Oração e batalha espiritual




A oração e a Batalha espiritual
Baseada em Efésios 6: 10-18
(10) Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. (11) Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo; (12) pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes. (13) Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, permanecer firmes. (14) Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, (15) e calçando os pés com a preparação do evangelho da paz, (16) tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. (17) Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; (18) com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos,


Um texto que fala sobre conflitos espirituais, sobre nossos adversários espirituais, nossas armas e garantias de segurança no conflito espiritual. Fala sobre oração.
Ao estudá-lo entendi o porque da grande dificuldade que enfrentamos quando decidimos dedicarmo-nos à oração.
Quando decidimos dobrar os joelhos, vem lembranças que nos atrapalham, dá sono, cansaço, divagamos, perdemos o assunto etc.
Orar não é simples nem fácil. Nossas práticas de oração já dizem isso. As igrejas se enchem muito mais para celebrações de louvor do que para os cultos de intercessão.
As reuniões de oração são sempre muito menos freqüentadas do que quaisquer outras.
Inclusive, identificamos pessoas como “pessoas de oração”, que se dedicam mais a oração. Estes são os intercessores, pequena minoria.
A atividade exige perseverança e, geralmente, estas pessoas são os nervos da comunidade. Porque tem suas sensibilidades espirituais mais aguçadas, tem percepções e discernimentos mais intensos na vida em comunidade. Sofrem mais, porque tem mais empatia com o mover de Deus. Conhece de perto as sombras e porões desta comunidade.
Orar não é fácil, especialmente esta oração que o texto de Efésios se refere. Uma oração que está envolvida em conflitividade espiritual. Paulo nos diz que devemos nos fortalecer no Senhor e na força do seu poder, e nos vestirmos de toda armadura de Deus, antes de nos atrevermos a oração.
Buscar forças em Deus, cuidar de nós mesmos, antes de nos ajoelharmos em oração. Fazer um chek-list (capacete, couraça, espada etc) Verificar se está tudo em ordem e ai sim, se atrever a orar, e colocar as mãos sobre a cabeça de alguém em súplica e intercessão.
A oração é a prática adequada para o dia mal. Devemos convir que nem todo dia é dia mal. Então, qual é o dia mal? É quando as forças das trevas se levantam contra nós.
Jesus foi tentado. Os demônios confrontaram Jesus diretamente, e Jesus resistiu a cada proposta. E diante deste confronto, o diabo se retirou, porém, aguardou o momento mais adequado. O dia certo para intrometer-se na relação de Jesus com o Pai. Este é o dia mal. O dia em que as forças do inferno e das trevas marcam um X em nós, e decidem nos atacar com veemência.
Vistam a armadura para vencer no dia mal. Depois de fazer tudo? Sim, depois de ter entrado em combate, conflito, resistência … Estes que se levantam contra nós, não são seres humanos. São poderes e autoridades deste mundo de trevas. Forças do mal nas regiões celestiais.
O texto fala de outro tipo de ser, diferente do ser humano, e também, o texto fala de outro tipo de ambiente de existência, diferente desta realidade visível e acessível aos nossos sentidos físicos. O texto fala das regiões celestiais e de espíritos malignos (demônios, diabos, como quiser chamá-los). São contra eles que lutamos não contra pessoas.
As pessoas que são instrumentalizadas por eles, devemos olhar para elas com compaixão, misericórdia, na perspectiva de pessoas que foram vitimadas pelos espíritos das trevas.
A nossa rebeldia, nossa revolta, nosso ódio nunca devem se refletir no ser humano, mas sempre contra as forças espirituais da maldade, que não poucas vezes agem contra o ser humano. E infelizmente, inclusive através de seres humanos.
Assim tratou Jesus, Pedro, quando disse: Afasta-te de mim Satanás. Não disse Pedro, e sim Satanás.
Ter esse discernimento que não lutamos contra carne e sangue. Ele diz quais são as nossas garantias de segurança, que descreve como a armadura de Deus. O cinto da verdade, porque como escreve aos coríntios, contra a verdade nada podemos. Todos aqueles que se levantam contra a verdade saem derrotados. Porque a verdade sempre prevalece. Se em algum momento de sua vida a verdade não está prevalecendo, espere porque a prevalência da verdade é apenas uma questão de tempo.
Vestindo a couraça da justiça, a sua integridade, sua consciência pura. Ou, entenda como, vestindo-se da justiça que há em Cristo Jesus. Porque a palavra de Deus que nós não somos justos, mas que Deus fez de Jesus um Justo para que nEle fossemos feitos justiça de Deus. Estamos abrigados em Cristo Jesus.
Tendo os pés calçados com o evangelho da paz. O serviço, a ocupação com o bem, com a promoção do evangelho.
Usando o escudo da fé. Até porque toda conflitividade espiritual ocorre em nossa mente. A grande arma do diabo não é o poder, é a mentira. Ele sempre foi apresentado como mentiroso e pai da mentira. A arma dele contra nós é o blefe. Por isso lutamos na dimensão da fé.
Vestindo o capacete da salvação: a nossa consciência de que somos guardados por Deus.
E a espada do espírito que é palavra de Deus, e o documento de declaração da verdade. E lente através da qual enxergamos toda realidade.
O que sempre me estranhou neste texto, é que diferente da interpretação comum, a oração não é parte da armadura espiritual. A fé é um escudo, a salvação é um capacete, a justiça é uma couraça, a palavra de Deus é uma espada, o serviço no evangelho é o calçado, a verdade é o cinturão. E a oração? Que parte da armadura é ela? Nenhuma. Porque a oração não é arma para batalha senão a própria batalha.
