Em meio a crise social e política, Ucrânia escolhe pastor evangélico para comandar o país interinamente





A Ucrânia atravessa um momento de crise institucional, com a deposição do presidente Viktor Yanukovich por conta de protestos no país contra a política internacional adotada por ele. Apesar da crise e das mortes entre forças militares e manifestantes, o momento de efervescência social uniu cristãos católicos, evangélicos e ortodoxos, que pedem paz.
Yanukovich foi deposto pelo Congresso do país, e agora, as autoridades procuram pelo ex-presidente para cumprir um mandado de prisão. A crise no país se iniciou quando o então presidente negou um acordo comercial com a União Européia para estreitar ainda mais os laços com a Rússia, algo rejeitado pela população.
O presidente interino do país, Oleksander Turchynov, indicado para comandar a transição política da Ucrânia, é um pastor evangélico e tem uma longa carreira política. Aos 49 anos, lidera uma pequena Igreja Batista, e concilia seu ministério com suas atividades públicas.
Segundo informações do Jornal Nacional, apesar de aceitar o desafio, Turchynov já avisou que não concorrerá nas próximas eleições presidenciais, abrindo a disputa para todos os grupos políticos.
De acordo com informações do WNYT, a União de Igrejas Evangélicas da Ucrânia se reuniu para selar uma posição a respeito da crise, e publicou um documento pedindo que a sociedade ucraniana ponha fim à violência. Um trecho do comunicado diz que “sem arrependimento, graça, perdão e reconciliação, o país continuará dividido e em conflito”, acrescentando: “Esta é a pré-condição para uma profunda transformação espiritual da Ucrânia… Apelamos às igrejas evangélicas da Ucrânia que sirvam para trazer a paz entre as pessoas e curar as feridas da guerra”.



Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.