Não Reclamar e Confiar em Deus






Diz o Soberano Senhor, o Santo de Israel: “No arrependimento e no descanso está a salvação de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor, mas vocês não quiseram. –  Isaías 30: 15
Para Pensar – Parece que a reclamação está sempre presente no dia a dia das pessoas. Talvez uma dificuldade com o filho desobediente ou frustrado por algo acontecido no trabalho, ou mesmo com a indiferença do cônjuge, que fez alguma coisa que deixou a desejar. Seja qual tipo de situação que pode nos tirar do sério, Isaías 30:15 mostra-nos o por que não sabemos lidar com as pressões que nos fazem ter uma atitude de reclamação frente aos problemas da vida. O texto diz: “Em vos converterdes e em repousardes, estaria a vossa salvação; no sossego e na confiança estaria a vossa força, mas não o quisestes”.


Em outras palavras, aprendemos com o profeta, que em vez de confiar em Deus para solução, achamos melhor seguir o caminho da reclamação. Precisamos sossegar as nossas emoções, deixar de lado a insensatez e aprender a descansar no SENHOR, que conhece as nossas limitações e imperfeições. Para isto Jesus deixou um texto registrado na Bíblia que nos ajuda e muito, principalmente nos momentos que nos sentimos propensos a exercitar a lamentação, a murmuração, a reclamação. Jesus diz: “Vinde a mim, você que está cansado e oprimido, sobrecarregado de preocupações e eu o aliviarei. Experimenta usar o meu jugo, e aprenda comigo, pois sou manso e humilde de coração, e você encontrará descanso para a sua alma. Mateus 11:28, 29 (Paráfrase)
Que tal fazer um propósito hoje, de não usar a reclamação como argumento, frente aos desafios que teremos de enfrentar?
Deus abençoe abundantemente o seu dia.

Estatua de satanás está a 666 metros acima do nível do mar em Madrid





Noticias Gospel - A sociedade da época rejeitou a ideia desde o início. Ninguém gostava que houvesse uma estátua de Satanás, e muito menos que fosse coloca em um parque tão emblemático como é o Parque del Retiro, localizado em Villa de Madrid na Espanha. No entanto, a inauguração veio rapidamente: em 1885, a Fuente del Ángel Caído o Monumento foi  instalado como uma fonte. Ela aparece com uma serpente em volta do corpo e com uma expressão terrível, que ainda continua a impressionar.
A estátua é obra do escultor Ricardo Bellver de 1877 que embora começasse sendo feita em gesso, acabou por ser uma figura de bronze. Esteve no Museu Nacional e faz parte de eventos importantes da época, como a Exposição Universal de Paris em 1878. Ela tornou-se assim a única estátua no mundo que representa Satanás.
Em 1879, o Museu Nacional junto ao Duque de Fernán Núñez pressionaram para a escultura fosse exposta ao ar livre. Então, conseguiram colocar no Parque del Retiro e, portanto, agora a avenida do parque onde se encontra o Anjo Caído leva o nome do duque.

Estatua de satanás esta na escala topográfica 666



Alguns especialistas dizem que a estátua de Bellver foi inspirada em um anjo caído do céu, seguindo a linha de ‘Paradise Lost’ (O paraíso perdido) de John Milton, um poema que conta a expulsão do céu que sofre Lúcifer. A verdade é que as ilustrações Gustave Doré que aparecem no livro são muito semelhantes aos da estátua do Retiro. No entanto, a imagem clássica do diabo com chifres e língua bifurcada também aparece na estátua, mas relegado para um segundo plano: os fornecedores.
a Lúcifer, muitas outras em diferentes lugares do mundo tem uma simbologia semelhante. É o caso do Monumento de Traforo del Fréjus (1879) na Itália, que esta relacionada com o diabo pelo anjo que tem em cima, com uma estrela brilhante na testa. Surpreendentemente também é uma fonte e a data de sua criação é próxima a da obra de Bellver. O mais curioso da escultura de Retiro, é que aumenta ainda mais a simbologia e ministério ao monumento, pois esta situada a 666 metros acima do nível do mar. Este numero corresponde ao diabo, e é conhecido historicamente como ‘a marca da besta’. Ainda hoje não se sabe se o local escolhido tem algum propósito.


