“Jesus Cristo Homem” ressuscitou? Após anúncio de sua morte, líder da seita do 666 reaparece; Assista




Após ter sua morte anunciada, o líder da seita Creciendo en Gracia, José Luis de Jesús Miranda, reapareceu num vídeo divulgado no YouTube, admitindo que passou por problemas hepáticos e desmentindo que tenha morrido.
De aparência abatida, Miranda – que se autointitula “Jesus Cristo Homem” – criticou os veículos de imprensa que noticiaram sua morte a partir das informações divulgadas por sua ex-mulher, e chamou os jornalistas de “animais irracionais”.
No vídeo, que tem uma vinheta de abertura com a manchete “Ele prometeu regressar” seguida do versículo de Isaías 52:6, Miranda afirma que tem descansado no Texas, Estados Unidos, e agora, sente-se “perfeitamente bem” depois do período de cuidados médicos.
Apesar dos indícios de que a notícia de sua morte tenha sido plantada como uma estratégia de marketing, Miranda afirmou que irá processar os veículos de imprensa que não desmentirem a informação de que ele havia morrido. Há ainda, questionamentos sobre a veracidade do vídeo em questão.
Miranda afirmou ainda que “sentiu vontade de rir ao ouvir as mentiras” sobre sua morte, mas diz que já perdoou “espiritualmente” as pessoas que repercutiram a notícia.
Controverso, o “Jesus Cristo Homem” tem estado ausente da mídia desde que anunciou o apocalipse, em 2012. Como o fim do mundo não aconteceu, Miranda, afirmou que passaria por uma transformação e desapareceu dos holofotes.
Este ano, voltou a estampar manchetes quando sua morte foi anunciada, e agora, com seu “retorno”, o líder da seita que venera o número 666 promete que “em breve as pessoas ouvirão” mais sobre ele.

 Assista ao vídeo:




Porque se levantarão falsos Cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos. Marcos 13:22

Trio de adolescentes exorcistas diz que magia dos livros de Harry Potter vem de satanás



O trio de adolescentes exorcistas que vem atraindo a atenção da mídia por suas turnês ao lado do reverendo Bob Larson voltaram a chamar a atenção por suas declarações. Desta vez, o alvo foi o personagem Harry Potter, que protagoniza uma saga nos livros escritos por J. K. Rowling e foi adaptado para os cinemas.
Em Londres, onde gravaram depoimentos para o documentário “Teen Exorcists”, produzido pela BBC, o trio de adolescentes formado por Brynne Larson, 18 anos, Tess Sherkenback, 18, e sua irmã, Savannah, 21 anos, afirmou que a capital da Inglaterra é um “centro de bruxaria”.
Segundo as jovens, Londres teria sofrido um grande aumento de atividades de ocultismo depois do surgimento de Harry Potter. “Eu acho que a cidade tem sido assim por séculos, mas eu acredito que todo chegou ao auge, ao pico, com os livros de Harry Potter, e moda que varreu toda a Inglaterra”, disse Savannah.
A irmã de Savannah, Tess, seguiu o mesmo discurso: “As magias e as coisas que você está lendo nos livros de Harry Potter não são apenas algo que são ficção – essas são magias reais. Essas são coisas que vieram de livros de bruxaria”.
Brynne ponderou que o fato de o bruxo das histórias de J. K. Rowling usar a magia de maneira supostamente inofensiva esconde a verdade das pessoas: “Harry usa esta magia para o bem. Portanto, temos aqui a ideia perigosa que você pode usar esta magia para o bem ou o mal. Considerando que, na realidade, toda a magia é ruim, porque você está recebendo o seu poder de satanás”, disse.
Segundo o Huffington Post, as três jovens afirmaram que prometeram nunca ler os livros de Harry Potter, e que esperam ajudar adolescentes do Reino Unido se defender do “convite de satanás para possuí-las recitando os feitiços dos livros”.


Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Deixar o islamismo para seguir a fé cristã, pode levar a morte







O parlamentar afegão muçulmano Nazir Ahmad  Hanafi, propôs que as pessoas que se convertem do islamismos ao cristianismo sejam executadas, seguindo o que manda a lei islâmica, a  Sharia, com o objetivo de deter o rápido crescimento do cristianismo entre os cidadãos afegãos, no país e no exterior.
Esta petição foi feita após tomar conhecimento de um relatório publicado pela imprensa afegã que ressalta o aumento do número de cristãos no Afeganistão. Outro membro do Parlamento afegão informou que na Índia, onde existem milhares de refugiados afegãos, tornou-se uma comunidade cristã chamada, “Igreja dos Afegãos”, que esta se espalhando ao convidarem os cidadãos de Kabul.
Diante disso, Hanafi disse a assembleia: “Os cidadãos afegãos continuam convertendo-se ao cristianismo na Índia. Isto é uma afronta à lei islâmica e, de acordo com o Alcorão, devem ser executados”.
Em um debate anterior que ocorreu durante uma reunião, outro membro do Parlamento, Abdul Lafit Pedram, afirmou que “as conversões ao cristianismo são o resultado da presença dos Estados Unidos no Afeganistão”.
Como conclusão, Abdul Rauf Lbrahimi, o presidente do Parlamento, condenou todas as atividades do “proselitismo cristão”, no Afeganistão, e ordenou ao Comitê e Segurança Nacional que “siga diante ao assunto seriamente”.
CHOVER SOBRE O MOLHADO
Os líderes islâmicos do Afeganistão consideram o crescimento do cristianismo como uma ameaça para o país e tem posto em estado de alerta o governo sobre a influência dos cristãos.
Nos últimos meses, o ‘Conselho Islâmico do Afeganistão’, relatou com preocupação ao presidente Karzai, da crescente presença de trabalhadores estrangeiros no Afeganistão de religião cristã.
Segundo fontes locais, alguns membros do Parlamento afegão também se converteram secretamente a fé cristã, apesar dos riscos que isso implica.

Portal Padom

Pastor Marco Feliciano ironiza denúncias de corrupção contra o Psol de Jean Wyllys: “Me perseguiram e agora foram denunciados por desvio de verbas”




Uma denúncia de corrupção e crime eleitoral supostamente praticados pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), legenda que abriga o deputado federal Jean Wyllys, foi tema de uma publicação do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) em seu perfil no Twitter.
Feliciano ironizou o fato de que o partido é um de seus principais opositores na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) e agora, está envolto em denúncias de corrupção: “Fiquei sabendo hoje que um dos partidos que mais me perseguiram e que encarnam o moral aqui na Câmara foi denunciado por desvio de verbas de uma ONG. Usaram o dinheiro da ONG para fazerem a campanha dos seus deputados. E pasmem a denuncia foi feita por uma parlamentar deste mesmo partido”, publicou o pastor.
A fala de Feliciano foi comentada pelo pastor assembleiano Abner Ferreira, em tom de ironia: “Marco Feliciano, tem notícias do mensalão do PSOL? O PSOL virou PSIU… Ninguém comenta nada… rsrs”.
A denúncia foi tema de reportagem do Jornal Nacional, que ouviu o deputado Jean Wyllys, citado nas investigações como um dos beneficiados pelo esquema de boca de urna supostamente montado pelo partido nas eleições de 2010. O ex-BBB negou que tivesse conhecimento do caso: “Não tinha conhecimento disso. Para mim, esta referência à boca de urna é uma novidade”.
O desvio
A principal acusada do esquema de corrupção é a deputada estadual Janira Rocha, presidente estadual do PSOL no Rio de Janeiro e líder da bancada do partido na Assembleia Legislativa (Alerj). Gravações feitas durante reuniões da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Sindsprev) mostram a deputada admitindo que se beneficiou de um esquema de caixa dois com o desvio de dinheiro do sindicato.
No áudio obtido pela Polícia, Janira demonstra preocupação com a possibilidade de vazar um documento que a comprometesse: “Qual é o problema? Todo mundo sabe que foi dinheiro para minha campanha, o problema é que tem um documento, em papel timbrado, de uma regional do sindicato, de uma dirigente do sindicato, dizendo, entendeu? Que o dinheiro do sindicato foi para a minha campanha. A gente pode botar no relatório que o dinheiro foi para atividades políticas, mobilizadoras. Não pode dizer que foi para a construção de PSOL, foi para a disputa, para eleger deputado. Isso não pode, isso é crime”, diz a deputada.
Numa entrevista à TV Globo, Janira se negou a comentar as acusações: “Eu não tenho nada a temer. Eu não tive ainda acesso ao dossiê. Eu não vi. Eu não sei do que está dito dentro, a não ser as questões que estão colocadas na imprensa. Eu acho que as gravações refletem uma determinada conjuntura, reflete um debate em que eu estava fazendo, uma discussão que eu estava fazendo – inclusive publicamente”.
“Psol é um PT mixuruca”
Um dos principais críticos aos partidos de esquerda no Brasil, o jornalista Reinaldo Azevedo, de Veja, publicou em sua coluna no site revista um artigo sobre o caso.
“Entre os papéis que compõem um dossiê elaborado por ex-assessores seus [de Janira Rocha], que tentaram extorqui-la, evidências de financiamento irregular de boca de urna das campanhas dos deputados federais Chico Alencar e Jean Wyllys. O primeiro chamou a coisa de ‘papelucho’, indignado, claro! O outro, num tom baixo e profundo, diz não saber de nada. O PSOL é o partido que comandou a invasão da Câmara de Vereadores do Rio porque, sabem como é, não suporta corrupção. Reitero: no partido, Janira é peixe graúdo”, pontuou o jornalista.
O ataque ao Psol foi reiterado pelo jornalista, que classificou o partido como “um PT mixuruca, com complexo de moralidade”, e afirmou que a aplicação da lei deve ser feita em sua íntegra: “Ela [Janira Rocha] recebeu doação ilegal, de maneira confessa e inequívoca, o que resulta, segundo a lei, em cassação de mandato. Mas não só ela. Também o registro do PSOL, se a lei for cumprida, tem de ser cassado”, escreveu Azevedo, citando o Inciso IV do o Artigo 31 da lei 9.096, que regulamenta a atuação dos partidos.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Bancada evangélica tenta obter controle da reforma do Código Penal na Câmara dos Deputados



