Monsanto estourando a champagne - Eu já assinei a petição e você?


Caros amigos,



Doze países estão prestes a fechar um acordo comercialque permitirá que empresas processem nossos governos para se livrar de leis que nos protegem, mas reduzem os seus lucros! Essa legislação afetará tudo, desde a liberdade na Internet até a rotulagem de alimentos transgênicos. Com 48 horas restantes, três países estão hesitando. Se mandarmos um apelo gigante agora pedindo que eles permaneçam firmes,podemos barrar esta investida corporativa global antes que Monsanto abra sua champanhe e comemore. Assine agora:


assine a peticao
A Monsanto está prestes a celebrar o maior golpe de sua história, mas temos até o fim de semana para impedi-los. 
A Parceria Transpacífico é um grande acordo ultra-secreto entre doze países que dará às corporações um poder sem precedentes - o que lhes permitiriarecorrer a novos tribunais internacionais para processar nossos governos pela aprovação de leis que nos protegem, mas reduzem os seus lucros! Isso se aplica a tudo, desde a rotulagem de alimentos transgênicos até a proteção da liberdade na internet. O Wikileaks trouxe a história à tona e agora a oposição está se organizando rapidamente, mas os países estão acelerando para selar o acordo em 48 horas. 
Isto é um absurdo, mas nós temos uma chance de pará-los - três países estão hesitantes e se eles desistirem, todo o acordo irá por água abaixo. Se enviarmos um enorme e forte apelo para líderes no Chile, Nova Zelândia e Austrália, podemosimpedir a investida corporativa deste mega-negócio antes que a Monsanto abra sua champanhe. Assine agora e compartilhe com todos: 

http://www.avaaz.org/po/no_champagne_for_monsanto_loc/?bIzodcb&v=32298 

O rascunho dos textos da Parceria Transpacífico que vazaram mais parecem uma lista generosa de presentes de Natal para as grandes empresas - o texto estabelece um padrão global de empresas impondo sua vontade sobre nossos governos através de um sistema de tribunais sombrios. Estes tribunais poderão limitar o acesso a medicamentos genéricos baratos em favor de medicamentos de marca, e até mesmo permitir que empresas de cigarro processem governos por regulamentações na área da saúde, que eles dizem ameaçar seus lucros! É quase absurdo demais para ser verdade. 
Mas praticamente ninguém ouviu falar do TPP! As conversas são tão secretas quenem mesmo nossos representantes eleitos sabem o que ele contém - apenas os negociadores e 600 lobistas corporativos o conhecem. Os textos vazados estão chocando políticos e cidadãos do Chile, Nova Zelândia e Austrália. E eles estão resistindo contra o assédio moral das empresas e contra os EUA que está determinado a obter um acordo antes que haja muito debate público. 

O TPP afeta a todos nós - infringe os nossos direitos e enfraquece as nossas democracias apenas para proteger o interesse corporativo. E nós temos apenas alguns dias para detê-lo. Junte-se ao apelo urgente e conte a todos: 

http://www.avaaz.org/po/no_champagne_for_monsanto_loc/?bIzodcb&v=32298 

Pode ser fácil sentir-se pequeno diante de grandes forças corporativas influenciando nossos governos. Mas as pessoas, não o dinheiro, são a verdadeira fonte de poder. Nosso movimento tem provado diversas vezes que quando nos unimos para proteger nossos direitos contra a investida corporativa, nós podemos vencer. Vamos agora impedir esta ameaça sem precedentes para as nossas democracias. 
Com esperança, 
Alice, Jamie, David, Oli, Allison, Emily, Alex, Bert, Julien, Ricken, e toda equipe da Avaaz

Bíblia: sua fama, seu preço Por Alan César Corrêa




Especial “dia da Bíblia”
Meu pai conta que quando ainda garoto no Sul de Minas, ele e seus amigos sempre passavam distantes de uma casa que havia na fazenda. O motivo? Diziam que naquela casa havia um livro preto, chamado “Bíblia”.Essa era a fama da Bíblia há algum tempo atrás. Muitos diziam até que se você a lesse ficaria louco. Eu tinha 14 anos quando comprovei isso, comecei a ler a Bíblia e fiquei louco,  por Deus.Que a Bíblia é o livro mais vendido do mundo, todos já sabem, mas nem todos os meios de comunicação gostam de lembrar isso.A revista Time, por exemplo, há alguns anos parou de colocar a Bíblia em sua coluna de livros mais vendidos. O motivo? Para evitar a redundância, eles disseram. Seria isso mesmo ou seria para não ajudar a promover a fama desse livro?Mas fato é que a Bíblia permanece como o livro mais vendido do mundo.Só no Brasil, em 16 anos de trabalho da Sociedade Bíblica Brasileira (SBB), foram produzidas 100 milhões de Bíblias. Muitas ficaram aqui, outras milhares foram exportadas para mais de 105 países.Em um único ano, a SBB consome bobinas de papel suficientes para dar sete voltas em torno do globo.Todas essas informações deixam qualquer cristão orgulhoso. Mas, nosso maior orgulho não é o fato de a Bíblia ser o maior best-seller, afinal, não praticamos a “bibliolatria”. Nosso maior orgulho é o fato de a Bíblia ser a Palavra de Deus.Quanto vale uma Bíblia nos dias de hoje? Existem algumas versões econômicas que saem por menos de seis reais.Agora, se assim como Bill Gates, você deseja adquirir uma versão original da Bíblia de Gutemberg (de 1455), vai precisar contar com a sorte para que algum dos 22 exemplares restantes vá ao mercado. E mesmo assim terá que desembolsar cerca 100 milhões de dólares.Agora, caso você queira uma Bíblia e esteja na China, deve lembrar que a mesma pode custar sua vida.Mas de nada adianta ter e não ler. Assim como de nada adianta ler e não praticar.
* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva 
responsabilidade dos respectivos autores e não refletem, 
necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

