Falso padre entra na sala de cirurgia de Michael Schumacher




GRENOBLE, França – Um jornalista tentou entrar na sala de cirurgia de Michael Schumacher, fingindo ser um padre. O caso abriu uma guerra declarada entre médicos, a família, empresários e a imprensa que lota o entorno do hospital onde o alemão está internado desde domingo, em Grenoble.
Michael-Schumacher-hospitalSabine Kehm, empresária do ex-piloto, lamentou a situação e confirmou que seguranças foram colocados no andar onde está Schumacher. Ela não divulgou a nacionalidade do jornalista.
Gerard Saillant, médico e amigo pessoal do alemão, fez um apelo na manhã de hoje para que a privacidade da família seja respeitada e para que a imprensa deixe de solicitar entrevistas com os médicos. “Tudo será comunicado de forma transparente. Mas não vamos fazer tentar adivinhar o que vai ocorrer no futuro”, disse.
“Fazer prognósticos é estúpido”, atacou. “Vamos falar de coisa que ocorrem, pedimos para que não nos peçam para fazer previsões”, insistiu.
Jean François Payan, um dos médicos que cuida de Schumacher,  também apelou à imprensa que entenda o trabalho no hospital. “Não vamos mudar nossa rotina”, disse. “Apenas vamos comunicar quando houver algo relevante a ser dito”, afirmou.
“Peço, em nome da família, que não se faça pressão sobre os médicos e que as informações sejam limitadas à coletiva de imprensa”, apelou Saillant. “Não os peçam entrevistas. Eles tem um trabalho a realizar. É assim que todos nós teremos Michael (Schumacher) ganhando o combate”, disse.
“Estamos um pouco menos inquietos. Mas a situação pode piorar e os médicos tem de trabalhar. Se não ha novidade, não é que estamos escondendo algo”, disse.
O estacionamento do Hospital de Grenoble lotou de caminhões de redes de televisão, transmitindo as imagens a todo o mundo. Na sala de imprensa, os centenas de jornalistas que se acumulavam no local chegaram a brigar por espaço na manhã de hoje.
Estadão | Portal Padom