A bancada evangélica na Câmara dos Deputados está se articulando para liderar a relatoria e a presidência da comissão especial que será instalada na casa com o objetivo de propor mudanças no Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40). Entre os assuntos que serão incluídos na discussão da reforma estão mudanças nas legislações de temas como aborto, eutanásia e homofobia.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), já havia garantido a relatoria da comissão ao deputado Alessandro Molon (PT-RJ), que não faz parte da bancada religiosa. Porém, a disputa pela liderança da comissão fez com que a reunião para eleger o presidente da comissão e o relator da proposta, que estava marcada para ocorrer nessa quarta-feira (4), fosse cancelada.
A movimentação contou com o apoio dos líderes do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), e do PR, Anthony Garotinho (RJ). Os parlamentares indicara para a função o deputado Hugo Leal (PSC-RJ), que também afirma que o presidente da Câmara lhe deu a garantia de que será o relator.
Porém, Leal afirma que apesar de contar com a indicação dos religiosos, não vai acatar prontamente todas as demandas impostas por eles.
- Eu aceito discutir, não simplesmente acatar – disse o deputado.
Hugo Leal comentou também sobre a presidência da comissão. Segundo o iG, ele afirma que a função também é objeto de acordo entre os parlamentares evangélicos e será ocupada pelo deputado João Campos (PSDB-GO), líder da Frente Parlamentar Evangélico.
No Senado, tramita uma proposta similar, a PLS 236/2012, que tem como relator Pedro Taques (PDT-MT). O senador seguiu os argumentos defendidos pelos religiosos, e já retirou do texto a possibilidade de liberação do aborto e também da eutanásia.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Livro contará ações do papa Francisco para combater a ditadura na Argentina e ajudar fugitivos




Inicialmente acusado de colaborar com a ditadura na Argentina (1976-1983), o cardeal católico Jorge Mario Bergoglio é o tema de um livro que será publicado na Itália, contando suas ações durante o Regime Militar em seu país.
À época de sua eleição para o pontificado à frente da Igreja Católica, surgiram denúncias de que o agora papa Francisco teria colaborado com militares, entregando a localização de perseguidos pelo regime que haviam se tornado fugitivos.
De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, uma das reações iniciais contrárias a essa tese foi a do vencedor do prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, que se manifestou de forma contundente sobre o assunto, e acabou influenciando uma busca por informações que esclarecesse o tema.
O jornalista italiano Nello Scavo fez uma investigação minuciosa sobre o caso, segundo informações da imprensa italiana, e afirma em seu livro que Bergoglio possuía uma rede de contatos que eram mobilizados para ajudar diretamente opositores ao Regime Militar.
Com essa rede, Bergoglio ajudava os fugitivos a se esconderem ou a conseguirem sair do país. Os contatos que ajudavam o jesuíta não sabiam uns dos outros, diz o livro.
“Nenhum dos que pertenciam ao sistema Bergoglio sabiam que faziam parte deste. Cada um fazia um favor preciso ao chefe dos jesuítas: um disponibilizava uma cama durante algumas noites, outro ajudava com uma viagem de automóvel e outro comprava passagens de avião ou navio”, explica o jornalista Scavo.
O livro será lançado em outubro na Itália e ainda não tem data para ser traduzido e lançado em português.


Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Em novo vídeo, Porta dos Fundos volta a ironizar cristianismo com piada sobre Jesus e causa polêmica



Após a polêmica em torno do vídeo “Oh, Meu Deus”, o Porta dos Fundos voltou a usar o cristianismo como ingrediente para seu novo vídeo, publicado hoje, 09 de setembro.
O roteiro escrito pelo ator Fábio Porchat em parceria com Afonso Padilha mostra Jesus realizando milagres, como a ressurreição de Lázaro por exemplo, e sendo procurado por homem chamado Sandrinho com trejeitos homossexuais em busca de cura.
No diálogo entre os personagens, Jesus questiona qual seria o motivo de ele ter ido ao seu encontro, e o homem responde: “Eu tenho um fogo, incontrolável. To me queimando por dentro, não aguento mais”.
O personagem Jesus diz não ter entendido a necessidade, e o rapaz responde, de forma dúbia: “Preciso que o Senhor me livre desse mal, que me corrói”. Após algumas tentativas de esclarecer a real necessidade, Jesus pede que o homem fique em silêncio para ele se concentrar e poder realizar o milagre.
Alguns momentos depois, Jesus diz a Sandrinho que seu problema foi curado, e o homem sai agradecendo com trejeitos e vocabulário comuns aos homossexuais. As pessoas que assistiam à conversa olham espantadas, como se houvesse algo errado, e Jesus comenta: “Gente, [era] gastrite”.
Assista ao vídeo “Cura” (o conteúdo pode ser considerado ofensivo):





Oh, Meu Deus
O vídeo “Oh, Meu Deus” causou enorme repercussão entre cristãos nas redes sociais após uma crítica de Marco Feliciano em seu Twitter.
O esquete mostrava uma mulher se consultando ao ginecologista e o médico enxergando traços da imagem de Jesus na vagina da paciente. Na ocasião, o pastor classificou o vídeo como “podre”.
Posteriormente, o pastor voltou ao assunto, dizendo que considerava o episódio “puro vandalismo” da parte do Porta dos Fundos em relação à religião cristã.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Estudo mostra que maioria dos norte-americanos não querem aplicar conceitos bíblicos em suas decisões




A American Bible Society (ABS), entidade norte-americana que atua em assuntos ligados à Bíblia Sagrada, publicou seu relatório sobre um estudo anual realizado para medir a influência do livro na sociedade.
A pesquisa envolve a relevância da Bíblia para a cultura; seu papel na família e na sociedade; presença da Bíblia nos lares norte-americanos; traduções e formatos preferidos; versículos favoritos; e quantidade média de tempo dedicado à leitura, entre outros.
O relatório aponta alguns dados alarmantes: 77% dos norte-americanos acreditam que a moral e os valores estão em declínio nos Estados Unidos, e a causa mais citada pelos entrevistados para esse quadro é a falta de leitura da Bíblia.
Questões comportamentais foram as que produziram uma visão mais paradoxal a respeito da maneira como as pessoas lidam com a Bíblia. Enquanto 66% dos entrevistados concordaram que a Bíblia oferece tudo o que uma pessoa precisa saber para viver uma vida relevante, 58% afirmaram que pessoalmente não querem aplicar a sabedoria e conselhos da Bíblia em suas decisões, e aproximadamente a mesma quantidade, 57%, lê menos de cinco vezes por ano.
Uma situação que se repete em todos os anos é a constatação de que a Bíblia Sagrada continua sendo valorizada e influente nos Estados Unidos. Todavia, as opiniões sobre o papel que o livro deve exercer na sociedade estão cada vez mais polarizadas. Essa tendência se acentua quando os dados são analisados por faixa-etária.
Confira alguns dos principais dados da pesquisa:
  • Uma em cada seis pessoas relataram a compra de um exemplar da Bíblia no último ano
  • 80% dos norte-americanos veem a Bíblia como sagrada
  • Os norte-americanos têm uma abundância de cópias em casa, com uma média de 4,4 Bíblias por domicílio
  • 56% dos adultos acreditam que a Bíblia deve ter um papel maior na sociedade norte-americana
  • A leitura e as percepções sobre a Bíblia tornaram-se cada vez mais divididas, com 6 milhões de novos antagonistas da Bíblia no ano passado
  • Mais da metade (57%) dos entrevistados com idades entre 18 e 28 anos afirmaram ler a Bíblia menos de três vezes por ano
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