PL 122 tem votação novamente adiada após manobra de bastidores e pressão de lideranças cristãs; Magno Malta quer projeto fora da CDH



A polêmica em torno do PL 122 se estendeu novamente, com o pedido de adiamento da votação feito pelo senador Wellington Dias (PT-PI). O projeto seria apreciado pela Comissão de Direitos Humanos (CDM) do Senado na quarta-feira, 05 de dezembro.Diversos portais de notícia informaram que houve pressão de representantes da sociedade para que a votação fosse adiada. Líderes evangélicos, deputados federais da bancada evangélica, e outros manifestantes pediram a retirada do PL 122 de pauta.
O relator do projeto na CDM, senador Paulo Paim (PT-RS), desabafou contra seus colegas de comissão e revelou uma rejeição à matéria por parte dos parlamentares: “Não teve um líder que defendeu que a matéria fosse votada, nem do PT. Isso tem que ficar muito claro. Tem gente que faz um discurso para fora e outro para dentro. Quer ficar bem para foto e, na verdade, não defende posições”, esbravejou.Paim, que é o responsável pelo texto substitutivo, informou que haverá nova tentativa de acordo sobre o PL 122 nesta quinta-feira: “A Secretaria-Geral da Presidência pediu, via José Pimentel [líder do governo no Senado], que haja essa chance de construir um entendimento em uma reunião nesta quinta-feira. Esse projeto não é bomba, é um projeto que trata de vidas, de direitos humanos”, informou.Uma manobra de bastidores levou o projeto à pauta, mas não obteve sucesso, segundo um dos representantes de movimentos sociais cristãos: “Hoje foi um dia impressionante. Contrariando a promessa de ontem, a Comissão de Direitos Humanos do Senado pôs o PLC 122 na pauta de hoje. A reunião foi tensa, mas a votação foi adiada”, comemorou o padre José Eduardo de Oliveira e Silva, da diocese de Osasco, que acompanhou a sessão ao lado do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) e do padre Paulo Ricardo de Azevedo.Já o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) apresentou requerimento para que o PL 122 seja apensado ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 236/2012, que trata da reforma do Código Penal. Dessa forma, o texto do PL 122 seria totalmente revisado por especialistas, e as inconstitucionalidades e redundâncias da proposta seriam removidas.O senador Magno Malta também apresentou pedido à presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), para que o PL 122 fosse retirado da pauta de votação da comissão e levado à Mesa Diretora do Senado, o que foi negado pela parlamentar, segundo a Agência Senado.
Jean Wyllys protesta
O ativista gay e deputado federal pelo PSOL-RJ usou seu perfil no Twitter para criticar o adiamento da votação do projeto que é visto como uma tentativa de estabelecer privilégios aos homossexuais e ativistas gays.
7. De qualquer forma, ele continua na pauta da Comissão de Direitos Humanos do Senado, apesar das tentativas de retirá-lo de vez dela.
“A CDH do Senado, mais uma vez, se reuniu a fim de apreciar a lei que criminaliza a homofobia (PLC122). Nós nos articulamos com Randolfe [Rodrigues, senador] a fim de garantir quórum para abrir a sessão, para que não se repetisse o que aconteceu antes. Na sessão passada o projeto foi retirado de pauta antes mesmo de qualquer discussão, antes que a sessão fosse aberta. A presidenta Ana Rita mostrou firmeza ao presidir a confusa sessão de hoje na Comissão de Direitos Humanos do Senado! Apesar da firmeza, a falta de entendimento entre o governo, o senador Paim e a própria Ana Rita provocou novo adiamento. Agora a bancada do governo tentará um acordo entre partes favoráveis e contrárias ao projeto para que ele possa ser votado na próxima semana. De qualquer forma, ele continua na pauta da Comissão de Direitos Humanos do Senado, apesar das tentativas de retirá-lo de vez dela. Estamos atent@s!”, escreveu o parlamentar.Apesar da pressão de ativistas gays e entidades de apoio a homossexuais para que o projeto seja votado e aprovado, uma campanha liderada por representantes de igrejas evangélicas já mobilizou milhões de cidadãos e enviou mais de 3 milhões de e-mail aos integrantes da CDH do Senado pedindo a reprovação do PL 122.


Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Pergunta inusitada de fiel leva Show da Fé do missionário R. R. Soares ao Top Five do CQC; Assista





O Show da Fé do missionário R. R. Soares foi parar no Top Five do CQC, na Band, por causa de uma pergunta objetiva e inusitada de um fiel.
No momento em que Soares abriu espaço para perguntas, o homem questionou: “Missionário, se meus eletrodomésticos em casa quebrarem eu posso orar por eles para que eles voltem a funcionar?”.
Com sorriso no rosto, R. R. Soares manteve a postura e devolveu a pergunta: “E se você fosse um consertador e ninguém mais chamasse você? Como ia ser feito? Como você vai criar os filhos?” disse o líder da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIRG).
Na sequência, Soares emendou: “Em uma emergência você pode até orar, teve gente que já orou e funcionou. Mas não fica fazendo de Deus seu marceneiro, não”, afirmou, sorrindo.
O Show da Fé é exibido de segunda a sexta no horário nobre da Band, e essa é a primeira vez que o programa do missionário vai parar no quadro que mostra flagras da televisão humorístico da emissora.
Assista
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Manifestantes pró-aborto são expulsas pela Polícia da Comissão de Direitos Humanos após tumultuarem debate



