A igreja é como um aprisco de ovelhas e não estábulo para bodes! Por Silvio Costa


Imagem Ilustrativa


Quanto a você, meu rebanho, assim diz o Soberano Senhor: Julgarei entre uma ovelha e outra, e entre carneiros e bodes. Ezequiel 34:17 (NVI)

Até quando o crescimento faz bem a igreja? Depende de qual crescimento estamos falando, se do quantitativo ou do qualitativo. Quem sabe numa tentativa de unificar as distinções citadas pudéssemos dizer: bem, o crescimento será saudável em quantidade e qualidade à igreja, quando em suas perspectivas ela for capaz de proclamar fielmente as boas novas do Evangelho aos perdidos, instruir na fé os novos crentes, edificar os mais experientes, desenvolver obreiros e ministérios bíblicos e cumprir sua missão primaz de fazer discípulos.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. João 10:27 (NVI)
Umas das tarefas mais árduas para uma igreja local é sem dúvida o discipulado, pois consome recursos, requer tempo, necessita de dedicação dos mais maduros da comunidade quanto à interação e integração dos noviços aos padrões e resignações da vida cristã. Não existe discipulado com tempo determinado para acabar, na verdade discipulado é contínuo e para todos da igreja, não é um curso preparatório pré-batismal, não é um conjunto de regras aplicado a membresia local e tão pouco é “tempo de casa” eclesiológico (tem gente há vinte anos na igreja que ainda precisa aprender muito de e com Jesus).
Mas tirou o seu povo como ovelhas e o conduziu como a um rebanho pelo deserto. Salmos 78:52 (NVI)
Em um tempo em que quase não há investimento das igrejas em discipulado sério (fraternal e financeiro); onde rebanhos passaram a representar cifras monetárias e campos eclesiásticos foram transformados em “herança da família do pastor”; a pessoa do evangelista foi sendo transfigurada pela maioria dos tele-evangelistas em um mero pedinte de ofertas (perdeu seu propósito e credibilidade). Desenvolveu-se um discipulado relâmpago que pretende produzir “crentes instantâneos” e com mãos abertas para sustentar necessidades e projetos fora das perspectivas de contexto humano do Reino de Deus.
Contudo, por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro. Salmos 44:22
Infelizmente essa nova geração de crentes tende a ser cada vez mais liberal, dona da razão, materialista e contestadora de tudo pela omissão da igreja em discipular. É o mais evidente sinal de que se a igreja falha em sua missão tarefa, a pós-modernidade doutrina bem sobre a criação de bodes e a exterminação proposital de ovelhas. Essa maneira instantânea de produzir novos discípulos com foco no aumento das contribuições e sem a devida atenção e cuidados da igreja local tem gerado cristãos de araque, barganhistas espirituais de terceira e um grande colegiado de Judas Iscariotes. Contrariando a alguns, discipulado não tem tempo determinado para acabar, é contínuo como missão institucional da igreja cristã e ininterrupto na relação pessoal de cada salvo com o Cristo Salvador.
E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda. Mateus 25:33 (NVI)
Não existe na biologia animal um híbrido que seja ovelha e bode ao mesmo tempo, como também na zootecnia, ambos tem papéis e comportamentos distintos mesmo pertencendo ao mesmo parentesco do reino animal. Da mesma forma, também não existe meio-crente, não existe o morno (pelo menos na ótica divina), não há lugar para o mais ou menos nos enquadramentos da Palavra de Deus. Nosso Deus é de posições claras, de mandamentos definidos e colocações objetivas; pra Ele é direita ou esquerda, verdade ou mentira, luz ou trevas, céu ou inferno, ovelha ou bode. Deste modo a igreja de Deus sempre será como um aprisco de ovelhas e não estábulo para bodes, como querem muitos.

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade 
dos respectivos autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.