Portal Padom

Ataque a jornal deixa pelo menos 12 mortos em Paris 7/1/2015 12:00 Por Redação, com Reuters - de Paris





O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto

O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto

Doze pessoas, incluindo dois policiais, foram mortas em um ataque a tiros ao prédio em Paris do semanário Charlie Hebdo nesta quarta-feira, disse um porta-voz da polícia, atualizando o número de vítimas do ataque.
O presidente da França, François Hollande, disse que não há dúvida de que o ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo nesta quarta-feira, no qual ao menos 12 pessoas foram mortas, foi um ataque terrorista.
O governo da França anunciou ter elevado o nível de segurança no país para o mais alto.

Testemunhas disseram ao canal de notícias francês iTELE terem visto o incidente a partir de um prédio próximo no coração da capital francesa.
– Cerca de meia hora atrás dois homens com capuz preto entraram no prédio com (fuzis) Kalashnikovs – disse Benoit Bringer à emissora. “Poucos minutos depois, nós ouvimos vários tiros”, disse, acrescentando que os homens depois foram vistos fugindo do prédio.
O policial Luc Poignant disse ter conhecimento da morte de um jornalista e de vários feridos, incluindo três policiais.
– É uma carnificina – disse Poignant à BFM TV.
A sede do Charlie Hebdo foi alvo de ataque com uma bomba incendiária em novembro de 2011 após o jornal ter publicado uma imagem do profeta Maomé em sua capa.
Sede do jornal espanhol El País
Funcionários do Grupo Prisa, ao qual pertence o jornal El País e outros veículos de comunicação, tiveram que abandonar às pressas a sede da empresa, em Madri, Espanha. Segundo empregados do jornal ouvidos pela Agência Brasil, a polícia madrilenha evacuou o prédio por causa de suspeita de que havia uma bomba no interior do prédio.
O edifício foi evacuado por volta das 14h30 (11h30 em Brasília). Os funcionários permaneceram do lado de fora do prédio por mais de uma hora e meia. Eles retornaram ao trabalho no início da tarde. Nenhum dos funcionários ouvidos pela reportagem soube informar o conteúdo do pacote encontrado no prédio. No entanto, o jornal publicou matéria revelando tratar-se de uma garrafa conectada de forma rudimentar a uma lata de spray que, segundo a Polícia Nacional, não oferecia qualquer perigo.
O alerta no El País foi disparado poucas horas após três homens armados invadirem a sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, na França, e matar 12 pessoas, entre cartunistas, policiais e outros funcionários da publicação. O jornal é alvo de constantes ameaças de fundamentalistas religiosos ofendidos com as charges e críticas ao islamismo e a Maomé. Os três criminosos ainda não foram detidos e a França está em estado de alerta a possíveis atentados terroristas.

Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do  
Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.