Doze assassinos do casamento





Meu conselho para os jovens casais é simplesmente este: Não permitam a possibilidade do divórcio em seus pensamentos. Mesmo nos tempos de grande conflito e desânimo, o divórcio não é a solução. Ele apenas substitui uma nova série de sofrimentos para os que o aceitam.
inimigos-casamento-assassinoProteja a sua relação da erosão como se estivessem defendendo suas próprias vidas. Sim, vocês podem fazer juntos. Não apenas podem sobreviver, mas podem manter seu amor vivo se vocês derem prioridade em seu sistema de valores.
Qualquer um desses males pode destruir seu relacionamento se você dar-lhes lugar em suas vidas:
1. Excesso de trabalho ou compromissos e o esgotamento físico
Cuidado com esse perigo. É especialmente insidioso em jovens casais que estão tentando começar uma profissão ou ainda estão estudando. Não tente estudar, trabalhar em tempo integral, ter um bebê, cuidar de uma criança, fazer reparos na casa, começar um negócio ao mesmo tempo. Soa ridículo, mas muitos casais jovens fazem exatamente isso e, em seguida são surpreendidos quando o casamento se desfaz. Por que deveria ser assim? O único momento em que se vêem é quando estão esgotados! É especialmente perigoso quando o marido é o único que tem muitos compromissos ou trabalho, e a esposa passa o dia todo em casa, com um filho em idade pré-escolar. A profunda solidão dela dá lugar a insatisfação e depressão, e todos nós sabemos onde isso vai dar. O casal precisa urgentemente reservar um tempo para eles, se quiserem manter seu amor vivo.
2. Muitas dívidas e o conflito a respeito de como o dinheiro será gasto
Pagar em dinheiro os  itens de consumo, ou não comprá-los. Não gaste mais do que você pode, por uma casa ou um carro, deixando poucos recursos para saírem juntos, para viagens curtas, para pessoas que cuidam das crianças, etc. Distribua seus fundos com a sabedoria de Salomão.
3. O Egoísmo
Existem dois tipos de pessoas no mundo, aquelas que dão e aquelas que tomam. Um casamento entre duas pessoas que são doadoras pode ser uma coisa bonita. No entanto, o atrito é a ordem do dia, entre uma pessoa que dá e a outra toma. Mas duas pessoas que apenas tomam, podem ferir uma a outra até tornar-se uma grave ferida em apenas  seis semanas. Em suma, o egoísmo sempre devasta um casamento.
4. Interferência dos sogros
Se o marido ou a esposa não foi totalmente emancipado dos pais, é melhor não viver perto deles. A autonomia é algo difícil de ser concedido para algumas mães (e pais), e estar muito próximo vai causar problemas.
5. Expectativas irreais
Alguns casais entram no casamento esperando cabanas cobertas de rosas, uma vida sem preocupações ou responsabilidades e alegria ininterrupta. A conselheira Jean Lush acredita, e eu concordo com ela que essa ilusão romântica é particularmente característica das mulheres que esperam mais de seus maridos dos que eles são capazes de dar. A decepção resultante é uma armadilha emocional. Coloque suas expectativas em linha com a realidade.
6. Invasores do espaço
Eu não me refiro aos aliens de Marte. Pelo contrário, a minha preocupação é com aquelas pessoas que violam o espaço de seu cônjuge necessita, rapidamente ele sufoca e destrói a atração que existe entre eles. O ciúme é uma maneira em que esse fenômeno se manifesta. Outra é a baixa auto-estima, o que leva o cônjuge inseguro para interferir no território de outro. O amor deve ser livre e confiante.
7. O abuso de álcool e outras substâncias químicas
Estes são assassinos, não somente dos casamentos, mas também de pessoas. Procure evitá-los como uma peste mortal
8.  A pornografia, jogos de azar e outros vícios
Deveria ser óbvio para todos que a personalidade humana é falha. Tem uma tendência a ficar presa em comportamentos destrutivos, especialmente quando você é jovem. Durante uma fase inicial, as pessoas pensam que podem brincar com as tentações, tais como a pornografia ou jogos de azar sem sair danificado. Na verdade, muitos se afastam quase sem ser afetado. No entanto, para alguns existe uma fraqueza e uma vulnerabilidade que é desconhecida até que seja tarde demais. Então, se encontram viciado em algo que rasga o tecido da família.
Talvez esta advertência lhes pareça bobagem e até pode escandalizar os meus leitores, mas eu fiz um estudo de vinte anos sobre as pessoas que arruinaram suas vidas. Seus problemas começam freqüentemente ao experimentar algo desconhecido, que finalmente terminou com a morte física ou a morte de casamento. As restrições e os mandamentos das Escrituras são projetados para proteger-nos do mal, embora seja difícil de acreditar quando somos jovens. “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). Se mantivermos nossa vida limpa e não nos permitirmos jogar com o mal, os vícios que têm devastado a humanidade nunca será capaz de nos tocar .
9. A frustração sexual, a solidão, a baixa auto-estima e a quimera de infidelidade
Uma combinação mortal!
10. Fracasso nos negócios
Em particular, fracasso nos negócios afetam negativamente os homens. Seu interesse por reveses financeiros, por vezes, mostra com irá e raiva dentro do seio familiar.
11. Sucesso nos negócios
É quase tão perigoso ser muito bem sucedido no mundo dos negócios, como ter fracassado neles. O escritor de Provérbios disse: “Não me dês a pobreza nem a riqueza; manter-me o pão necessário” (30:8).
12. Casar-se muito jovem
As meninas que se casam entre quatorze e dezessete anos de idade são duas vezes mais propensas ao divórcio do que aqueles que se casam aos dezoito e dezenove anos. Aqueles que se casam entre dezoito e dezenove anos são uma vez e meia mais propensas ao divórcio do que aqueles que se casam em seus vinte e trinta anos.
As pressões da adolescência e as tensões dos primeiros anos de vida de casado não fazem uma boa dupla. Termine o primeiro antes de começar o segundo.
Conclusão
Estes são os assassinos do casamento que eu tenho visto com mais freqüência. Mas, na verdade, a lista é praticamente interminável. Tudo que é necessário para que cresça mais fortes as ervas ruins é uma pequena rachadura na calçada. Aqueles que querem superar a lei das probabilidades relativas ao divórcio e manter à união matrimonial estreita a longo prazo, deve levar a tarefa a sério . A ordem natural das coisas e deixá-los longe um do outro e não uni-los.
Como superar a lei das probabilidades? Como formar uma relação consistente para durar até que a morte vos faça empreender a última viagem? Como você se inclui entre o número cada vez mais reduzido de casais de maior idade que tem colhido toda uma vida de recordações e experiências felizes? Mesmo depois de cinqüenta ou sessenta anos de casamento, todavia ainda se buscam mutuamente dar incentivo e compreensão.  Seus filhos cresceram em um ambiente estável, amoroso, e não terão cicatrizes emocionais ou lembranças amargas para apagar. E os seus netos não terão que explicar delicadamente por que “os avós já não vivem juntos”. Só o amor prevalece.
É assim que Deus queria que fosse, e ainda é algo que pode ser alcançado. Mas não há tempo a perder. Reforcem as margens do rio. Defendam o forte. Traga as dragas e tornam mais profundo o leito do rio. Mantenha as poderosas correntes em seus próprios canais. Somente essa medida de determinação vai manterá o amor que começaram, e há muito pouco na vida que compete com essa prioridade.
por: Dr. James C. Dobson, Ph.D.
Traduzido e adaptado por Portal Padom
Portal Padom

