Ataque a jornal deixa pelo menos 12 mortos em Paris 7/1/2015 12:00 Por Redação, com Reuters - de Paris





O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto

O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto

Doze pessoas, incluindo dois policiais, foram mortas em um ataque a tiros ao prédio em Paris do semanário Charlie Hebdo nesta quarta-feira, disse um porta-voz da polícia, atualizando o número de vítimas do ataque.
O presidente da França, François Hollande, disse que não há dúvida de que o ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo nesta quarta-feira, no qual ao menos 12 pessoas foram mortas, foi um ataque terrorista.
O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto.

Testemunhas disseram ao canal de notícias francês iTELE terem visto o incidente a partir de um prédio próximo no coração da capital francesa.
– Cerca de meia hora atrás dois homens com capuz preto entraram no prédio com (fuzis) Kalashnikovs – disse Benoit Bringer à emissora. “Poucos minutos depois, nós ouvimos vários tiros”, disse, acrescentando que os homens depois foram vistos fugindo do prédio.
O policial Luc Poignant disse ter conhecimento da morte de um jornalista e de vários feridos, incluindo três policiais.
– É uma carnificina – disse Poignant à BFM TV.
A sede do Charlie Hebdo foi alvo de ataque com uma bomba incendiária em novembro de 2011 após o jornal ter publicado uma imagem do profeta Maomé em sua capa.
Sede do jornal espanhol El País
Funcionários do Grupo Prisa, ao qual pertence o jornal El País e outros veículos de comunicação, tiveram que abandonar às pressas a sede da empresa, em Madri, Espanha. Segundo empregados do jornal ouvidos pela Agência Brasil, a polícia madrilenha evacuou o prédio por causa de suspeita de que havia uma bomba no interior do prédio.
O edifício foi evacuado por volta das 14h30 (11h30 em Brasília). Os funcionários permaneceram do lado de fora do prédio por mais de uma hora e meia. Eles retornaram ao trabalho no início da tarde. Nenhum dos funcionários ouvidos pela reportagem soube informar o conteúdo do pacote encontrado no prédio. No entanto, o jornal publicou matéria revelando tratar-se de uma garrafa conectada de forma rudimentar a uma lata de spray que, segundo a Polícia Nacional, não oferecia qualquer perigo.
O alerta no El País foi disparado poucas horas após três homens armados invadirem a sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, na França, e matar 12 pessoas, entre cartunistas, policiais e outros funcionários da publicação. O jornal é alvo de constantes ameaças de fundamentalistas religiosos ofendidos com as charges e críticas ao islamismo e a Maomé. Os três criminosos ainda não foram detidos e a França está em estado de alerta a possíveis atentados terroristas.

Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do  
Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.




Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.