AIDS: Para promover a devassidão é preciso garantir um Estado anticristão




Pentecostais e católicos na mira da ONU

Julio Severo
Site do Ministério da Saúde afirma que “Para combater a AIDS é preciso garantir o Estado laico”. Sabendo que o jeito do governo brasileiro combater a AIDS é inchar especialmente grupos gays com gordas verbas de nossos impostos, o resultado final não poderia ser outro: ativistas gays com dinheiro e orgias de sobra, e a AIDS com epidemias de sobra, principalmente entre homossexuais.
Isso não é combater a AIDS. Isso é promover.
Combater, no dicionário, significa “lutar contra” e “fazer guerra”. A promiscuidade e a devassidão sexual, que são as principais causas da epidemia evitável, não estão sendo combatidas. Aliás, o governo brasileiro não tem plano nenhum de fazer guerra aos comportamentos promíscuos e devassos.
Contra quem ou o que o governo brasileiro deveria lutar? Pedro Chequer, representante do Programa das Nações Unidas para o HIV/AIDS (Unaids) no Brasil, deu sua opinião: “Urge lutar para a retomada do Estado verdadeiramente laico porque em muitos países estamos vendo como o fundamentalismo religioso — dos pentecostais no Brasil ou dos católicos em muitos países hispano-americanos católico — prejudica seriamente o combate à AIDS”.
Não que o governo brasileiro não tenha essa mesma opinião. Não que os ativistas gays não tenham a mesma postura. Estado laico é o eufemismo usado por eles para designar um Estado que combate ativamente os valores cristãos. E o representante da ONU já deu a dica: o alvo são os pentecostais e os católicos.
Pentecostais e católicos acreditam e ensinam que o sexo é apenas para um homem e mulher ligados pelo compromisso sagrado do casamento.
Em contraste, o governo brasileiro e a ONU acreditam e ensinam que o sexo é apenas um instrumento de “diversão”, cujas consequências físicas e financeiras devem ser jogadas sobre toda a sociedade, até mesmo sobre famílias que nunca apoiaram nem viveram as orgias promovidas por ambos.
Se a sociedade seguir os valores cristãos promovidos por pentecostais e católicos, o governo vai ter de parar de combater o sexo somente para o casamento e passar a combater as condutas depravadas. Se isso acontecer, a epidemia da AIDS vai se extinguir — e junto vai se extinguir a principal fonte de financiamento do ativismo gay.
Em 2009, recursos do Programa Nacional DST/Aids do Ministério da Saúde foram investidos numa pesquisa de censura gay a livros didáticos, de modo que as crianças tivessem sobre a sexualidade acesso apenas à opinião dos devassos.
O dinheiro não foi para a AIDS. Foi para o ativismo gay nas escolas.
Alguns militantes homossexuais que trabalham com questões de AIDS estão revoltados com os desvios desse dinheiro. Conforme saiu na imprensa gay:
“Stalinista. Foi dessa forma que o ativista José Araújo, diretor da AFXB (Centro de convivência para crianças que vivem com HIV/Aids em São Paulo), classificou alguns setores do movimento gay... ‘A fome de poder deles está sendo saciada pelo Programa Nacional [de DST/Aids]’, avalia Araújo. Para José Roberto Pereira, mais conhecido como Betinho, está acontecendo ‘um aumento cada vez maior da intervenção do movimento gay no movimento de Aids’. ‘Eu sou gay, não tenho o menor problema com gay, mas... existe uma espécie de estrangulamento do movimento de Aids com o crescimento do movimento gay’, acredita Betinho. Fundos importantes da Aids estão indo para o movimento gay e não estou vendo uma queda dos índices [da epidemia do HIV entre os homossexuais]’, avalia Betinho, um dos colaboradores do Projeto Bem-Me-Quer. (...) ‘O movimento de Aids está perdendo sua característica. Está virando um grande movimento gay’, lamentou, em outro momento, José Araújo, da AFBX.”
Na opinião dos que promovem a devassidão, é melhor seguir o conselho do representante da ONU. Mas três décadas têm comprovado fartamente que seguir tal conselho não é saudável para ninguém.
