Pregador de rua é preso por pregar contra a homossexualidade em praça pública






Um pregador de rua foi preso por falar abertamente contra pecados sexuais, que segundo ele, estão inclusos o adultério, promiscuidade e a homossexualidade. A Polícia o deteve após uma mulher prestar queixa aos gritos dizendo que havia se ofendido por ter um filho gay.
O evangelista norte-americano Tony Miano estava divulgando o Evangelho numa das praças de Dundee, a quarta maior cidade da Escócia, e estava acompanhado do pastor Josh Williamsom, líder da Igreja Batista Reformada em Perth. Havia ainda uma equipe de evangelismo formada por fiéis da denominação.
Após os berros inconformados da mulher, uma amiga dela tentou intimidar os demais evangelistas: “Tony não estava focando apenas na prática homossexual – tratava-se de todo pecado. Uma mulher estava gritando com ele e sua amiga percebeu que estávamos filmando a pregação, então ela correu até mim e tentou quebrar minha câmera”, disse o pastor Josh.
Diante do tumulto, Tony, o pastor e a equipe de evangelismo decidiram que seria melhor encerrar as atividades. Segundo o Christian Today, enquanto se organizavam para sair do local, a Polícia abordou o pregador.
“A policial viu que tinha uma câmera e se dirigiu a ela, e em seguida, o policial masculino agarrou-a e jogou-a no carro da polícia”, relatou o pastor Josh. Os policiais conversaram com a mulher que prestou queixa e logo depois, detiveram o pregador. “Depois de Tony foi colocado no carro da polícia eu perguntei por que ele estava sendo preso e foi dito que era por perturbação da paz e uso de linguagem homofóbica”, acrescentou.
O Centro Legal Cristão, entidade que atua pela preservação da liberdade de crença e expressão, afirmou que o pregador Tony Miano não foi interrogado pelas autoridades e está sendo mantido preso de forma não esclarecida.
“Esta parece ser uma reação com excesso de zelo por parte da polícia [...] O incidente aumenta o número de detenções de cristãos evangelistas de rua por pregarem a Bíblia. Isso é um indicativo da supressão da liberdade de falar e viver as palavras de Jesus Cristo em público e apresentar os ensinamentos da Bíblia”, comentou Andrea Minichielo Williams, diretora do Centro Legal Cristão.
Tony Miano é um ex-policial e capelão do Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles, e atualmente trabalha como professor de evangelistas de rua.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.