Ativistas questionam: como seria se Maria abortasse Jesus? Entenda



A criatividade de ativistas pró-vida tem sido usada contra a truculência dos favoráveis ao aborto. Na última semana, uma integrante do Femen profanou o altar de uma igreja ao urinar no local e simular o aborto de Jesus. Essa semana, nos Estados Unidos, as canções de Natal e uma manjedoura vazia foram as estratégias dos defensores da vida.
Em Chicago, uma das maiores cidades norte-americanas, os ativistas firmaram posição contra o aborto organizando cantatas de Natal sob a pergunta: o que teria acontecido se Maria tivesse abortado?
Para ilustrar a campanha, montaram manjedouras vazias próximo a clínicas legalizadas de aborto, e organizaram um concerto com músicas natalinas, de acordo com informações do Christian Post.
A repercussão do ato, segundo Eric Scheidler, diretor executivo do grupo Pro-Life Action League (Liga de Ação Pró-Vida, em tradução livre para o português) foi positivo por parte das pessoas que passavam pelo local.
Eric ressaltou que já esperava esse resultado, pois em outras oportunidades que a estratégia foi posta em prática, as pessoas impactadas demonstraram sensibilização ao verem a manjedoura vazia.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Internautas criam campanha contra revista Veja por deixar Marco Feliciano de fora da lista de personalidades do ano

Imagem Ilustrativa

Em 2013, um dos nomes mais comentados na política e na sociedade brasileira foi o do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), devido às polêmicas em que se envolveu quando foi acusado de homofobia e racismo e também por ocupar a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).
A revista Veja tradicionalmente faz uma lista de personalidades do ano, e em sua edição de 2013, Marco Feliciano não apareceu. O portal Uol, um dos que mantém a mesma prática, colocou o pastor na lista e o público o colocou em segundo lugar das personalidades mais influentes nos últimos 12 meses.
Internautas criaram no Twitter uma campanha de protesto contra a Veja por deixar o pastor de fora. As alegações dos admiradores de Feliciano era que ele foi um dos políticos com maior exposição na mídia.
O próprio Marco Feliciano comentou a postura da Veja e explicou que foi procurado por uma das repórteres da revista, que tentou agendar entrevista e uma sessão de fotos para a matéria especial, mas o contato não foi adiante.
“Estava lendo minha timeline, e li alguns comentários sobre a Veja não ter me citado sobre personalidade do ano. Agradeço a jornalista da Veja, Thaís Botelho , por me procurar para a tal citação. Entendi que o Editor-Chefe da @VEJA  não aceitou, ou seja, boicote mesmo, mas mesmo assim obrigado a Thaís. Escrevi estes posts só pra informar aos meus seguidores que a Veja se lembrou de mim sim… (risos) Abraços”, escreveu o pastor.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Jornalista critica ateus e sugere paz ao invés de ódio





A hostilidade de ativistas ateus contra cristãos durante o Natal, uma das datas mais celebradas na religião, foi criticada por um jornalista, que num artigo escrito sobre o assunto, sugeriu que os descrentes optassem pela paz numa época tão importante para os fiéis.
O motivador do artigo de Sanjay Sanghoee foi um outdoor agressivo publicado por uma entidade ateísta com os dizeres “Ninguém precisa de Jesus”.
Em seu texto para o Huffington Post, Sanjay ressalta que é direito dos ateus não crerem em divindades, mas os atos hostis são desnecessários e distorcem o direito à liberdade de expressão.
O jornalista destaca que o outdoor em questão obteve um resultado de antipatia por parte da população em geral, e mesmo que a iniciativa tenha sido motivada pela postura de grupos religiosos radicais, com a hostilidade os ateus só estariam sendo desrespeitosos, se igualando às pessoas que pretendiam criticar.
“Tentar descartar Jesus Cristo do Natal não está em sintonia com o espírito de respeito e o grupo ateu que publicou este outdoor ofensivo precisa entender isso”, frisou Sanjay.
O artigo ainda destaca que, se os ateus querem marcar posição em busca de respeito, deveriam aproveitar os princípios estabelecidos pela sociedade para o “clima de Natal” e usá-los para promover um diálogo positivo sobre a liberdade de pensamento, crença e expressão.
Em sua conclusão, Sanjay destaca que, ao dizer que “ninguém precisa de Cristo”, os ateus manifestam uma opinião contraditória, pois permitem a conclusão de que existem muitas pessoas que buscam apoio em Jesus Cristo, independentemente de haverem outras que não crêem n’Ele.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Com saída do pastor Marco Feliciano, bancada evangélica tenta manter presidência da Comissão de Direitos Humanos