A sessão da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados realizada ontem, 04 de dezembro, foi tumultuada por manifestantes feministas pró-aborto.
A reunião tinha como objetivo debater a prática do aborto, e contava com a presença do coordenador da Comissão em Defesa da Vida da Diocese de Taubaté (SP), Hermes Rodrigues Nery e do deputado João Campos (PSDB-GO), autor do requerimento que pede a abertura de uma CPI do Aborto.
Segundo informações da Agência Câmara, a Polícia Legislativa precisou retirar três manifestantes da sessão para permitir que os deputados da CDHM pudessem voltar a discutir os temas em pauta.
Uma das manifestantes pintou o corpo de vermelho para, segundo ela, representar o sangue das mulheres estupradas. Essas mulheres recebem, nos postos de saúde, o medicamento conhecido como pílula do dia seguinte para evitar a gravidez indesejada.
A medida, que já era praticada por determinação de uma portaria do Ministério da Saúde, foi oficialmente implantada depois da aprovação da lei 12.845/13, que obriga os hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) a prestar atendimento emergencial e multidisciplinar às vítimas de violência sexual.Essa lei estava sendo criticada pelos parlamentares da bancada evangélica que integram a CDHM, e as manifestantes pró-aborto passaram a gritar palavras de ordem, o que levou a Polícia Legislativa a intervir.O presidente da CDHM, pastor Marco Feliciano (PSC-SP) comentou que a maioria do plenário da comissão era contrária ao aborto, e que isso representava o pensamento da maioria da sociedade sobre o tema.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Morre Nelson Mandela, ícone da luta pela igualdade racial


Presidente da África do Sul entre 1994 e 1999, ele tinha 95 anos.
Líder foi hospitalizado em dezembro para fazer exames de rotina.



O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela morreu aos 95 anos em Pretória, anunciou o presidente do país, Jacob Zuma. Mandela ficou internado de junho a setembro devido a uma infecção pulmonar. Ele deixou o hospital e estava em casa. “Ele partiu, ele se foi pacificamente na companhia de sua família”, afirmou o presidente. “Ele descansou, ele agora está em paz. Nossa nação perdeu seu maior filho. Nosso povo perdeu seu pai.”
Retrato de Nelson Mandela feito em 2009 (Foto: AP)Retrato de Nelson Mandela feito em 2009 (Foto: AP)
presidente desde dezembro. Em abril, as últimas imagens divulgadas do ex-presidente mostraram bastante fragilidade – ele foi visto sentado em uma cadeira, com um cobertor sobre as pernas. Seu rosto não expressava qualquer emoção. Em março de 2012, o ex-presidente sul-africano havia sido hospitalizado por 24 horas, e o governo informou, na ocasião, que Mandela tinha sido internado para uma bateria de exames rotineira.
Em dezembro, porém, ele permaneceu 18 dias hospitalizado, em decorrência de uma infecção pulmonar.No fim de março de 2013, ele passou 10 dias internado, também por uma infecção pulmonar, provavelmente vinculada às sequelas de uma tuberculose que contraiu durante sua detenção na prisão de Robben Island (ilha de Robben), onde ficou 18 anos preso, de 1964 a 1982.
Conhecido como “Madiba” na África do Sul, ele foi considerado um dos maiores heróis da luta dos negros pela igualdade de direitos no país e foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 a 1993.
Ele ficou preso durante 27 anos e ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1993, sendo eleito em 1994 o primeiro presidente negro da África do Sul, nas primeiras eleições multirraciais do país. Mandela é alvo de um grande culto em seu país, onde sua imagem e citações são onipresentes. Várias avenidas têm seu nome, suas antigas moradias viraram museu e seu rosto aparece em todos os tipos de recordações para turistas.
Havia algum tempo sua saúde frágil o impedia de fazer aparições públicas na África do Sul - a última foi durante a Copa do Mundo de 2010, realizada no país. Mas ele continuou a receber visitantes de grande visibilidade, incluindo o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.
Mandela passou por uma cirurgia de próstata em 1985, quando ainda estava preso, e foi diagnosticado com tuberculose em 1988. Em 2001, foi diagnosticado com câncer de próstata e hospitalizado por problemas respiratórios, sendo liberado dois dias depois.
Biografia
Mandela nasceu em 18 de julho de 1918 no clã Madiba no vilarejo de Mvezo, no antigo território de Transkei, sudeste da África do Sul. Seu pai, Henry Gadla Mphakanyiswa, era chefe do vilarejo e teve quatro mulheres e 13 filhos - Mandela nasceu da terceira mulher, Nosekeni. Seu nome original era Rolihlahla Mandela.
Após seu pai morrer em 1927, ele foi acolhido pelo rei da tribo, Jongintaba Dalindyebo. Ele cursou a escola primária no povoado de Qunu e recebeu o nome Nelson de uma professora, seguindo uma tradição local de dar nomes cristãos às crianças. Conforme as tradições Xhosa, ele foi iniciado na sociedade aos 16 anos, seguindo para o Instituto Clarkebury, onde estudou cultura ocidental. Na adolescência, praticou boxe e corrida.
Mandela ingressou na Universidade de Fort Hare para cursar artes, mas foi expulso por participar de protestos estudantis. Ele completou os estudos na Universidade da África do Sul. Após terminar os estudos, o rei Jongintaba anunciou que Mandela devia se casar, o que motivou o jovem a fugir e se mudar para Johanesburgo, em 1941.
Em Johanesburgo, ele trabalhou como segurança de uma mina e começou a se interessar por política. Na cidade, Mandela também conheceu o corretor de imóveis Walter Sisulu, que se tornou seu grande amigo pessoal e mentor no ativismo antiapartheid. Por indicação de Sisulu, Mandela começou a trabalhar como aprendiz em uma firma de advocacia e se inscreveu na faculdade de direito de Witwatersrand.
Mandela começou a frequentar informalmente as reuniões do Congresso Nacional Africano (CNA) em 1942. Em 1944, ele fundou a Liga Jovem do Congresso e se casou com a prima de Walter Sisulu, a enfermeira Evelyn Mase. Eles tiveram quatro filhos (dois meninos e duas meninas) – uma das garotas morreu ainda na infância.