Contudo, o que importa, para eles, é que a epidemia da AIDS tem sido fartamente saudável para o bolso deles. E para proteger o bolso deles, eles farão todo e qualquer combate ao que o representante da ONU chamou de “fundamentalismo religioso” dos pentecostais e católicos.
Fonte: www.juliosevero.com

Estado ‘laico’: quem paga por essa propaganda? Posted: 06 Jan 2015 03:00 AM PST



Estado ‘laico’: quem paga por essa propaganda?

Julio Severo
Se você pensou que um Estado ‘laico’ é um Estado em que uma igreja não possa impor suas doutrinas no governo, seu pensamento é diferente do que pensam as elites socialistas.
Essas elites enxergam doutrinas com outros olhos.
De acordo com essas elites, valores morais — como honestidade, proteção sexual das crianças, etc. — equivalem a doutrinas e pertencem exclusivamente às igrejas. Mas ao desprezarem valores morais como se fossem meras doutrinas de igrejas, elas ignoram que antes de igreja ou Estado, já havia famílias com seus valores e, especialmente, proteção às suas crianças.
Quando havia Abraão, Isaque e Jacó milhares de anos atrás, não existia nenhuma igreja cristã ou sinagoga. Mas havia templos pagãos com seus sacerdotes homossexuais e sacrifícios de bebês. A homossexualidade era então sagrada e fazia parte do sacerdócio pagão.
O suposto Estado ‘laico’ moderno, que é muito mais socialista do que qualquer outra coisa, não imita perfeitamente as religiões pagãs do passado ao sacralizar as práticas homossexuais e o aborto, que é o sacrifício de crianças em gestação?
Abraão, Isaque e Jacó, apenas com suas famílias e sem nenhuma igreja, lutavam contra essas práticas pagãs, que hoje são a própria essência do Estado ‘laico.’
Eles defendiam suas famílias, e o paganismo defendia a homossexualidade e o sacrifício de bebês.
Hoje, defendemos nossas famílias, e o Estado ‘laico’ defende a homossexualidade e o sacrifício de bebês. Afinal, quem é então que está se metendo em assuntos religiosos?
A luta entre suposto Estado ‘laico’ e igrejas é na verdade uma luta entre a imoralidade e a moralidade. Quem comprovou essa verdade foi o Governo do Distrito Federal, sob o PT, que deu a exorbitante quantia de 150 mil reais para a realização de um evento chamado “Por um Distrito Federal laico, sem homofobia e pela cidadania LGBT” nas cidades de Sobradinho e Paranoá em 2011.
Nesse contrato com o GDF (página 37, em documento neste link), Elos LGBT foi contratado por “Inexibilidade de Licitação” — em resumo, o governo do PT entendeu que somente esse grupo homossexual tinha a capacidade necessária para promover esse tipo de evento. 
A campanha “Por um Distrito Federal laico, sem homofobia e pela cidadania LGBT” mostra bem as intenções do discurso do Estado ‘laico’: O governo paga fartamente para grupos homossexuais, notórios por promoverem mensagens e práticas imorais, para confrontar e derrubar quaisquer valores morais da sociedade.
As igrejas cristãs não criaram os valores morais, que já existiam com as famílias e estavam escritos na consciência das pessoas. As igrejas têm apenas sido defensoras da moralidade que já existia.
O Estado, que deveria se colocar ao lado das famílias, prefere financiar a propaganda de grupos hostis às igrejas e famílias.
O Estado foi ideologicamente sequestrado por grupos socialistas e homossexuais e agora os vê como sua única família.
Portanto, na próxima vez que você vir uma campanha em defesa de um suposto Estado laico, pergunte: Quem está financiando essa propaganda? Quem está recebendo dinheiro para fazer essa propaganda? A quem interessa essa propaganda?
Quando grupos homossexuais são pagos pelo Estado para promover o Estado ‘laico,’ o gênio do mal já saiu da garrafa, deixando evidente que a luta entre suposto Estado ‘laico’ e igrejas é na verdade uma luta entre a imoralidade e a moralidade. É a luta entre os que defendem imorais grupos homossexuais e igrejas que defendem a família.