O mandato do pastor Marco Feliciano à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) na Câmara dos Deputados gerou interesse dos parlamentares da bancada evangélica, e a meta é que um de seus integrantes assuma quando Feliciano deixar o posto oficialmente.
Uma reunião para definir quais partidos assumirão a presidência das pastas em 2014 está marcada para o dia 03 de fevereiro, e a proposta da bancada evangélica é influenciar a direção das legendas a indicar deputados evangélicos para a CDHM.
De acordo com informações do portal Terra, a ideia da bancada é aproveitar os holofotes gerados pela passagem de Feliciano pela CDHM e tentar conseguir a mesma visibilidade do pastor assembleiano.
Feliciano assumiu a presidência da CDHM sob fortíssima pressão, e foi hostilizado por ativistas gays e outros manifestantes a deixar o posto. Resistente, o pastor se manteve no cargo com uma jogada política: ofereceu deixar o comando da pasta se os deputados João Paulo Cunha e José Genoíno (PT-SP) renunciassem a seus postos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), uma vez que haviam sido condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão.
Como 2014 é ano de eleições, a bancada evangélica espera que a divulgação das pautas da CDHM seja a mesma deste ano, e assim, possa atrair votos para seus integrantes. Um dos mais cotados para assumir a presidência da comissão é o deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que é um dos aliados de Marco Feliciano.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Retrospectiva 2013: os principais fatos que cercaram a comunidade cristã no último ano

 

