Homens gays são apenas 2% da população nos EUA, mas são 63% de todos os novos casos de AIDS Kirsten Andersen




O Centro de Controle das Doenças (CDC) dos EUA publicou um novo relatório que destaca o perigo potencialmente letal do sexo anal.
Em seu mais recente relatório (Morbidity and Mortality Weekly Report), a agência de saúde disse que apesar dos homens com atração ao mesmo sexo corresponderem a 2% do total da população, eles contabilizam 63% de todos os novos casos diagnosticados de HIV/AIDS em 2010. Mais da metade de todas as pessoas atingidas pelo vírus da AIDS nos EUA são homossexuais, e muitos deles contraíram a doença em decorrência da prática do sexo anal.
“Muitos homens gays e bissexuais adquirem HIV por meio do sexo anal, que é o tipo mais arriscado de sexo para contrair ou transmitir HIV,” escreveu o CDC no relatório de 26 de setembro (em anexo), liberado para coincidir com o dia nacional de conscientização dos homens gays com HIV/AIDS em 27 de setembro.
Com base em recentes estudos, o CDC estima que cerca de 18% de todos os homens homossexuais estão infectados com HIV. Assustadoramente, mais de 1/3 desses infectados não sabem que têm o vírus letal, tornando-os potenciais transmissores por não tomarem as devidas precauções. A desenfreada promiscuidade da população homossexual apenas torna as coisas piores, segundo o CDC.
“Tendo mais parceiros sexuais comparado a outros homens significa que homens gays e bissexuais têm mais chances de ter relação com alguém que possa transmitir HIV ou outra doença sexualmente transmissível (DST),” disse o CDC. “Da mesma forma, entre homens gays, aqueles que têm mais parceiros estão mais expostos e propensos de pegar o HIV.”
O relatório do CDC vem na sequência de um relatório (PDF em inglês) de 23 de setembro publicado pelo Ministério Saúde Pública da Inglaterra que revelou problemas similares no Reino Unido. Um em cada 34 homens gays no Reino Unido tem o HIVI, e em Londres, o número sobe para 1 em 12. A prática do sexo anal é responsável por mais da metade de todos os novos casos diagnosticados de HIV no Reino Unido a cada ano, apesar dos gays serem apenas 2% da população total também lá.
“[Homens Gays] registram altos níveis de conduta sexual arriscada, incluindo números maiores de parceiros sexuais e relação anal não protegida,” descreve o relatório. ”Isso apesar de a maioria ter sido orientada por propaganda de prevenção ao HIV e ter acesso a preservativos.”
Contudo, o uso de preservativos não é a varinha mágica contra a infecção do HIV. Pelo fato de que a sodomia é inerentemente mais bruta do que práticas de sexo normal, os preservativos frequentemente rompem-se. Um estudo recente da Tailândia revelou que mesmo com 100% de uso, 1 em cada 5 homens gays contraiu o HIV em um período de até 5 anos após sua primeira relação anal.
O HIV não é o único perigo letal ao qual o sexo anal pode levar. Câncer anal é outro risco mortal. De Acordo com o CDC, homens que se envolvem com sodomia têm uma probabilidade 17 maior de contrair o câncer anal, que mata cerca de 40% de suas vítimas num prazo de 5 anos.
Traduzido por Luiz C Cantanti do artigo de LifeSiteNews: CDC:  Gay men make up only 2% of US, but 63% of all new AIDS cases

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.