Casamento infantil - Diga não (Assine esta petição)



Bangladesh está prestes a criar uma lei que poderia forçar meninas menores de idade a casar com seus estupradores. Mas a primeira-ministra é uma líder do empoderamento feminino e um amplo apelo para que ela seja uma heroína para meninas em todos os lugares poderia encorajá-la a retirar a cláusula do estupro infantil. Assine

ASSINE A PETIÇÃO

Queridos amigos,

Com uma assinatura, a primeira-ministra de Bangladesh pode salvar milhares de meninas ou abrir uma brecha que pode forçá-las a se casar com seus estupradores.

Bangladesh tem aprovado muitas leis progressistas para mulheres e meninas. No entanto, uma nova lei destinada a acabar com o casamento infantil contêm uma cláusula de ‘circunstâncias especiais’, pela qual meninas podem ser forçadas a casar com seus estupradores.

Os cidadãos já foram às ruas protestar, mas o Parlamento pode aprovar a lei a qualquer momento. Vamos apelar à primeira-ministra para retirar a brecha na lei que permitiria o estupro infantil e acelerar um processo de ação nacional para manter essas meninas seguras:

Assine para impedir a cláusula do estupro infantil

Dias depois das extraordinárias marchas das mulheres, isso é algo que podemos fazer juntos pelos mais vulneráveis em nosso planeta.

Até o momento, a primeira-ministra favoreceu a cláusula de 'circunstâncias especiais', argumentando que para meninas da zona rural que são vítimas de estupro ou ficam grávidas, casamento é dos males, o menos pior. Porém existem alternativas para melhorar sua proteção: Ela pode aprovar a lei para que meninas de zona rural e seus filhos possam ir à escola sem o sobrenome paterno -- atualmente a criança pode ter dificuldade de entrar na escola sem o nome do pai em seu registro --, e lançar um novo plano de ação nacional para prestar serviço para essas meninas em circunstâncias especiais.

Vamos convencer a primeira-ministra Hasina a retirar a cláusula e tornar Bangladesh um dos pioneiros do mundo no combate ao casamento infantil. Junte-se agora:

Assine para impedir a cláusula do estupro infantil
Bangladesh já tem tanto prometido para as mulheres. As políticas progressistas transformaram famílias desde 1970 quando as mulheres tinham sete filhos cada, e agora pouco acima de dois. E os subsídios para meninas significam que é mais provável que elas cheguem ao ensino médio do que suas vizinhas na Índia, um país muito mais rico.

Do Afeganistão e Índia, até a Somália e Kenya, a Avaaz tem usado nosso poder coletivo para lutar contra o abuso de jovens meninas e pressionar pelos direitos das mulheres. Vamos agora apoiar Bangladesh a se tornar uma luz para o mundo finalmente acabar com o casamento infantil!

Com esperança,

Risalat, Antonia, Lisa, Emma, Alice, Ricken e toda a equipe da Avaaz 

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.