O ano que se encerra à meia-noite de hoje, 31 de dezembro, foi marcante para o público evangélico por conta de intensas discussões a respeito da liberdade de crença e expressão, embates com ativistas gays, polêmicas sobre racismo e homofobia que cercaram o pastor Marco Feliciano (PSC-SP), novela com personagem evangélica, entre outros.
Talvez o evento mais chocante do ano tenha sido a prisão do pastor Marcos Pereira, líder da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), acusado de estuprar fiéis de sua denominação. Mesmo com pontos obscuros na investigação, como as denúncias de depoimentos forjados contra Pereira, o pastor foi condenado em primeira instância e está preso no complexo penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro.
Os holofotes sobre Marco Feliciano também foram intensos e acusatórios. O pastor da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento e deputado federal virou o centro das atenções políticas quando foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados.
Feliciano já era velho adversário dos ativistas gays, que com sua exposição, passaram a atacá-lo de forma mais acentuada, repercutindo antigas declarações do pastor sobre homossexualidade, e acusando-o de racismo, por ter dito certa vez que, na teologia, há uma linha de pensamento que defende a teoria de que descendentes de Noé, amaldiçoados por seu patriarca, tinham ido habitar a África.
As declarações, inoportunas para o canal que Feliciano usou – o Twitter – foram propagadas fora de contexto e se tornaram combustível para a maior pressão política e social que se tem notícia de que um único deputado tenha sofrido. Firme, o pastor resistiu ao cargo e ainda desafiou, em troca de sua renúncia, o Partido dos Trabalhadores – legenda esta que foi sua maior adversária na CDHM – a retirar os parlamentares João Paulo Cunha e José Genoíno, condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.
O mandato de Feliciano à frente da CDHM terminou com o pastor sendo portador de alto capital político, convidado por diversos partidos para sair candidato nas eleições de 2014. No entanto, Marco Feliciano optou por permanecer em sua legenda, o PSC, e tentar a reeleição na Câmara. Há quem acredite que as urnas reservam aproximadamente 1 milhão de votos para o pastor. A conferir.
As eleições 2014, quando a presidente Dilma Rousseff (PT) tenta a reeleição, também foi fator importante para a derrubada do polêmico PLC 122, projeto que tramita há mais de uma década no Congresso Nacional e que previa, segundo a maioria dos líderes evangélicos do país, “privilégios para ativistas gays” em detrimento de direitos constitucionais universais a todos os brasileiros.
Preocupada em manter o apoio de correntes dentro do meio evangélico, Dilma pediu aos senadores que votassem o PLC 122 apenas após as eleições. O pedido, acatado pela bancada governista, foi logo esquecido após a decisão dos senadores de apensar o projeto ao texto do novo Código Penal, que vem sendo costurado no Senado com a ajuda de renomados juristas.
Dessa forma, o PLC 122, proposto pela ex-deputada Iara Bernardi, foi enterrado politicamente. A derrota irritou um dos principais ativistas gays do Brasil, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Há a possibilidade de que suas propostas retornem em forma de artigos no novo Código Penal, mas a discussão em torno do tema será extensa e demorada.
Um dos que mais comemoraram o fim do PLC 122 foi o pastor Silas Malafaia. Conhecido por seu empenho contra o projeto, o pastor organizou uma manifestação pacífica em Brasília no dia 05 de junho, reunindo inúmeros artistas gospel e milhares de fiéis em frente ao Congresso Nacional, para pedir a preservação da liberdade de expressão, religiosa, defesa da família e da vida.
Na política, o pastor deu o tom de sua postura ao expressar-se publicamente contra o PT na esfera federal, e zombar do partido após o anúncio de Marina Silva como integrante da candidatura de Eduardo Campos (PSB) ao Palácio do Planalto. À época, o pastor usou o Twitter para provocar a legenda: “Chora PT”.
No cenário cristão, Malafaia se viu estampado como um dos cinco líderes religiosos mais ricos do Brasil pela edição nacional da revista Forbes. O pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) foi apontado como proprietário de uma fortuna de US$ 150 milhões, logo atrás do apóstolo Valdemiro Santiago, que teria patrimônio equivalente a US$ 220 milhões e do bispo Edir Macedo, proprietário da TV Record e supostamente de valores que chegariam a US$ 950 milhões. Completavam a lista da Forbes o empresário e missionário R. R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus e “dono” de US$ 125 milhões; e o casal Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo. Juntos, Estevam e Sonia, seriam donos de aproximadamente US$ 65 milhões.
A fortuna atribuída a Valdemiro Santiago teria chamado a atenção de outros integrantes da Igreja Mundial do Poder de Deus e virado protagonista de um escândalo interno na denominação. Desvios de dízimos e ofertas teriam aberto um rombo nas contas da igreja e resultado no afastamento do bispo Josival Batista, braço direito do apóstolo e responsável pelas contas da igreja. Batista foi transferido para Portugal, enquanto que outros 100 pastores, subordinados a ele, foram afastados de suas funções.
As dívidas da Mundial teriam chegado a R$ 21 milhões, e a maior parte do valor seria de aluguéis das programações de emissoras do Grupo Bandeirantes, como o Canal 21 e a própria Band. Com a falta de pagamento, a denominação neopentecostal perdeu os horários que ocupava para sua maior concorrente, a Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo.
Sem espaço nas principais emissoras em que veiculava seus cultos, Valdemiro apostou na exposição de sua imagem, e encontrou guarida no SBT, emissora que há tempos ele sonda para ocupar a grade de programação nas madrugadas. Embora suas tentativas venham sendo rechaçadas, Valdemiro ajudou o SBT a derrubar a TV Record – emissora de seu adversário, bispo Macedo – durante um domingo, quando participou do programa Domingo Legal. A boa performance rendeu outros dois convites: uma entrevista ao apresentador Ratinho, seu antigo desafeto, e uma participação no Programa Silvio Santos, ao lado do homem do baú, que ainda não foi levada ao ar.
O público evangélico viu, em 2013, a Globo mergulhar de cabeça na sua estratégia de buscar aproximação com o público evangélico. Os executivos da emissora da família Marinho não sabiam, no entanto, que a piscina era rasa. As empreitadas com o Festival e Troféu Promessas foram fracassadas. O primeiro, registrou a menor audiência desde que foi lançado, e o segundo, teve sua festa de premiação cancelada por causa dos custos.
A maior ambição das Organizações Globo era substituir a falida Expocristã com sua Feira Internacional Cristã (FIC), porém a iniciativa também não saiu como esperado, e provavelmente a FIC não tenha uma segunda edição. A estratégia mais bem sucedida até o momento é a criação de um núcleo evangélico na novela Amor à Vida, escrita por Walcyr Carrasco. O sucesso – se o critério de avaliação for a audiência – da personagem Gina, convertida ao Evangelho, resultou no retorno à trama do personagem Efigênio, como pastor de uma igreja apresentada pela novela sem caricaturas. As redes sociais, que antes eram palco de críticas à emissora por conta das personagens evangélicas caricatas, não registraram protestos contra o folhetim.
No âmbito internacional, temas como perseguição e intolerância religiosa tem sido manchete nos principais veículos de informação voltados ao público cristão. Um dos ícones cristãos do século XX, o evangelista Billy Graham (conhecido por superar barreiras de perseguição religiosa mundo afora e anunciar o Evangelho), pregou seu último sermão aos 95 anos em novembro, numa edição da Cruzada Minha Esperança que foi planejada durante meses por seus auxiliares. Com a saúde debilitada, Graham esteve internado duas vezes esse ano por conta de problemas respiratórios, e seu filho caçula, o pastor Franklin, pediu oração por seu pai.
A Igreja Católica assistiu a eventos inéditos em sua história recente, como a renúncia do papa Bento XVI e a eleição a pontífice do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, que já havia sido cotado para o cargo em 2005, durante o conclave que definiu Joseph Ratzinger como sucessor de João Paulo II.
Carismático, Bergoglio escolheu ser chamado Francisco, em referência ao religioso que inspira os integrantes das organizações franciscanas dentro da Igreja Católica, e conquistou a simpatia do mundo com seu jeito simples e sua mensagem de humildade. A primeira viagem do novo papa foi ao Brasil, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que reuniu milhões de católicos no Rio de Janeiro.
Para 2014, as eleições e a realização da Copa do Mundo no Brasil deverão atrair as atenções para o nosso país. Movimentos sociais, que entre junho e julho deste ano tomaram as ruas – com apoio de diversas lideranças cristãs – em protestos contra a corrupção e a favor de reforma política, prometem voltar à carga durante a realização dos jogos entre seleções organizados pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) e durante a campanha eleitoral.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Morte de Juscelino Kubitschek é investigada como assassinato


A morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek ganhou uma nova explicação em 2013

A morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek ganhou uma nova explicação em 2013. A versão oficial, segundo a qual JK morreu em agosto de 1976 em um acidente de automóvel, foi contestada pela Comissão Municipal da Verdade de São Paulo Vladimir Herzog. Após uma série de audiências durante o ano para investigar a morte do ex-presidente, a comissão decidiu declarar, em dezembro, que houve assassinato.
A versão oficial sobre a morte afirma que Juscelino e seu motorista, Geraldo Ribeiro, morreram em um acidente de trânsito na Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, quando o carro em que estava o ex-presidente colidiu com uma carreta, após ter sido fechado por um ônibus.
Para o presidente da comissão, o vereador Gilberto Natalini, no entanto, uma das principais evidências de que houve crime e não um acidente está em perícia que menciona a existência de um fragmento metálico no crânio do motorista do ex-presidente.
Em setembro, a comissão pediu à Justiça a exumação do corpo de Geraldo Ribeiro, o que ainda não foi feito, segundo o vereador, por resistência da família. Mas, em 1996, uma perícia feita pela Polícia Civil de Minas Gerais no corpo do motorista apontou a existência desse fragmento. A explicação dada à época era de que se tratava de um prego do caixão, mas a comissão acredita que possa ser um projétil de arma de fogo.
- Houve contestação, fala-se que isso é uma fantasia, mas a quantidade de fatos e dados que temos da possibilidade de Juscelino ter sido morto é muito grande. Tem coisas que são muito suspeitas de uma morte natural. Por exemplo, a tentativa de forjar, obrigar ou corromper as pessoas para que dissessem que o ônibus bateu no Opala é altamente suspeita. Por que se faria isso? – questionou o vereador.
A investigação da morte de Juscelino rendeu um documento de 29 páginas, onde foram apresentados os indícios e provas de que o ex-presidente foi assassinado. A comissão ainda pretende encaminhar o resultado para a presidenta Dilma Rousseff e para o Congresso Nacional, pedindo que seja oficialmente reconhecido.
Durante o ano, a comissão municipal também investigou a morte do jornalista Vladimir Herzog, tomando o depoimento, entre outros, de Silvaldo Leung Vieira, autor da foto de Herzog morto, com um cinto no pescoço, o que sustentou a versão do Exército de que ele teria se suicidado nas dependências do Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), onde estava preso.
No entanto, em março deste ano, a família do jornalista recebeu um novo atestado de óbito, que declarou que Herzog não se suicidou, mas morreu em decorrência de lesões e maus-tratos sofridos durante interrogatório. Em sua homenagem, a comissão inaugurou, em outubro deste ano, a Praça e o Memorial Vladimir Herzog, no centro da capital.
Em dezembro, a comissão também resgatou os mandatos de vereadores de São Paulo que haviam sido cassados ou impedidos de assumir seus mandatos durante o Estado Novo (1937-1945) e a ditadura militar (1964-1985). Em 1937, 19 parlamentares foram cassados com base na Constituição outorgada em novembro daquele ano, que fechou todas as casas legislativas do país. A partir daí, ocorreram cassações ou medidas autoritárias que impediram que vereadores exercessem seus mandatos em quatro ocasiões: 1947, 1951, 1964 e 1969. Ao todo, segundo levantamento da comissão, 42 vereadores foram cassados.
A comissão vai prosseguir em 2014 o trabalho de identificar os logradouros e praças na capital paulista que foram batizados com nomes de torturadores ou de pessoas associadas à ditadura militar, para depois propor a mudança dos nomes. “Queremos propor, em atacado, para a prefeitura e para a Câmara, que toda pessoa envolvida em tortura e que tiver homenagem na cidade tenha seu nome ou homenagem excluído”, disse Natalini.
Para o próximo ano, a comissão municipal também pretende ouvir o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ex-governador de São Paulo José Maria Marin, sobre sua atuação durante a ditadura militar e, especialmente, sobre um discurso que fez, em 1975, quando era deputado estadual pela Arena, em que criticou a atuação da TV Cultura, na época dirigida por Vladimir Herzog.
Alguns dias após o discurso, Herzog foi convocado para prestar esclarecimentos no DOI-Codi, onde foi morto. Segundo Natalini, como a comissão de São Paulo não tem poder de convocação, foi encaminhado um pedido para que a Comissão Nacional da Verdade convoque Marin.
A comissão quer ouvir também o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que foi acusado pelo ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior de ter colaborado com a ditadura militar. Em livro, Tuma Júnior diz que Lula foi informante de seu pai, o falecido senador Romeu Tuma, que foi diretor do Departamento de Ordem Política e Social (Dops).
O requerimento para que Lula seja convidado a prestar depoimento já foi aprovado e assinado, mas ainda falta ser encaminhado para o ex-presidente, que poderá declinar, já que se trata de convite e não de convocação. A comissão, segundo Natalini, também pretende ouvir o autor da denúncia.
Outra tarefa da comissão para 2014 será discutir uma forma de identificar os corpos que são enterrados nos cemitérios da capital paulista como anônimos. “Estamos trabalhando para ter um banco de dados genético [projeto de lei proposto pelo vereador do PSDB Mario Covas Neto] daqueles que são enterrados sem identificação para tentarmos identificar essas pessoas”, disse Natalini.