Questões judaicas: um esclarecimento aos cristãos sobre sua percepção dos judeus




Degolações, crucificações, Inquisição, Cruzadas, pogroms, cuspes e socialismo

Julio Severo
De vez em quando, recebo cobranças de cristãos, que me dizem que destaco a perseguição dos muçulmanos aos cristãos no Oriente Médio, mas nunca menciono como os judeus também perseguem os cristãos.
É verdade, nunca publiquei um único texto sobre judeus em Israel degolando e crucificando cristãos. Por outro lado, já publiquei muitos artigos sobre muçulmanos cometendo essas atrocidades.
A razão disso não é omissão nem alguma tentativa de esconder supostas degolações e crucificações que judeus estariam cometendo contra os cristãos.
A razão é simples: essas atrocidades contra os cristãos nunca são perpetradas por judeus — a não ser que você queira comparar uma cusparada com degolações e crucificações.
Sim, os judeus ortodoxos — uma minoria em Israel que realmente pratica o judaísmo — tem desprezo pelos cristãos, e manifestam esse desprezo cuspindo. É um ato desagradável, mas muito longe de degolações e crucificações.
A sociedade israelense não é dominada pelos judeus ortodoxos. Além disso, assim como ocorre na Cristandade, o judaísmo tem várias correntes: liberal, moderada, ortodoxa, ultra-ortodoxa. Mesmo assim, não há degoladores nem crucificadores entre eles. Há os cuspadores…
Qual a razão dos cuspes e desprezos? Muitos deles se ressentem da Inquisição e das Cruzadas, que trucidaram muitos judeus. Mas eles não distinguem entre os cristãos, achando que todos os cristãos são responsáveis pela Inquisição e pelas Cruzadas, quando na realidade quem começou e terminou tudo isso foi só a Igreja Católica.
Na mente deles, os atos da Igreja Católica contra os judeus são atos de todas as igrejas cristãs. É uma percepção errada. Mesmo com essa percepção errada, eles não degolam nem crucificam cristãos em retaliação à Inquisição e às Cruzadas.
Entretanto, não é só os judeus que têm uma percepção errada. Os cristãos que amam Israel às vezes exageram no seu amor adorando tudo o que se faz em Israel. Num culto numa grande igreja em Brasília ouvi um pastor pregando sobre as (supostas) maravilhas dos kibutzes — fazendas coletivas onde todos comem em refeitório comunitário e as crianças são criadas em creches comunais. Os kibutzes não têm origem na Bíblia. Sua origem são judeus europeus socialistas que se estabeleceram em Israel no começo do século XX.
Sim, há socialismo em Israel. O único país do Oriente Médio que tem aborto legalizado e paradas gays é Israel.
O alistamento militar israelense é obrigatório para homens e mulheres. Enquanto nos EUA os conservadores lutavam há anos para impedir suas forças armadas de alistarem mulheres para combates, Israel segue esse modelo socialista há anos.
O amor israelense pelo socialismo também é desprezado pelos judeus ortodoxos. Aliás, esse amor israelense pelo socialismo é muitas vezes usado pelos seus inimigos para pintar os judeus como maus.
No Brasil, os judeus, excetuando os ortodoxos, são apoiadores tradicionais da esquerda, inclusive do PT. Nos Estados Unidos, a vasta maioria dos judeus apoia o partido de Obama — um partido que está sempre na contramão dos interesses de Israel e dos verdadeiros cristãos.
Como se explica o amor dos judeus pelo socialismo? Por Karl Marx ter sido judeu?
Uma das explicações pode estar na Rússia dos tempos dos czares. Na segunda metade do século XIX e começo do século XX, o czar sancionou leis contra os judeus, estabelecendo os infames pogroms — ataques violentos aos judeus e suas propriedades.
Esses ataques tinham o apoio de líderes ligados à Igreja Ortodoxa, que não estava agindo diferente da Inquisição e Cruzadas de sua irmã, a Igreja Católica.
Diante da perseguição extrema do governo czarista, os judeus russos só tinham duas opções: 1. Fugir para os EUA (que era a maior nação protestante do mundo). Fugir para uma Europa sob influência católica não estava nos planos deles. 2. Resistir e lutar.
Para os que não fugiram para os EUA, a resistência escolhida foi apoiar os movimentos marxistas, que deram origem à União Soviética. Os inimigos dos judeus usam esse episódio para tentar retratar os judeus como criadores desse império do mal, mas esse não foi o caso. Por uma questão de pura sobrevivência e para acabar com os pogroms, os judeus russos deram todo apoio à revolução comunista e à criação da União Soviética.
Se lhes fosse possível, eles também teriam apoiado alguma forma de resistência para escapar da Inquisição e das Cruzadas.
Os pogroms foram uma perseguição tão terrível que os judeus russos fizeram tudo ao seu alcance para dar um fim ao império do czar, até conseguindo ajuda de banqueiros americanos para financiar o nascimento da União Soviética. Mas a solução judaica, embora tenha começado com a intenção de salvar vidas, acabou demonstrando ser pior do que o problema. Criou um problema maior.
Fenômeno semelhante aconteceu na Alemanha do início da década de 1930. Com o comunismo ameaçando vencer nas eleições, até os pastores luteranos instruíram suas congregações a votar em Adolf Hitler como a única ‘salvação’ contra o comunismo. Mas a solução acabou ficando pior do que o problema, especialmente para os judeus, que sofreram o Holocausto. O desespero empurra os povos para ‘soluções’ mortais.
Verdade seja dita, na União Soviética os judeus puderam alcançar elevados postos no governo e no exército — algo que jamais aconteceria na Rússia ortodoxa ou na Europa católica. Mas o preço foi muito alto.
Os inimigos dos judeus têm prazer em destacar a participação dos judeus no nascimento da União Soviética, mas convenientemente escondem as matanças que os judeus sofriam na Rússia ortodoxa. Esses inimigos são capazes de louvar a Inquisição e as Cruzadas sem mencionar o sofrimento e os massacres que os judeus sofriam.
O tradicional amor dos judeus pelo socialismo tem base então nesses fatores históricos e em sua luta de apoiar movimentos que os livrassem de intensas perseguições de regimes políticos ligados à Igreja Ortodoxa e à Igreja Católica.
Os judeus ortodoxos têm suas razões históricas para cuspir nos cristãos. Mas eles não percebem que suas questões são apenas com católicos e ortodoxos.
Por causa dessas questões históricas, Israel é hoje o único Estado no Oriente Médio onde socialismo e capitalismo estão perfeitamente casados.
Os que detestam os judeus por causa do socialismo não deveriam ignorar que eles apoiaram esse sistema por desespero e para sobreviver a perseguições atrozes de ‘cristãos’ que amavam mais a Inquisição, as Cruzadas e os pogroms do que Jesus Cristo.
Os que amam os judeus não deveriam apoiar os kibutzes nem o amor de muitos deles pelo socialismo.
Um dia os judeus ainda descobrirão que sua única salvação da Inquisição, das Cruzadas, dos pogroms, do antissemitismo e do ódio islâmico é o maior Judeu de todos os tempos — Jesus Cristo.
Diferente da ‘salvação’ socialista, a salvação de Jesus não tem efeitos colaterais mortais generalizados.
Os que conhecem a salvação desse Judeu precisam orar para que os judeus no mundo inteiro sejam libertos de suas ilusões com relação a uma ‘salvação’ socialista e ‘messias’ socialistas.