Em 1948, ele se tornou secretário nacional do Congresso Nacional Africano (CNA) – no mesmo ano, o Partido Nacional ganhou as eleições do país e começou a implementar a política de apartheid (ou segregação racial). O estudante conheceu futuros colegas da política na faculdade, mas abandonou o curso em 1948, admitindo ter tido notas baixas - ele chegou a retomar a graduação na Universidade de Londres, mas só se formou em 1989 pela Universidade da África do Sul, quando estava preso.
Em 1951, Mandela se tornou presidente do CNA. Em 1952, ele abriu com o amigo Oliver Tambo o primeiro escritório de advocacia do país voltado para negros. No mesmo ano, Mandela foi escolhido como líder da campanha de oposição encabeçada pelo CNA e viajou pelo país, em protesto contra seis leis consideradas injustas. Como reação do governo, ele e 19 colegas foram presos e sentenciados a nove meses de trabalho forçado.
Em 1955, ele ajudou a articular o Congresso do Povo e citava a política pacifista de Gandhi como influência. A reunião uniu a oposição e consolidou as ideias antiapartheid em um documento chamado Carta da Liberdade. No fim do ano, Mandela foi preso juntamente com outros 155 ativistas em uma série de detenções pelo país. Todos foram absolvidos em 1961.
Em 1958, Mandela se divorciou da enfermeira Evelyn Mase e ele se casou novamente, com a assistente social Nomzamo Winnie Madikizela. Os dois tiveram dois filhos.
Em março de 1960, a polícia matou 69 manifestantes desarmados em um protesto contra o governo em Sharpeville. O Partido Nacional declarou estado de emergência no país e baniu o CNA. Em 1961, Mandela tornou-se líder da guerrilha Umkhonto we Sizwe (Lança da Nação), após ser absolvido no processo da prisão de 1955. Logo após a absolvição, ele e colegas passaram a trabalhar de maneira escondida planejando uma greve geral no país.
Ele deixou o país ilegalmente em 1962, usando o nome de David Motsamayi, para viajar pela África para receber treinamento militar. Mandela ainda visitou a Inglaterra, Marrocos e Etiópia, e foi preso ao voltar, em agosto do mesmo ano. De acordo com o jornal “Telegraph”, a organização perdeu o ideal de protestos não letais com o tempo e matou pelo menos 63 pessoas em bombardeios nos 20 anos seguintes.
Mandela foi acusado de deixar o país ilegalmente e incentivar greves, sendo condenado a cinco anos de prisão. A pena foi servida inicialmente na prisão de Pretória. Em março de 1963, ele foi transferido à Ilha de Robben, voltando a Pretória em junho. Um mês depois, diversos companheiros de partido foram presos.         
Em 1963, Mandela e outras nove pessoas foram julgadas por sabotagem, no que ficou conhecido como Julgamento Rivonia. Sob o risco de ser condenado à pena de morte, Mandela fez um discurso à corte que foi imortalizado.
“Eu lutei contra a dominação branca, e lutei contra a dominação negra. Eu cultivei o ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas vivem juntas em harmonia e com oportunidades iguais. Este é um ideal pelo qual eu espero viver e alcançar. Mas se for necessário, é um ideal pelo qual estou preparado para morrer”, afirmou.
Em 1964, Mandela e outros sete colegas foram condenados por sabotagem e sentenciados à prisão perpétua. Um deles, Denis Goldberg, foi preso em Pretória por ser branco. Os outros foram levados para a Ilha de Robben.
27 anos de prisão
Mandela passou 18 anos detido na ilha de Robben, na costa da Cidade do Cabo, e nove na prisão Pollsmoor, no continente – a transferência ocorreu em 1982. Enquanto esteve preso, Mandela perdeu sua mãe, que morreu em 1968, e seu filho mais velho, morto em 1969. Ele não foi autorizado a participar dos funerais.
Durante o período em que ficou preso, sua reputação como líder negro cresceu e sedimentou a imagem de liderança do movimento antiapartheid. A partir de 1985, ele iniciou o diálogo sobre sua libertação com o Partido Nacional, que exigia que ele não voltasse à luta armada. Neste ano, ele passou por uma cirurgia na próstata e, ao voltar para a prisão, passou a ser mantido em uma cela sozinho.
Em 1988, Mandela passou por um tratamento contra tuberculose e foi transferido para uma casa na prisão Victor Verster. Em 2 de fevereiro de 1990, o presidente sul-africano Frederik Willem de Klerk reinstituiu o Congresso Nacional Africano (CNA). No dia 11 de fevereiro de 1990, Mandela foi solto e, em um evento transmitido mundialmente, disse que continuaria lutando pela igualdade racial no país.
Prêmio Nobel e presidência
Em 1991, Mandela foi eleito novamente presidente do CNA. Nelson Mandela e Frederik de Klerk dividiram o Prêmio Nobel da Paz em 1993, por seus esforços para trazer a paz ao país.
Mandela encabeçou uma série de articulações políticas que culminaram nas primeiras eleições democráticas e multirraciais do país em 27 de abril de 1994.
O CNA ganhou com 62% dos votos, enquanto o Partido Nacional teve 20%. Com o resultado, Mandela tornou-se o primeiro líder negro do país e também o mais velho, com 75 anos. Ele tomou posse em 10 de maio de 1994. A gestão do presidente foi marcada por políticas antiapartheid, reformas sociais e de saúde.
Em 1996, Mandela se divorciou de Nomzamo Winnie Madikizela por divergências políticas que se tornaram públicas. Em 1998, no dia de seu 80º aniversário, ele se casou com Graça Machel, viúva de Samora Machel, antigo presidente moçambicano.
Em 1999, não se candidatou à reeleição e se aposentou da carreira política. Desde então, ele passou boa parte de seu tempo em sua casa no vilarejo de Qunu, onde passou a infância, na província pobre do Cabo Leste.
Causas sociais
Após o fim da carreira política, Mandela voltou-se para a causa de diversas organizações sociais e de direitos humanos.
Participou de uma campanha de arrecadação de fundos para combater a Aids que tinha como símbolo o número 46664, que carregava quando esteve na prisão.
Em 2008, a comemoração de seu aniversário de 90 anos foi um ato público com shows em Londres, que contou com a presença de artistas e celebridades engajadas na campanha. Uma estátua de Mandela foi erguida na Praça do Parlamento, na capital inglesa.


