Aprovação do casamento gay na Igreja Presbiteriana leva a perda de membros e congregações





A decisão da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA) em admitir a união homossexual entre seus membros vem tendo uma consequência séria em relação aos membros e congregações que integram a denominação.
A PCUSA é uma das denominações presbiterianas dos Estados Unidos. O termo “presbiteriana” é usado como forma de descrever o modelo hierárquico de governo da igreja, e não sua doutrina. Em uma comparação simplista, a PCUSA seria uma dentre os vários ministérios das Assembleias de Deus no Brasil, e as decisões tomadas pela PCUSA não refletem ou influem nas demais Igrejas Presbiterianas.
A reação de muitos membros e pastores à decisão tomada pela direção da PCUSA é de contrariedade com a aprovação do casamento gay na igreja, e como resultado disso, o número de membros tem caído drasticamente, assim como o de congregações filiadas à denominação.
aprovação do casamento gay na igreja foi sacramentada em março deste ano, mas desde que a discussão sobre o assunto foi tornada pública, os dados revelados pela PCUSA sobre o tamanho da denominação mostram uma queda considerável, segundo informações do Christian Post.
Em 2014 a PCUSA tinha 9.829 igrejas filiadas, contra 10,038 em 2013. Das 209 que deixaram a denominação, 108 fecharam e outras 101 foram para outras denominações. Em contrapartida, 15 novas congregações com pensamento idêntico se filiaram.
Cerca de 100 mil membros deixaram as igrejas da PCUSA entre 2013 e 2014, e o número deve se acentuar no levantamento a respeito de 2015, que deverá ser publicado em breve.
“As estatísticas e os números de adesão da igreja contam uma história, mas não revela todo o impacto da PCUSA no mundo. Deus continua insuflando nova vida na obra e nos desafia a encontrar maneiras criativas de tocar e transformar vidas”, disse o reverendo Gradye Parsons, argumentando em defesa da denominação.
Porém, as críticas à igreja são extensas. O presidente da Iniciativa Nacional das Igrejas Negras (NBCI, na sigla em inglês), condenou a postura adotada pela denominação: “A manipulação da PCUSA representa um pecado universal contra toda a Igreja e seus membros. Com essa ação, a PCUSA não pode mais basear seus ensinamentos em 2 mil anos de Escrituras e tradição cristã, e ainda se chamar de entidade cristã no corpo de Cristo. Ela abandonou o seu direito por este único ato errado”, disse o reverendo Anthony Evans.
Publicado por Tiago Chagas

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.