Ex-terrorista do Boko Haram se converte ao cristianismo e revela as atrocidades do grupo





À primeira vista, a foto de Nasir Isiaku reflete a imagem de um jovem, agradável suave e sensível. Por trás dessa cara que transpira inocência esconde um guerreiro feroz membro islâmico de uma organização terrorista ligada à sangrenta terrível seita Boko Haram.
boko-haram-ex-terrorista-cristão

Este “jovem” era um lobo em pele de cordeiro, uma cobra verde camuflado na grama verde, uma máquina de matar que odiava os cristãos das profundezas do seu ser.
Isiaku Nasir, 27, descreveu a si mesmo como um guerreiro islâmico que tinha prazer em cortar a cabeça dos cristãos, mas depois de deixar o grupo Boko Haran e converter-se a Cristo, Nasir Isiaku, tem falado com a imprensa ocidental, revelando as obscuras ideologias desta organização africana e seu estremo ódio contra os cristãos de todo o mundo.
“Nossos lideres nos ensinavam que quanto mais cristãos matássemos, mais probabilidades teríamos de entrar no paraíso. Algumas formas de treinamento eram raras. Bebíamos uma água especial, que alguns chamariam de “água espiritual”, porque não era uma água comum. Recebíamos também estranhos visitantes, que não pareciam em nada com seres humanos. Se manifestavam de diversas maneiras. Nossos chefes nos pediam que recitássemos algumas passagens do Alcorão, para fazer com que esses seres aparecessem.”, relata Nasir;
“Havíamos planejado matar todos os cristãos de Kaduna, antes de ocuparmos para outro do Norte. Antes de cada operação, bebíamos da água espiritual, e nos tornávamos mais ousado para cometer o mal.”, continua o ex-terrorista.
Ele também relata que “Eu não me recordo de quantas pessoas matei. Pegávamos nossas armas para disparar nas pernas. Quando perguntamos a uma vítima ‘Você quer ser muçulmano?’, se respondesse “não”, o degolávamos como uma cabra. E depois de termos matado os infiéis, recolhíamos seu sangue em um pequeno copo e bebíamos. Assim, o fantasma da pessoa degolada não poderia perseguirmos em nossos sonhos. Isso era o que afirmava o nosso chefe. E, de fato, se havíamos provado seu sangue, não o veríamos em nossos sonhos. Algumas vezes, quando não queríamos beber seu sangue, simplesmente molhávamos os dedos nele e logo passávamos nos lábios e isso era o suficiente para impedir o fantasma de nos perseguir em nosso sonhos”.
Nasir Isiaku, relata ainda que após tornar-se cristão passou a ser perseguido pela seita Boko Haram.

Portal Padom

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.