Em novembro de 2009, a ONU anunciou que o dia de seu aniversário seria celebrado em todo o mundo como o Dia Internacional de Mandela, uma iniciativa para estimular todos os cidadãos a dedicar 67 minutos a causas sociais - um minuto por ano que ele dedicou a lutar pela igualdade racial e ao fim do apartheid.

Jean Wyllys critica homenagem a líderes evangélicos: “Deixa de homenagear quem foi de fato relevante à sociedade”




A Câmara dos Deputados realizou hoje uma cerimônia de entrega de medalhas do Mérito Legislativo a personalidades, autoridades e ativistas sociais que, de certa forma, contribuíram com a sociedade brasileira.
Com um total de 46 homenageados, a lista conta com alguns representantes das igrejas evangélicas, como o bispo Robson Rodovalho e o pastor Abner Ferreira.
De acordo com o site da Câmara, a honraria é “destinada a autoridades, personalidades, instituições, campanhas, programas ou movimentos de cunho social, civis ou militares, nacionais ou estrangeiros, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil”.
O deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ) criticou a presença de líderes evangélicos entre os homenageados. Em seu perfil no Twitter, o ex-BBB afirmou que a Casa deixou “de homenagear aqueles que foram de fato relevantes à sociedade e a um Estado democrático de direito e laico”.
“Aconteceu aqui na Câmara, hoje, a premiação do Mérito Legislativo. Um prêmio tradicional por homenagear pastores e grandes empresários. Em 2012 indiquei Mãe Beata e, pela 1ª vez, a Medalha foi entregue a alguém ligado às religiões de matriz africana. Foi um ato simbólico contra a exclusão, pela afirmação do orgulho das comunidades tradicionais e a favor da Laicidade do Estado. Entre Ratinhos, Rodovalhos, Abners Ferreira e Medinas, alguns dos homenageados deste ano, a Câmara repete a velha receita mais uma vez: deixa de homenagear aqueles que foram de fato relevantes à sociedade e a um Estado democrático de direito e laico!”, criticou Wyllys, sem explicar o motivo da diferenciação entre a representante das religiões afro homenageada por ele e os líderes evangélicos lembrados hoje.

A lista completa de homenageados pela Câmara dos Deputados pode ser acessada aqui.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

@TipsForJesus: anônimos deixam gorjetas de até US$ 10 mil em nome de Jesus a garçons




Um movimento anônimo nos Estados Unidos tem deixado gorjetas em nome de Jesus a garçons e feito a alegria de muitos profissionais do ramo.
A maioria das gorjetas do @TipsForJesus foram deixadas em restaurantes da Carolina do Sul, e variaram entre US$ 1 e US$ 10 mil.
O movimento criou um perfil anônimo no Instagram, e publica as fotos das gorjetas extravagantes, fazendo muitos veículos de imprensa locais irem atrás dos garçons, numa tentativa de descobrir quem são os clientes mão-aberta.
“Nunca tinha recebido uma gorjeta tão grande assim, quando eu vi realmente fiquei impressionada”, afirmou uma garçonete ao jornal Daily Dot.
Na descrição do perfil no Instagram o movimento diz aos seus 16 mil seguidores: “Façam a obra do Senhor, uma gorjeta de cada vez”.

Reclamações a respeito do perfil foram registradas pela mídia. Um garçom reclamou que não havia recebido sua gorjeta de US$ 10 mil, e logo o movimento @TipsForJesus tratou de publicar a discriminação da fatura do cartão de crédito e o desconto da gorjeta, culpando o restaurante de não ter repassado o valor ao funcionário.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Arqueólogos revelam descoberta de novas provas da existência de Jesus em moedas do primeiro século




As evidências da existência de Jesus Cristo há tempos não se resumem à fé, princípios e milagres registrados em vídeo. No entanto, uma nova descoberta arqueológica pode acrescentar dados às informações a respeito do Messias.
Classificada pela imprensa internacional como uma descoberta de grande significativa na área da História da Arte, a revelação do historiador, arqueólogo e artista Ronald Stewart de que encontrou moedas cunhadas à mão numa época entre 33 e 47 D.C. com imagens representativas de Jesus alarmou estudiosos de todo o mundo.
A investigação está em curso, mas os resultados iniciais já são apontados como um grande acréscimo de conhecimento à história da arte, cristianismo e história do oriente.
De acordo com o Christian Telegraph, antes desta descoberta, a mais antiga representação conhecida de Jesus Cristo datava de 235 D.C. , no que é conhecido como “O milagre da cura do paralítico”.

Imagem das análises feitas por Stewart nas moedas descobertas
Imagem das análises feitas por Stewart nas moedas descobertas
O historiador Stewart tem usado uma tecnologia avançada de scanners microscópicos para examinar os artefatos descobertos.
“Estou animado com este trabalho. Este é exatamente o tipo pesquisa que os cristãos precisam ficar atentos. A análise de imagens 3D de moedas iniciais com possíveis imagens de Jesus é muito intrigante”, comentou o Dr. Tim White, professor adjunta da Universidade Noroeste e pastor sênior da Catedral de Washington.