:defesahetero5@gmail.com

No dia de Natal, homem em busca de dinheiro para drogas mata a mãe, vai a igreja pedir perdão e se entrega à Polícia



ilustrativa.


Um homem assassinou sua mãe por ela ter negado dinheiro para compra de drogas, foi à igreja pedir perdão e depois procurou a Polícia para confessar o crime.
Aguinaldo Alves Correa, 45 anos, foi preso em Londrina, interior do Paraná, em frente à Delegacia de Polícia da cidade. Ele se entregou por iniciativa própria, depois de ter ido a um culto pedir perdão pelo matricídio.
O crime aconteceu na madrugada do dia 25 de dezembro, num condomínio residencial. Zenir Alves Correa, 69 anos, negou o dinheiro ao filho para que ele comprasse drogas. Inconformado, ele pegou um criado mudo e jogou contra a cabeça de sua mãe, e depois usou os pés do móvel para matá-la a pauladas.
O porteiro do condomínio contou à Polícia que Aguinaldo chegou à casa por volta das 4h30, e era possível ouvir a discussão entre mãe e filho. O criminoso saiu novamente às 6h00, com o carro de sua mãe.
O corpo da idosa foi encontrado pela polícia horas depois, no início da noite. O próprio Aguinaldo ligou para a Polícia depois que o corpo foi encontrado, confessou o crime e foi à delegacia se entregar.
Em seu depoimento, Aguinaldo disse ter ido a uma igreja assistir ao culto e pedir perdão pelo crime cometido contra a própria mãe.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Pastor Silas Malafaia diz que, para obter sucesso pessoal em 2014, o segredo é “seguir orientações de Deus”





As escolhas que fazemos refletem diretamente no sucesso ou fracasso das empreitadas a que nos aventuramos. Esse princípio transcende questões religiosas, e tem ligação direta com a dinâmica da vida.
O pastor Silas Malafaia publicou artigo em que diz que o sucesso depende da compreensão dos efeitos das “decisões que [são] tomadas com a orientação de Deus e as que são tomadas sem ela”.
Planejar o ano que se inicia durante o ano que se encerra é algo comum a todas as pessoas. Avaliar erros e acertos, alinhar novas direções e tentar executar essas diretrizes é sempre uma tarefa penosa.
Para Malafaia, “quando tomamos decisões sem, antes, buscar a direção do Senhor, seguimos o nosso raciocínio lógico, deixamos que as emoções nos dirijam e tendemos a trilhar o caminho mais fácil. Consequentemente, perdemos a visão espiritual e preocupamo-nos apenas com o que é imediato”.
O pastor cita uma recomendação de Jesus para alertar sobre os riscos dessa postura: “Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir”, escreveu Malafaia, parafraseando Jesus em Mateus 6:25.
“O homem pode ser enganado pelos seus próprios desejos. Infelizmente, até cristãos se têm deixado conduzir pelos sentimentos, desejos e pelas concepções próprias, tomando atitudes precipitadas; alguns têm baseado a sua fé puramente nas emoções [...] A razão também é falha. Raramente ela poderá, sozinha, levar-nos a uma escolha acertada. Quem é dirigido só pela razão e/ou pelas emoções está fadado ao fracasso, pois suas escolhas são feitas com base apenas no que ele entende. Assim, precisamos submeter nossas escolhas e decisões a Deus e recorrer à Sua Palavra, para descobrir o melhor caminho a seguir”, orienta o pastor.
Malafaia reforça que confiar em Deus para a tomada de decisões tem um fator determinante: ele conhece o futuro, enquanto nós estamos limitados ao que se sabe sobre ontem e hoje
“Nós vivenciamos o ‘aqui e agora’, mas Deus sabe exatamente o que ocorrerá depois. O Senhor é onisciente e presciente, sabe de tudo antecipadamente. Devemos, portanto, entregar a direção da nossa vida ao nosso Criador, sendo obedientes à Sua Palavra e à Sua voz, pois o Senhor guiará os nossos passos, e o sucesso será uma consequência”, conclui o pastor.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

AOS AMADOS LEITORES DE MEUS BLOGS DESEJO A TODOS UM FELIZ ANO NOVO E AGRADEÇO A CADA UM POR ESTAR CONSOCO NO ANO DE 2013, ESPERO CONTINUEMOS JUNTOS EM 2014. DEUS ABENÇOE A TODOS OS LEITORES.

