Com saída do pastor Marco Feliciano, bancada evangélica tenta manter presidência da Comissão de Direitos Humanos





O mandato do pastor Marco Feliciano à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) na Câmara dos Deputados gerou interesse dos parlamentares da bancada evangélica, e a meta é que um de seus integrantes assuma quando Feliciano deixar o posto oficialmente.
Uma reunião para definir quais partidos assumirão a presidência das pastas em 2014 está marcada para o dia 03 de fevereiro, e a proposta da bancada evangélica é influenciar a direção das legendas a indicar deputados evangélicos para a CDHM.
De acordo com informações do portal Terra, a ideia da bancada é aproveitar os holofotes gerados pela passagem de Feliciano pela CDHM e tentar conseguir a mesma visibilidade do pastor assembleiano.
Feliciano assumiu a presidência da CDHM sob fortíssima pressão, e foi hostilizado por ativistas gays e outros manifestantes a deixar o posto. Resistente, o pastor se manteve no cargo com uma jogada política: ofereceu deixar o comando da pasta se os deputados João Paulo Cunha e José Genoíno (PT-SP) renunciassem a seus postos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), uma vez que haviam sido condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão.
Como 2014 é ano de eleições, a bancada evangélica espera que a divulgação das pautas da CDHM seja a mesma deste ano, e assim, possa atrair votos para seus integrantes. Um dos mais cotados para assumir a presidência da comissão é o deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que é um dos aliados de Marco Feliciano.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.