Inicialmente, Stewart planeja apresentar as moedas em público pela primeira vez em 2014, e fazer algumas exposições nos Estados Unidos.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Papa Francisco revela que já trabalhou como porteiro de uma boate na Argentina



Durante um encontro com fiéis no último fim de semana, o Papa Francisco comentou sobre os trabalhos nos quais atuou antes do sacerdócio, e revelou já trabalhou como porteiro de uma casa noturna na Argentina.
Segundo o jornal do Vaticano L’Osservatore Romano, o líder máximo da Igreja Católica fez esta revelação durante conversa com os seguidores após rezar uma missa na igreja San Cirillo Alessandrino, no subúrbio de Roma. Durante a conversa, o papa falou sobre sua experiência de trabalho controlando a entrada de uma casa noturna, localizada em Buenos Aires.
Ele comentou também sobre suas experiências varrendo chãos em um laboratório na adolescência, e contou que descobriu sua vocação para o sacerdócio após se confessar com um padre.
Durante a conversa com os seguidores, o líder católico falou também sobre detalhes de sua rotina no Vaticano. O papa explicou que inicia o dia rezando, depois celebra uma missa e então começa a trabalhar; por volta das 13h ele faz uma pausa almoçar e depois descansa por cerca de 30 minutos, antes de retomar suas atividades.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Imagens do milagre: veja vídeo do resgate do náufrago que passou 60 horas submerso clamando por Deus



Foram divulgadas imagens do resgate do cozinheiro Harrison Okene, 29 anos, que sobreviveu a um naufrágio há pouco mais de seis meses, e na ocasião, passou 60 horas submerso.
O vídeo mostra um mergulhador à busca de corpos, quando de repente, a mão de Harrison aparece por baixo dos destroços do barco de pesca, pedindo por ajuda.
O mergulhador acessa o local onde Harrison estava – uma bolha de ar formada por uma parte do navio que afundou em posição invertida – oferece água ao cozinheiro e, depois de instalar o equipamento de mergulho, o retira do local.
Na época do acidente, Harrison testemunhou que somente a ação divina o manteve vivo, pois se o barco de pesca afundasse um pouco mais, ou as correntes marinhas movimentassem os destroços, a bolha de ar poderia encher novamente, levando-o ao afogamento.
“Quando estou em casa, às vezes parece que a cama em que eu estou dormindo está afundando. Acho que ainda estou no mar novamente. Eu não sei o que impediu a água de encher o cômodo. Eu só fiquei chamando por Deus. Ele me protegeu. Foi um milagre”, disse o cozinheiro, único sobrevivente da tragédia.
“Eu estava lá na água em total escuridão e tinha certeza de que era o fim. Fiquei pensando que a água ia encher a sala, mas isso não aconteceu. Eu estava com muita fome, mas, principalmente, com muita sede. A água salgada tirou a pele da minha boca”, revelou Harrison.
A narrativa de Harrison sobre seu resgate condiz com a impressão que as imagens do vídeo deixam: “Ouvi um martelo batendo no navio. Bum, bum, bum! Nadei para baixo e encontrei um dispensador de água. Puxei o filtro e martelei o lado do navio esperando que alguém me ouvisse. Então, o mergulhador me ouviu. Quando eu comecei a acenar, ele ficou chocado”.
Assista a reportagem do Jornal Nacional sobre o resgate:








 Por Tiago Chagas, para o Gospel+



Morreu o ator cristão Paul Walker, da série de filmes Velozes e Furiosos; Conheça seu testemunho




O ator Paul Walker, 40 anos, morreu no último sábado, 30 de novembro, vítima de um acidente automobilístico em Santa Clarita, na Califórnia.
Walker estava se dirigindo a um evento beneficente de carona com um amigo, quando o carro em que estavam, um Porsche Carrera GT, bateu num poste e rapidamente se incendiou. Nenhum dos dois sobreviveu.
O ator ficou conhecido por interpretar Brian O’Conner na série de filmes Velozes e Furiosos, e atualmente trabalhava nas filmagens do sétimo filme da franquia, que tinha previsão de lançamento para 2015. A Universal Studios, responsável pela produção, divulgou nota de pesar pelo falecimento do ator e não informou o que será feito em relação às filmagens que ele já havia participado.
Cristão, Walker cresceu frequentando a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e se formou na Vila Christian School em Sun Valley, Califórnia. Com o sucesso no cinema, criou a Reach Out WorldWide Founder, uma entidade assistencial focada em ajudar pessoas carentes ao redor do mundo.
O evento do qual Walker participava no sábado era voltado à arrecadação de fundos para ajudar as vítimas do tufão Haiyan, nas Filipinas. “Quando você coloca a boa vontade lá fora, é incrível o que pode ser realizado”, costumava dizer o ator sobre a caridade. A frase foi republicada por sua assessoria de imprensa no comunicado oficial sobre sua morte em sua página no Facebook.
Influências cristãs
Além dos trabalhos em projetos sociais de sua fundação, Walker expressava sua fé e princípios cristãos em coisas cotidianas, um pouco menos destacadas pela mídia, como por exemplo, a admiração pela natureza e a forma como exercia a paternidade.
“Eu sou um cristão agora. As pessoas que não entendem são ateus. Eu surfo e pratico snowboard e eu estou sempre próximo à natureza. Olho para tudo e penso: ‘Quem não podia acreditar que existe um Deus? É tudo isso um erro?’ Isso só me deixa louco”, comentou o ator numa entrevista tempos atrás.
A fé expressada pelo ator claramente influenciava na forma como criava sua filha, Meadow Chuva Walker, 16 anos. “É tão engraçado, minha filha agora vive comigo em tempo integral e meu plano original era trabalhar até os 40 anos, em seguida, reavaliar minha vida, e até mesmo ir em uma direção completamente diferente com as coisas”, afirmou o ator em agosto deste ano, numa entrevista à revista GQ. “Eu pensei que a esta altura da minha vida, eu teria que estar em casa com, mas ela quer que eu continue atuando para que ela possa viajar ao redor do mundo comigo”, afirmou.
A proposta da filha, de aproveitar a profissão do pai para passar mais tempo junto com ele, era algo visto pelo ator como diferente, mas proveitoso: “Eu fui para um colégio cristão e nasci de novo. Fui criado em uma família tradicional mórmon onde essas ideias sobre a paternidade são de estrutura e sacrifício. Pensar fora dessa ideia de família e paternidade que eu cresci com é difícil, mas também muito libertador”.
Veja um vídeo de Paul Walker feito 30 minutos antes de sua morte:






