse que quando se compra roupas de segunda mão, é preciso orar exorcizando as peças por precaução.
O assunto surgiu quando uma telespectadora de seu programa 700 Club afirmou que havia comprado camisolas de segunda mão numa rede de lojas conhecida nos Estados Unidos, e sua mãe havia orientado que ela orasse para repreender possíveis demônios nas roupas.
De acordo com o Huffington Post, a telespectadora, identificada como Carrie, questionava o pastor se realmente era possível que demônios se apegassem a bens materiais.
Robertson contou uma história sobre um caso semelhante e afirmou que “certamente espíritos demoníacos podem juntar-se a objetos”. O pastor ainda ponderou que embora nem todos objetos de lojas de segunda mão venham possuídos, precaução nunca é demais: “Agora, isso significa que todas as roupas de segunda mão é uma embarcação do diabo? Não exatamente. Mas não vai doer nada repreender qualquer espírito que possa ter se apegado a essas roupas”.
O programa 700 Club, da Christian Broadcasting Network, uma rede de TV de propriedade do próprio Pat Robertson, tem servido de palco para que o idoso pastor dê suas opiniões a respeito de diversos temas, como o islamismo, que para ele é “um sistema econômico e político demoníaco com um aparência de religião”, sobre a política presidencial dos Estados Unidos, entre outros.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.