Jovem estudante enfrenta perseguição para se dedicar à evangelização no sudeste da Ásia




                                       
IMAGEM APENAS ILUSTRATIVA



Em relato publicado pelo Ministério Portas Abertas, uma estudante de seminário de Mianmar, país do sudeste asiático, revelou como tem enfrentado as dificuldades e a perseguição para pregar o evangelho.
Moradora de um vilarejo onde moram 60 famílias, a jovem conta que apenas 6 dessas creem em Jesus. Em um país onde apenas 4% da população é cristã, a jovem, que teve o nome omitido por razões de segurança, quer iniciar um ministério para evangelizar no local.
Com a ajuda do Portas Abertas ela está estudando e espera se formar em março deste ano, podendo assim servir melhor à sua comunidade e divulgar o Evangelho.
- Estou sofrendo, mas continuarei orando e estudando a Bíblia; não vou parar. Não cessarei meus estudos e compartilharei o Evangelho. Em Cristo, posso todas as coisas – declara a jovem, que conta na carta divulgada pelo Portas Abertas como nasceu o desejo de servir como missionária.
- Há muito tempo atrás, algumas pessoas vieram para o nosso vilarejo para servir e pregar o Evangelho, mas elas perderam suas vidas por causa da perseguição. Quando isso aconteceu, os cristãos desapareceram. Agora, não há pastor, evangelista ou missionário trabalhando em minha comunidade – afirma a jovem.
- Vendo isso, pensei que, se eu não estudar e trabalhar entre meu povo, a obra de Deus entre eles poderá acabar – completou, ressaltando seu chamado missionário.
A jovem comentou ainda sobre a dificuldade enfrentada para pregar o Evangelho em sua região e afirma que chegou a pensar em desistir, mas que sua fé a impulsionou para continuar o trabalho missionário.
- Por diversas vezes, senti que deveria parar, deveria cessar meus estudos e meu compromisso em servir ao Senhor por causa do sofrimento que enfrentamos na comunidade. Mas, ao ponderar e dedicar um tempo à oração, Deus remexeu meu coração e eu percebi que estava seguindo os passos de Jesus, passando pela estrada do Calvário, o caminho da cruz – explica a seminarista.
Ela relatou ainda já ter sido atacada ao compartilhar a Palavra de Deus em um vilarejo em sua região, e afirma que se tornar um missionário em seu país é uma tarefa árdua, que demanda estar primeiro presente e atuante na comunidade, para só então falar sobre Cristo. Apesar das dificuldades, ela afirma estar firme em seu propósito de servir.
- Estou sofrendo, mas continuarei orando e estudando a Bíblia; não vou parar. Não cessarei meus estudos e compartilharei o Evangelho. Em Cristo, posso todas as coisas. – afirma a jovem, sem deixar de lado sua perseverança.
- Ainda sou jovem no ministério. Estou aprendendo no seminário, mas, durante as férias, sirvo no campo missionário e enfrento diversas dificuldades nessas regiões. Também sei que, quando estiver formada e comprometida em servir no campo missionário, mais dificuldades virão – completa.


Por Dan Martins, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.