Abaixo, um vídeo do Porsche Carrera GT em chamas, logo após a batida:




 Neste vídeo, imagens do carro destruído pelo incêndio após a chegada dos bombeiros:


“Bless Friday”: Igrejas organizam dia de trabalho voluntário como alternativa à Black Friday


Todos os anos milhões de norte americanos vão às lojas na sexta-feira seguinte ao dia de Ação de Graças para aproveitar as promoções da Black Friday, dia tradicional no comércio dos Estados Unidos em que grandes ofertas são colocadas à disposição do consumidor. Porém, esse ano um grupo de igrejas no Texas resolveu oferecer uma alternativa a esse dia, e promoveu a “Bless Friday”, para manter os cristãos longe dos centros de consumo.
De acordo com seus organizadores, a “Bless Friday” tem por objetivo promover um tempo longe dos centros comerciais e das vendas sazonais, de maneira a lembrar às pessoas do verdadeiro objetivo do Natal, envolvendo as congregações em projetos de serviço comunitário.
Chuck Fox, idealizador da Bless Friday, disse em um comunicado no site do evento que se sentiu satisfeito com o envolvimento das igrejas na proposta, e reafirmou a intenção de promover o real significado do Natal.
- Às pessoas, fica a nossa mensagem de que quando nos concentramos demais em comprar coisas perdemos de vista a verdadeira razão do Natal: Recordar e honrar a Cristo. Queremos começar a nossa celebração do Natal servindo aos outros, assim como Jesus fez – afirmou Fox.
A Bless Friday é uma celebração anual que teve início em 2010, inspirada por um sermão pregado na Igreja Católica St. John Vianney, em Houston, no domingo seguinte ao dia de Ação de Graças em 2009. De acordo com o site do evento, Fox, que leva seu pai à missa todos os domingos, ouviu o sermão de como os americanos estão perdendo de vista a real celebração do Natal e decidiu mudar essa cultura.
Voltando então pra sua igreja, a Igreja Presbiteriana Memorial Drive, Chuck Fox conversou com seu pastor, Dave Peterson, e organizou trabalhos de serviço social para serem feitos no próximo ano, 2010.
Em entrevista ao The Christian Post, Fox comentou sobre o crescimento que o evento vem tendo a cada ano, e afirmou que cada vez mais cristãos tem deixado o “empurra-empurra” das lojas durante a Black Friday para ajudar ao próximo, através dos trabalhos voluntários organizados pela Bless Friday.


Por Dan Martins, para o Gospel+

Antes de falecer devido a um câncer cerebral, pregador afirma que não perderia a fé e que “morreria com esperança”




Em 2011, o pregador Brandon Bennings, da Geórgia (EUA), recebeu o diagnóstico de que sofria de uma forma mortal de câncer no cérebro. Aos 23 anos, Bennings começou então uma dura batalha contra a doença, e manteve sempre a fé como seu principal pilar.Durante todo o tempo em que lutou contra o câncer, o pregador fez questão de afirmar que não deixou sua fé de lado, nem mesmo nos maiores momentos de aflição. Apoiado por seus amigos, família e igreja, ele demonstrou confiança e se recusou a desistir da esperança de que Deus poderia livrá-lo do câncer com a cura através da fé. Segundo o The Christian Post, Bennings afirmou que “morreria cheio de esperança”.Bennings subiu ao púlpito de sua igreja, a Casa de Esperança, na cidade de Atlanta, cerca de um ano após ter recebido o diagnóstico, e falou sobre o legado que queria deixar diante do problema. Sob lágrimas, ele deu o testemunho de seu esforço e dedicação, e de como sua saúde foi se deteriorando.Em sua pregação, Brandon Bennings falou sobre a importância de acreditar na capacidade de Deus atender suas preces; e ressaltou que, ainda que qualquer súplica não seja atendida, é necessário manter sua fé de que o Senhor “é capaz”.- É como Paulo disse: ‘Nós somos como epístolas sendo lidas por homens diariamente e por isso eu vivo a minha vida – afirmou, frisando que é preciso saber sorrir e levar a vida adiante.- Eu tenho a esperança de que a minha vida ou meu jeito de ser não serão sempre como eu sou no momento. Mas minha esperança se cumpriu e continua firme com o apoio que eu recebo de familiares e amigos. Minha fé em Deus também é grande, é maior, me mantém de forma predominante. Me conduz ao pensamento positivo e me mantém esperançoso em dizer que isso também vai passar – conclui Bennings em sua mensagem.