James Hunter, autor de “O monge e o Executivo”, afirma que Jesus é o líder mais admirável que já existiu




O guru empresarial, James Hunter, autor do best-seller “O monge e o Executivo”, que está no Brasil para participar da Bienal do Livro no Rio, concedeu uma entrevista falando de liderança e sobre os exemplos de liderança que o inspiram. Durante a entrevista, concedida ao G1, Hunter falou sobre Jesus Cristo, citando-o como “o líder mais admirável que já existiu”.
- É porque Jesus tem influenciado as pessoas há mais de 2 mil anos – explica o escritor, ao falar sobre sua preferência por Jesus como exemplo de liderança.
Aos 59 anos, ele afirma já ter treinado pessoalmente mais de 2 mil executivos nos últimos 20 anos e defende a ideia de que cargos de chefia devem ser ocupados por pessoas de boa conduta, o que defende de maneira ferrenha em seus 2 livros.
- Em minhas palestras, nunca encontrei ninguém que tenha levantado a mão e dito: ‘Discordo, quero trabalhar com um líder corrupto, arrogante (risos)’ – explica.
Juntas, suas duas obras já venderam mais de 4,2 milhões de cópias. Seu segundo livro, intitulado “Como se tornar um líder servidor”, mostra até mesmo no título sua preferência por Jesus como exemplo de liderança. Ele afirma ainda que existem “líderes natos e líderes que aprendem a cumprir a função”, e seus livros seriam um caminho para tal aprendizado.
- Se você tem a habilidade de mover as pessoas, de levá-las à ação, então você é um bom líder. Mas aprender os princípios é fácil, difícil é aplicá-los – ressalta o guru.
Ele falou ainda sobre a liderança dentro da família, citando sua esposa como um exemplo seguido por ele e conta que seu primeiro livro, “O monge e o executivo”, escrito em 1996, tinha como propósito passar seus princípios à sua filha, que tinha 2 anos de idade na época. Ele ressaltou ainda que a necessidade de “transmitir um legado” tinha relação com um momento difícil pelo qual passava, brincando que “estava atravessando uma crise de meia-idade”.
Sobre os princípios propagados em seus livros, o escritor reconhece não propor nada de novo, mas atribui seu sucesso ao modo, supostamente claro e acessível, com o qual propaga tais ideias.
- Não proponho nada de novo, mas apresento de modo simples – resume.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Morreu Champignon, ex-integrante do Charlie Brown Jr. Nas redes sociais, artistas pedem que Deus console a família