Na oração entramos nas regiões celestiais e confrontamos, oferecemos resistência. Oferecemos a autoridade de Jesus contra estas hostes espirituais da maldade.
Orar é guerrear, interceder é lutar. Orar é batalhar. Interceder é combater.
Por isso, é que o Senhor Jesus se dirige a Simão Pedro pedindo: Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo. Mas, orei por você Simão, Para que a sua fé não desfaleça. Você será assolado por um ataque espiritual da maldade. Mas eu estarei contigo. Estarei ao seu lado. Como? Em oração e súplica, através da minha intercessão. Estarei combatendo contigo para que sua fé não desfaleça. (Lc 22: 31) Leia: Rom 15: 31.
Sublinhe que se unam a mim em minha luta.
Como fazer isso? Paulo não queriam que os cristãos de Roma fosse ajudá-los fisicamente, ou enviasse ofertas. Ele pedia para unirem-se a ele, orando a Deus em seu favor.
Col 4: 12 – Epafras orava por eles.
Num pesadelo enxerguei uma metáfora de conflito espiritual. Uma situação em que você está numa estrada, ao longe está chovendo, e no lugar em que você está não. E a chuva vai se aproximando de você.
Sentia como que uma parede muito grande, escura, vinha se aproximando, e eu resistia em nome de Jesus, e a parede voltava. Foi um sonho desesperador, que me ajudou a entender o que o apóstolo quer dizer com o dia mal. Com revestir-se de toda armadura e resistir as hostes espirituais da maldade, e manter as trevas longe de nós.
Isto é conflito, batalha. Por isso, Jesus nos ensinou a vigiar e a orar. Preste atenção nas nuvens.
Preste atenção na escuridão quando ela está perto demais.
Talvez você acredite que estamos no meio da escuridão, mas onde nós estamos é iluminado. É uma outra metáfora para outro dia, outro sermão. Mas, para Efésios 6, fique com esta figura em sua mente: uma parede de escuridão que você pode manter longe, ou uma parede que se aproxima a ponto de fazer sombra sobre você, como que pudesse tragar você, e nesse tragar da escuridão você perde o juízo, perde o controle das suas emoções, perde noção de realidade, do perigo. No dia mal, você foi engolido pela escuridão.
Paulo nos diz que podemos manter a escuridão longe de nós, e de nossos irmãos. Intercedendo, orando, clamando por eles.
Paulo diz: depois de estar revestidos… orem no espírito em todas as ocasiões. Com toda oração e súplica, estejam atentos e perseverem em oração por todos os santos.
Todo tempo, toda oração, todos os santos, todos os filhos, todas as casas, todos os lares, todas as famílias… Muitos frutos colheríamos se mais pela nossa família intercedêssemos. Você quer manter sua casa iluminada? Ajoelhe-se e ore. Entre nas regiões celestiais de joelho. Diga como Jesus: O Diabo pediu para te peneirar, mas eu rogo por ti. Diga para as pessoas que lhe são caras. Estou combatendo contigo. Orando a Deus em teu favor.  Ore. Ore sempre. Orar é guerrear, por isso não é fácil.
Irmão André (contrabandista de Deus): Quando intercedemos, retiramos o peso que está nos ombros de nossos irmãos, e colocamos o peso sobre os nossos ombros. Por isso, orar é algo pra pouca gente. Porque quando estamos tão ocupados em carregar apenas os nossos próprios pesos, como ainda vamos pegar os pesos dos outros e trazer para nós.
Por isso, é que quando oramos nos angustiamos. A oração nos esgota fisicamente. A intercessão nos esgota, porque estamos em luta, em combate.
Existe a prática no mercado evangélica uma oração mista. O pessoal coloca Deus e o demônio na mesma conversa. Fala com Deus, e repreende em nome de Jesus, sai daqui satanás, louvado seja o teu nome.. pode até se confundir e amarrar o errado.
A Bíblia ensina que devemos orar a Deus. Oramos para manter as trevas distantes. Orando a Deus em favor de nossos irmãos.
Imagine que é possível um homem que perde a ousadia para pregar o evangelho, porque lhe faltam intercessores. Imagine alguém que perde a coragem de fazer o que deve fazer porque faltam intercessores. É o que Paulo diz, orem também por mim,… O meu destemor ao anunciar o evangelho depende das suas orações.
Talvez orássemos mais se de fato, percebemos o quanto de repercussão no universo espiritual de fato tem as nossas orações. Quanto estaria a acontecer a nossa volta, pela nossa intercessão e súplica de todos os santos.
Não se esqueça: Busque forças em Deus. Certifique-se de estar vestido de toda armadura de Deus. E então, ofereça-se como bom soldado, e entre em aliança intercessora, especialmente, em favor daqueles que lhe são mais caros.
A medida que você vai crescendo em intercessão, vá dilatando sua experiência até que consiga orar em toda ocasião. Com toda oração e súplica com todos os santos.
De vez em quando, me deparo sem ter orado por algo que estou lutando para resolver.
Também não consigo orar com toda oração e súplica, tem ocasiões em que oro e não agradeço, oro e não louvo, oro e não me submeto. Ainda não consigo orar com toda oração, e quanto mais por todos os santos. Oro pelos que me são caros. Meu coração ainda não se dilatou a ter este fortalecimento espiritual  para me colocar em oração e na brecha por todos os santos.
Peço a Deus que este ano, em que escolhemos o caminho da oração, que o Espírito de Deus nos leve e nos ensine a orar. Só conseguiremos orar assim, em toda ocasião, por todos, nos oferecer como intercessores de batalha, se formos guiados pelo Espírito Santo de Deus.
Ef. 6: 18 – ore no espírito. Não são as nossas forças, ou energia, nem sabedoria: é o Espírito.
Vamos manter esta comunidade acesa e iluminada ORANDO.
anoteoculto.wordpress.com

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.