Ativistas judeus querem salvar cristãos de muçulmanos Posted: 03 Jan 2015 03:09 PM PST




“Holocausto cristão” é o tema da campanha

Jarbas Aragão
No passado existiram campanhas de cristãos em favor dos judeus. Em especial durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Holocausto nazista assassinou cerca de seis milhões de judeus europeus.
Em meio a onda de violência do Oriente Médio contra os cristãos, principalmente os constantes massacres executados pelo Estado Islâmico, ativistas judeus decidiram fazer algo. Seu objetivo é conscientizar o mundo Ocidental, e paradoxalmente, as igrejas cristãs do que realmente está acontecendo.
Liderados pelo cartunista israelense Yaakov Kirschen, autor da coluna Dry Bones (Ossos Secos) que é reproduzida em jornais importantes como Jerusalem Post, The New York Times e Wall Street Journal. Por mais de 40 anos, ele deu espaço ao comentário político em seus desenhos, dedicando-se a denunciar o antissemitismo.
Acostumado a polêmicas, agora está querendo chamar atenção para o que classifica como o “holocausto” dos cristãos no Médio Oriente.  “Comunidades cristãs estão sendo totalmente assassinadas e muitas vezes expulsas, nessa limpeza étnica de todo o Médio Oriente. Seu objetivo é acabar com o cristianismo. Enquanto isso os líderes ocidentais fingem que não veem”, protesta.
Em grande parte a mídia silencie, embora continuamente haja casos de igrejas queimadas, mulheres cristãs sequestradas, estupradas ou vendidas como escravas, ao mesmo tempo em que até mesmo crianças são mortas apenas por serem cristãs. Em alguns casos, judeus também são vítimas dessa perseguição aberta.
“Eu acho essa apatia algo inacreditável”, disse ele à CBN News. “É loucura saber que as igrejas não estão protestando em massa, os políticos não se posicionam e não há manifestações nas ruas dos países livres.”
Decidido a movimentar pessoas de todo o mundo, ele iniciou uma campanha na Internet para apoiar os cristãos Médio Oriente. Também está produzindo uma série de charges e quadrinhos que visam transformar seus leitores em ativistas. Kirschen acredita que a linguagem do desenho é universal.
“As pessoas precisam encontrar uma maneira de lutar contra isso. Se nossas igrejas, organizações judaicas e líderes políticos não estão dispostos a fazer nada enquanto os cristãos no Oriente Médio são totalmente exterminados, então nós, o povo, precisamos fazer alguma coisa”, assevera. Embora conte apenas com algumas centenas de colaboradores, o cartunista espera que essa mensagem se espalhe e consiga chamar atenção do maior número possível de pessoas.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com