Por Dan Martins, para o Gospel+

Escola cristã ameaça expulsar menina negra por causa do seu “penteado afro”



O penteado de uma menina de 12 anos causou polêmica em uma escola cristã em Orlando, no estado norte americano da Flórida. A escola ameaçou expulsar Vanessa VanDyke, que é negra, caso ela não mantenha seu cabelo sob controle.Estudante da escola particular Faith Christian Academy, em Orlando, a menina conta que foi alvo de bullying, por causa de seu penteado “puffy hair”, o que a levou a procurar as autoridades da escola para se proteger de seus agressores. Porém, ela relata que os administradores da escola afirmaram que ela devia mudar seu cabelo.- Houveram pessoas fazendo piadas com ela sobre o cabelo dela, e parece-me que [os funcionários da escola] estão culpando-a – contou Sabrina Kent, mãe da menina.Segundo o WND-TV, Vanessa comentou sobre seu penteado, afirmando ter orgulho dele, e que ele lhe confere personalidade.- Ele diz que sou única – afirmou Vanessa sobre seu penteado.- Estou deprimida em deixar meus amigos e pessoas que eu conheço há um tempo, mas eu prefiro isso do que os diretores e administradores pegando no meu pé e dizendo que eu deveria mudar meu cabelo – acrescentou a menina.Em um comunicado a escola afirmou que não está pedindo para que a menina “corte seu cabelo ou aplique algum produto nele”, mas sim que ela faça um penteado que esteja dentro das normas de conduta da escola que, entre outras coisas, exige que o corte de cabelo de seus alunos não seja “um distração”.-A distração de uma pessoa não é uma distração para o outra. Você pode ter uma criança com espinhas no rosto. Você vai chamar isso de uma distração? – questionou Sabrina Kent, que afirmou que não irá recuar diante das ameaças de expulsão à sua filha.- Se ela quer seu cabelo assim, ela vai manter seu cabelo assim. Há pessoas lá fora que podem pensar que o cabelo natural não é adequado, mas ela é linda do jeito que ela é – ressaltou Sabrina, afirmando que irá lutar por sua filha.


Por Dan Martins, para o Gospel+

Cristãos estão em extinção em países do Oriente Médio, afirma ministra do Reino Unido



Durante um discurso proferido na Universidade de Georgetown, em Washington, a Ministra de Fé e Comunidades do Reino Unido, Sayeeda Warsi, afirmou que em algumas partes do mundo, como o Oriente Médio, os cristãos “correm risco de extinção”, devido à violência dirigida a eles.
- Estou preocupada, assim como outros membros da sociedade, com a significativa quantidade de correspondência que recebemos alertando que o berço do cristianismo – partes do mundo onde o cristianismo se propagou primeiro – está vendo uma grande parte da comunidade cristã indo embora e os que restam sendo perseguidos – afirmou Warsi.
- Um em cada dez cristãos vive em situação de minoria e, um grande número de pessoas que vive em situação de minoria em todo o mundo é perseguido. Eles estão sendo vistos como os recém-chegados, estão sendo tratados como ‘o outro’ dentro dessa sociedade, apesar de estarem ali por muitos e muitos séculos – completou a ministra.
Primeira Muçulmana a servir ao governo Britânico, Warsi é Ministra de Fé e Comunidades, cargo que a coloca como uma ministra sênior do Estado no Escritório de Relações Estrangeiras do Reino Unido.
De acordo com o World Watch Monitor, a ministra ressaltou que “os Cristãos no Oriente Médio são vistos como ‘intrusos’ na região onde têm vivido desde o despontar do Cristianismo”. Ela disse ainda que os cristãos “são vistos como ‘forasteiros’ em sociedades que ajudaram a moldar por séculos, e culpados por ofensas ocidentais”.
- Um êxodo em massa está acontecendo, numa escala Bíblica. Em alguns locais há o perigo real de que o Cristianismo seja extinto – completou Warsi.
Sayeeda Warsi exortou ainda líderes políticos a manterem sua palavra garantindo que suas constituições nacionais sejam cumpridas e que as leis internacionais de direitos humanos sejam seguidas.
- Há muito mais a fazer. Há um consenso internacional na forma de uma resolução do conselho de direitos humanos sobre o tratamento das minorias e a tolerância para com outras religiões, mas nós precisamos construir uma vontade política por trás disso. Temos artigos internacionais, que são os mais traduzidos sobre a liberdade de religião, mas eles não estão implementados; logo, não é apenas ter leis, é necessário que os políticos que tenham a vontade política para implementar essas leis – completou a ministra em seu discurso.
Filha de imigrantes Paquistaneses, Warsi nasceu na Inglaterra e foi elevada à Casa dos Lordes em 2007, aos 36 anos, sendo a mais jovem integrante do parlamento na época. Em 2010, o Primeiro Ministro David Cameron a apontou como ministra sem pasta, em 2012 foi nomeada para a pasta de Fé e Comunidades.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Pastor da Igreja Quadrangular é morto com sete tiros




Na última quarta-feira, 27, o pastor Vicente Lopes Menezes, da Igreja do Evangelho Quadrangular, foi morto a tiros no sítio onde morava no bairro Saré, em Ananindeua, região metropolitana de Belém do Pará. O corpo do religioso foi velado na quinta-feira, 28, na igreja onde ele pastoreava.
pastor-igreja-quadrangular-morto-tiros-Vicente-Lopes-MenezesMenezes, de 56 anos, foi alvejado por sete tiros, e segundo seus familiares ao site G1, o crime aconteceu em um sítio onde há uma carvoaria de propriedade do pastor. Após o culto da quinta-feira à noite, a esposa e os três filhos de Vicente foram ao local em busca do pastor e o encontraram morto, ao lado da carvoaria. Ele teria ido à chácara apagar o fogo do carvão.
A polícia abriu inquérito para investigar a morte do religioso, tendo o caso investigado pela unidade Pro-Paz de Ananidneua, juntamente com a Divisão de Homicídios. Até agora a polícia não tem pistas da motivação do crime, e que nada foi roubado da propriedade, no entanto levanta a hipótese de execução.

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.