                RECEITA DE ANO NOVO




Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegramas?)
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas nem parvamente acreditar que por decreto de esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987)





C̩élia: Here's what you made happen in 2013 (CÉLIA: Veja o que você fez acontecer em 2013)


hsi-email-logo-2013.jpg





CÉLIA, 

Hoje, gostaríamos de agradecer a todos que você está fazendo e dizer um grande obrigado por tudo que você fez acontecer no ano passado.

Por causa de sua ação:

  • Escravos para crianças na Índia estão sendo dado uma voz na luta para acabar com o trabalho forçado infantil;
  • O trabalho forçado está sendo impedido sob contratos com o governo dos EUA;
  • Escravidão moderna foi criminalizado na Austrália;
  • As vítimas de tráfico em os EUA continuam a receber proteção e apoio;
  • Mídia internacional foi repleta de notícias de ativistas Caminhada Grátis vestidos como personagens de vídeo para entregar petições para Nintendo;
E há apenas duas semanas ...
  • FIFA se comprometeu a manter a escravidão moderna fora da Copa do Mundo no Catar 2022.
Obrigado por ajudar a tornar tudo isso possível. Por causa de sua dedicação, apoio e ativismo, estamos mais perto de acabar com a escravidão moderna em nossa vida Estamos ganhando força, mas nós precisamos de sua ajuda para mantê-lo ir -. Você vai ajudar? Clique aqui para doar seu tempo e conhecimento para ajudar a acabar com a escravidão moderna.

Acreditamos que cada pessoa na caminhada da comunidade livre tem algo único e valioso para oferecer. Estamos escrevendo para você, porque nós sabemos que você é um ativista comprometido que é apaixonada por acabar com a escravidão moderna.
A nossa comunidade precisa de apoio em diversas iniciativas diferentes - sua habilidade e esforço poderiam ser as peças que faltam que precisamos fazer grande mudança acontecer em garantir que os governos, empresas e pessoas em todo o mundo estabelecem acabar com a escravidão como uma prioridade em 2014.

  Clique aqui para se inscrever como voluntário para projetos Caminhada Livre.

Infelizmente, o mundo não está cheio de CÉLIA Goulart s, mas temos certeza que você conhece algumas pessoas que compartilham de sua dedicação a esta causa - você vai ter um momento para encaminhar este e-mail para eles?

Obrigado mais uma vez.

Em solidariedade,

Debra, Mich, Jess, Kamini, Sarah, Olly, Kate, Joanna, Jayde, Mika ea equipe da caminhada grátis

PS No Twitter? Siga-nos

Frente Parlamentar Evangélica estima crescimento de 30% em sua bancada para 2014




Com a proximidade das eleições de 2014, diversas projeções são feitas em relação à distribuição do poder político de país e da representatividade dos mais diversos setores da sociedade. Entre esses estão os evangélicos que, segundo estimativa da Frente Parlamentar Evangélica da Câmara dos Deputados, deve ter um crescimento de 30% em sua bancada no próximo ano.

A estimativa é de que os parlamentares ligados a igrejas evangélicas passem dos atuais 73 parlamentares para até 95 – ocupando algo em torno de 18% das cadeiras disponíveis. De acordo com especialistas, tais números são bastante prováveis, tendo em vista a força alcançada por esse segmento da sociedade, que representa atualmente 22% de toda a população brasileira.

- A presença dos evangélicos nunca foi tão grande. O debate (pautado pelo grupo) cresceu em eleições e no Legislativo – afirma a cientista política e professora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Maria do Socorro Sousa Braga.

Alvo de diversas polêmicas em 2013, sobretudo depois que assumiu a residência da Comissão de Direitos Humanos, o deputado pastor Marcos Feliciano (PSC-SP) se coloca com um dos principais catalizadores desse crescimento.

- Minha participação na comissão despertou católicos, evangélicos e espíritas – afirma o parlamentar.

A projeção para as eleições de 2014 são também de que temas que pautam os discursos de muitos desses parlamentares evangélicos ganhem grande atenção nos debates eleitorais, como em 2010, quando caros aos evangélicos, como o aborto, pautaram a disputa direta entre Dilma Rousseff (PT) e Jose Serra (PSDB).

De acordo com o Estadão, a atenção a esses temas é reforçada por afirmações de políticos como o deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, que afirma que o grupo não deve abrir mão de seus posicionamentos, independente de seus interesses partidários.

- Sou do PSDB e meu candidato é o Aécio, mas não vou protegê-lo. Em todos os temas relacionados à defesa da vida, da família natural, à liberdade religiosa, que são valores da sociedade, os candidatos terão que se posicionar – afirma Campos.

O possível crescimento da representatividade dos evangélicos é vista com desconfiança por críticos, como o deputado e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ), que afirma que “partidos ligados aos religiosos já estão se esforçando para pautar as eleições com a temática contra o casamento gay, o aborto e a criminalização das drogas”.
Compartilhar

- Querem, de maneira geral, rebaixar o debate para questões morais e comportamentais – critica Wyllys.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.