O músico Luiz Carlos Leão Duarte Junior, conhecido como Champignon, faleceu na madrugada desta segunda-feira, 09 de setembro. O ex-integrante da banda Charlie Brown Jr. foi encontrado pela esposa Claudia Campos com um tiro no rosto, em seu apartamento em São Paulo.
A morte de Champignon acontece seis meses após a morte de Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr. e amigo de infância do músico. As suspeitas da Polícia é que ele tenha se suicidado.
A esposa de Champignon está grávida de cinco meses, e contou com a ajuda de um vizinho para chamar a Polícia e ser socorrida, pois entrou em estado de choque com a morte do marido, segundo informações dos principais portais de notícia.
Entre os diversos artistas que se manifestaram com pesar pela morte do músico, alguns deles pediram oração pela família. A apresentadora Monique Evans, evangélica, lamentou a morte de Champignon: “Perdi o sono no meio da noite, e soube de mais uma batalha perdida!! Mais um artista, homem, filho, marido e futuro pai se foi! #RIPChampignon. Imagino o coração dessa mulher grávida, e desses amigos que já estavam tão abalados!!Orem e peçam a Deus que alivie a dor dessa família!”, publicou.
A também apresentadora Sônia Abrão, prima de Chorão, prestou suas condolências: “Adeus, Champ… teu amigo Chorão vai te amparar lá no céu!”.
O ator Gustavo Leão lamentou a morte e desejou que a família seja consolada: “Difícil acordar, mais uma vez às 6 da manhã, e saber que mais um dos seus ídolos da adolescência se foi. Um gênio musicalmente falando, mais uma grande perda, para nós, fãs do Charlie Brown Jr., e fã do seu talento. Descanse em paz Champ… Que Deus consiga com o tempo confortar o coração dos seus familiares! #RIPCHAMPIGNON”.
O cantor André Marinho seguiu a mesma linha: “Infelizmente ele perdeu a fé também. O moleque era maneiro. Peço a Deus que conforte o coração da Família e dos amigos”, escreveu. Eduardo Costa, também cantor, manifestou pesar: “Eu nãoo conhecia o #champignon, mas como ser humano jamais ficaria feliz com a morte de qualquer pessoa. Que Deus dê forças a família!”.
O pagodeiro Péricles, ex-integrante do grupo Exaltasamba, publicou uma reflexão sobre a morte do colega de profissão: “Infelizmente, a música perde mais um grande guerreiro pra depressão. Acordei agora com essa notícia e não tenho palavras pra demonstrar minha tristeza em perder esse amigo. Que Deus conforte a sua alma e cuide da família e de todos os que o amavam”, disse. Outro pagodeiro, Dudu Nobre, também manifestou carinho pelo contrabaixista: “Chego em casa agora do show e vejo essa notícia. Vai na fé, Champ. Que Deus conforte a família e os amigos”.
O roqueiro Lobão foi mais econômico com as palavras: “Champignon morreu, meu Deus. Que absurdo. Que coisa mais triste”.
Alguns internautas passaram a fazer piadas com a morte do músico, o que irritou boa parte dos colegas de profissão. O músico Léo Jaime criticou aqueles que se dispuseram a ignorar a dor da perda da família e fazer comentários em tom de zombaria: “Estivemos juntos no último capítulo de Malhação. Ele tentava se reerguer da perda do parceiro. Trollado por muitos. Valeu, Champignon. Obrigado pelas belas canções. Isto é o que vai ficar. Um aviso a geral: não existe prêmio para quem julga os outros mais rápido. Defina hipocrisia. Lamentar a morte de conhecidos é hipocrisia? Por quê? Deveríamos lamentar a morte dos desconhecidos? Como? Outro aviso: não existe concurso para ver quem é o maior ***** das redes sociais. Burrice é a única coisa infinita do universo”.
O baterista Renato Pelado, ex companheiro de Charlie Brown Jr. e hoje evangélico convertido na Igreja Bola de Neve de São Paulo, afirmou que ”lamento muito a morte dele, pois sei que era uma pessoa boa e que foi, além de um grande amigo, um ótimo músico. Não sei o que aconteceu, nem gostaria de comentar sobre o ocorrido, mas posso falar dele, pois sei que tinha um bom coração. Infelizmente sucesso, dinheiro e fama, sem Deus em nossas vidas, não são nada”, resume.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


Meus sentimentos a toda a família enlutada, que Deus possa confortar e fortalecer na caminhada futura, sem seu ente querido. 
Deus esteja com todos vocês.
Amém.
Célia Goulart serva do Senhor Jesus.

Cristão é preso no Marrocos por “balançar a fé de um muçulmano”





No Marrocos, o cristão Mohamed el Baldi, 34 anos, foi condenado a dois anos de prisão por evangelizar dentro do país. Preso durante uma invasão em sua casa no dia 28 de agosto, o cristão foi condenado em audiência que aconteceu no último dia 03. O motivo de sua condenação foi “abalar a fé de um muçulmano”.
No momento de sua prisão, foram confiscados em sua casa diversos objetos ligados à sua fé, como a sua Bíblia. O cristão, que é da cidade de Ain Aicha, também foi condenado a pagar uma multa de cinco mil dirhams (o equivalente a 1.354,50 reais).
A divulgação da fé cristã é um crime previsto pelo artigo 220 do Código Penal marroquino, lei que diz ser ilegal impedir uma ou mais pessoas de praticar a religião pela força, violência ou ameaças, segundo o Ministério Portas Abertas. O Marrocos é o 39º país na classificação dos lugares onde há mais perseguição religiosa em todo o mundo.
A punição atribuída a el Baldi foi maior que a prevista pela constituição do Marrocos, segundo a qual a pena máxima para este crime é a reclusão de três a seis meses e multa de 200 a 500 dirhams (de 54,18 a 135,45 reais).
Convertido ao cristianismo há sete anos, Mohamed el Baldi admitiu na audiência que é amigo de dois cristãos norte-americanos, que lhe forneceram materiais para estudo. Além disso, ele confessou ainda ter participado de reuniões cristãs nas cidades de Meknes e Rabat.
Da população do Marrocos, composta por cerca de 33 milhões de pessoas, mais de 99 por cento é muçulmana; o restante é composto predominantemente de cristãos e judeus.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.