EUA e o financiamento do terrorismo muçulmano do Talibã

O Anjo de Sardes (Filme Cristão) Dublado - Completo

O lado oculto do Facebook Por Josiel Dias




As redes sociais têm desenvolvido um papel importantíssimo em relacionamento à distância. Quando eu digo à distância falo literalmente amigos, familiares que de fato estão distantes uns dos outros. Isso é legal e não há nada de errado nesse estreitamento entre as pessoas usando as redes sociais.  Mas não podemos ignorar os males que essas redes podem trazer as pessoas que muitas vezes a usam até de boa-fé.
Tenho encontrado amigos de infância, que hoje mantemos contato, trocamos ideias, rimos, felicitamos um ao outro e isso é bom, reconheço.
Facebook te entregando
Mas como toda ferramenta nessas redes também existe o lado oculto e má, onde pessoas vivem xeretando, vasculhando a vida alheia. Embora tenhamos centenas de “amigos” é bom ficar atento que, embora eles estejam relacionados como amigos, nem todos realmente o são.
Devemos ter cuidado com o que postamos, sei que as vezes nos dá vontade de contar tudo pra alguém, quem sabe por estarmos passando por alguma situação desagradável naquele momento. É sempre assim, quando vem os vendavais, na maioria das vezes, estamos “sozinhos” com o aparelho nas mãos e sem percebermos, desabafamos.
 Cuidado com o que se posta.
Assim como em nossa vida secular somos responsáveis por cada palavra que falamos, neste mundo interativo o que você posta também tem suas consequências. Cuidado com postagens, notícias, denúncias pela qual você não tem certeza do que está sendo informado nem tão pouco a fonte. As pessoas não têm noção disso, fala o que quer, comenta coisas íntimas, abrem o verbo via Facebook e esquecem que dezenas, centenas, quem sabe, milhares estão lendo e ouvindo seus lamentos.
Como falei, nem sempre aqueles que você agregou como amigo é de fato amigo, muitas vezes são inimigos ocultos a espera de uma novidade. Conheço história de pessoas arruinadas por desabafos comentários inapropriados para a rede.
 “Usa o Facebook como confessionário depois não quer pagar a penitência”
Isso mesmo que você acabou de ler acima, se você não quer que as pessoas se metam em seus relacionamentos, ou descorde de colocações mal postada por você, NÃO POSTE coisas íntimas, coisas que deverão ser resolvidas entre os mais chegados quem sabe cônjuges. O Facebook não é confessionário, cuidado com suas palavras. Esteja consciente que o que você posta vai ser respondido, criticado, censurado por alguém, depois não adianta se lamentar…
Perigo oculto do Facebook.
Tenho notado que muitas pessoas colocam informações de onde moram, telefones, onde estudam, o que vão comprar, se compraram um carro novo elas postam. Se ganharam um dinheiro de algum processo da justiça eles colocam. Quantas histórias de sequestro, roubo e até de morte, por que as pessoas, sem perceber, dão as pistas para que o inimigo oculto as ataquem. Outro dia, não só eu, mas creio que muitos “amigos” de uma pessoa deva ter lido, onde ela escreveu: “Graças a DEUS em fim ganhei essa causa que se arrastava na justiça, agora é só desfrutar da grana”
Imagina alguém assim tipo bandido lendo uma coisa dessa? Imagina esse “amigo oculto e do mal” indo ao perfil desse imaturo internauta e quando chega em seu perfil, lê: Endereço completo, telefone, nome dos filhos, onde estudam, hora que costumam buscá-lo na escola. Já imaginou?
Veja parte de uma matéria que foi divulgada pela a Revista Exame em 2010
Ladrões dizem usar redes sociais para escolher suas vítimas
São Paulo – Uma pesquisa realizada com 50 criminosos britânicos pela companhia de segurança More Than revelou que 12% deles usam redes sociais como Twitter e Facebook para procurar por vítimas em potencial. A justificativa é que nesses sites muitos usuários publicam seus endereços, além de detalhes completos de onde estão e para onde vão.
Conforme o levantamento, 68% dos criminosos, independentemente do meio, coletam informações sobre a rotina de suas vítimas antes de praticar um crime. “Usando o Facebook ou o Twitter para se gabar sobre uma grande noite ou sobre férias em Barbados pode impressionar amigos e colegas, mas é o suficiente para dar a ladrões experientes tudo o que eles precisam saber”, disse Pete Markey, um porta-voz da More Than, ao jornal The Telegraph.
“Antigamente você podia comprar informações de um carteiro ou de um entregador de leite sobre quem estava fora de casa nos feriados. Agora as pessoas estão online dizendo se estão indo ao aeroporto, se estão tomando café, sobre tudo”, explicou à mesma publicação Richard Taylor, um ex-criminoso que hoje é pastor. “Sempre digo que o Facebook diz que você tem 900 amigos, mas que não é verdade. Você tem um amigo e 899 pessoas que vagamente o conhecem”.
“Por favor, me roube”
No início deste ano, um grupo de holandeses criou um site para alertar as pessoas justamente sobre esse risco apontado pela pesquisa. O site Please Rob Me (“por favor, me roube”, em português) agregava todas as informações de pessoas que estavam fora de casa e que comunicavam isso no Foursquare. A ideia, segundo os responsáveis, não era efetivamente servir de fonte de informações para ladrões, mas conscientizar os internautas de que mensagens aparentemente inofensivas podem ser perigosas se divulgadas publicamente. O serviço atualmente está desativado.
Veja também essa matéria:  Cuidado!: ladrões utilizam redes sociais para monitorar suas vítimas
Cuidado !!!   Use o Facebook com moderação ou qualquer rede social. Lembre-se, nem todos são teus amigos. Dificulte o máximo dar informações sobre sua vida pessoal. Não se exponha muito, isso tem um preço, a não ser que você esteja disposto a pagar esse preço. Proteja quem você ama, não coloque endereço de colégio onde estudam seus filhos.
Fica a dica: Facebook tem seu lado oculto.
Pb Josiel Dias

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.


