Venda de sabonetes de “purificação espiritual” com marca da Universal gera polêmica nas redes sociais




A venda de sabonetes com a logomarca da Igreja Universal do Reino de Deus, ao custo de até R$ 110,00, para a “purificação espiritual”, se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nos últimos dias.
A imagem, publicada pela página Acidez Mental, mostra o sabonete com a descrição “O sabonete da Universal […] o fiel otário lava a alma e o bispo Macedo lava a égua”. Mais de 67 mil usuários compartilharam a foto, além de 7 mil curtidas e 2,2 mil comentários.
Na página da loja online que oferece os sabonetes, há outros com embalagens das igrejas Mundial do Poder de Deus e Internacional da Graça de Deus, também ao preço de R$ 110,00. Em outra loja, que usa embalagem semelhante à da foto, o mesmo produto é oferecido mais em conta, por R$ 40,00.
O pastor Renato Vargens, líder da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói (RJ), comentou o viral e lamentou o ponto em que as igrejas neopentecostais chegaram: “Tenho vergonha do comércio e da barganha promovida pelos adeptos da teologia da prosperidade. Tenho absoluta certeza que se o reformador alemão Martinho Lutero fosse vivo estaria na linha de frente contra os ensinamentos espúrios feitos por esse povo que só pensa em dinheiro. Isto afirmo baseado no fato de que tudo aquilo que os reformadores lutaram como, superstição, misticismo, idolatria, venda das indulgências, autoritarismo papal, está indubitavelmente enraizado no neopentecostalismo”, escreveu em seu blog.
Para Vargens, é hora de uma profunda reflexão sobre o que é o Evangelho e o que se tornou a mensagem pregada em boa parte das igrejas evangélicas: “Diante tamanha aberração falta-me palavras para retratar minha indignação! O que fizeram do cristianismo? Que evangelho louco é esse? Ora, este não é, não foi e nunca será o Evangelho do meu Senhor. 31 de outubro se aproxima e com ele a possibilidade de refletirmos à luz da história sobre o significado e importância da Reforma [Protestante]. Acredito piamente que os conceitos pregados pelos reformadores precisam ser resgatados e proclamados a quantos pudermos, até porque, somente assim, poderemos novamente sair deste momento preocupante e patológico da Igreja evangélica. Voltemos ao Evangelho!”, pediu.

Universal nega

A Redação do Gospel+ procurou a assessoria de imprensa da Igreja Universal do Reino de Deus, que negou participação na produção e venda dos sabonetes. Confira a íntegra da nota:
A Igreja Universal do Reino de Deus informa que já tomou as medidas legais cabíveis contra os sites que anunciam a venda de sabonetes com o nome e a marca da igreja. Os responsáveis serão processados criminalmente.
A Universal jamais comercializou qualquer produto para a “purificação espiritual” de seus fiéis.
Mas, para além do episódio de ladrões utilizando indevidamente a imagem da instituição para enganar inocentes, a grande repercussão da mentira pelas redes sociais, sem que ninguém questionasse o absurdo do fato, é mais um exemplo de preconceito e má vontade contra a Universal e seus 8,2 milhões de adeptos.

 Publicado por Tiago Chagas em 20 de outubro de 2015 

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.