Além de infringir a lei de Deus, não honrar pai e mãe pode configurar crime Por Adriano Pinheiro

 

“Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá” (Êxodo 20:12).
Negligenciar os direitos do idoso pode gerar consequências cíveis e criminais, haja vista que, tanto o Código Penal, quanto o Código Civil e o Estatuto do Idoso preveem punições aos responsáveis.
Que Deus determinou aos filhos honrar seus pais não há dúvida, pois se trata de um mandamento bastante conhecido na maioria dos povos.
Se a obediência à palavra de Deus é facultativa, em razão do livre arbítrio, o mesmo não ocorre com a legislação.
Assim, deve-se ressaltar que, negligenciar os direitos do idoso pode gerar consequências cíveis e criminais.
Prover alimentação, saúde e o bem-estar do idoso não é uma opção e, sim, uma imposição legal, podendo haver ação judicial que obrigue os responsáveis (ex. filhos, netos etc.) ao pagamento de pensão alimentícia, por exemplo.
O abandono ao idoso pode ser interpretado como infração ao artigo 133, do Código Penal. Conveniente transcrevê-lo abaixo:
“Abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda, vigilância ou autoridade, e, por qualquer motivo, incapaz de defender-se dos riscos resultantes do abandono”. A pena pode chegar à reclusão doze anos, dependendo das consequências do abandono.
Por sua vez, o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/03) visa garantir a efetivação dos direito à vida, à saúde, à alimentação, dentre outros direitos aos idosos.
O artigo 3º do referido Estatuto determina que:
“É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde” (…).
O artigo 4º prevê que: “Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão”.
É sempre recomendável enfatizar que, considera-se crime não apenas o fato de fazer algo contra o idoso, mas, também, deixar de fazer algo em auxílio a ele.
À título de exemplo, se um idoso encontra-se abandonado em condições precárias, sofrendo qualquer tipo de negligência ao seu bem-estar, todos aqueles que tinham o dever de prestar assistência poderão ser responsabilizados, como: filhos, netos etc. Em caso de omissão de socorro, até mesmo os vizinhos, por não comunicarem o abandono à autoridade policial, poderão responder por crime.
Quanto à alimentação, cuidados médicos e moradia, o Código Civil também possui determinações que obrigam os parentes próximos a prover tais necessidades. Havendo o descumprimento, qualquer pessoa pode informar os órgãos responsáveis, para que tomem as medidas judiciais e administrativas pertinentes.
Diariamente, diversas condutas são praticadas contra os direitos do idoso, seja por ação, seja por omissão. Delegacias e tribunais estão sobrecarregados com um enorme volume de denúncias e investigações. Milhares de inquéritos tramitam nos órgãos públicos em razão do desrespeito aos idosos.
Transcrevem-se abaixo algumas hipóteses de crimes, previstas no Estatuto do Idoso. Dentre elas, destacam-se:
Art. 96. Discriminar pessoa idosa, impedindo ou dificultando seu acesso a operações bancárias, aos meios de transporte, ao direito de contratar ou por qualquer outro meio ou instrumento necessário ao exercício da cidadania, por motivo de idade:
Pena – reclusão de 6 (seis) meses a 1 (um) ano e multa.
§ 1o Na mesma pena incorre quem desdenhar, humilhar, menosprezar ou discriminar pessoa idosa, por qualquer motivo.
Art. 97. Deixar de prestar assistência ao idoso, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, em situação de iminente perigo, ou recusar, retardar ou dificultar sua assistência à saúde, sem justa causa, ou não pedir, nesses casos, o socorro de autoridade pública:
Art. 98. Abandonar o idoso em hospitais, casas de saúde, entidades de longa permanência, ou congêneres, ou não prover suas necessidades básicas, quando obrigado por lei ou mandado:
Art. 99. Expor a perigo a integridade e a saúde, física ou psíquica, do idoso, submetendo-o a condições desumanas ou degradantes ou privando-o de alimentos e cuidados indispensáveis, quando obrigado a fazê-lo, ou sujeitando-o a trabalho excessivo ou inadequado:
§ 2o Se resulta a morte:
Pena – reclusão de 4 (quatro) a 12 (doze) anos.
Art. 102. Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade:
Art. 104. Reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar recebimento ou ressarcimento de dívida:
Art. 106. Induzir pessoa idosa sem discernimento de seus atos a outorgar procuração para fins de administração de bens ou deles dispor livremente:
Art. 107. Coagir, de qualquer modo, o idoso a doar, contratar, testar ou outorgar procuração:
Art. 108. Lavrar ato notarial que envolva pessoa idosa sem discernimento de seus atos, sem a devida representação legal.
Se todos cressem e obedecessem ao mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá”, certamente, o mundo estaria longe de tantas mazelas.
Adriano Martins Pinheiro é advogado, palestrante e articulista


* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.






ILLUMINATI TEMPLÁRIOS O FILME DUBLADO

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.